Minilua

Os maiores mistérios da ciência #3

A ciência não sabe tudo, nem deseja, ela apenas quer aprender tudo que puder para tornar nosso entendimento da realidade melhor e, consequentemente, melhorar nossa condição de habitantes do Universo. Mas apesar de termos aprendidos milhões de coisas durante toda nossa história, ainda existem muitas questões que deixam os cientistas de cabelo em pé:

Porque existem mais destros do que canhotos?

Basta você pensar um minuto para descobrir que a grande maioria das pessoas que conhece usam a mão direita como preferencial. Mas porque será que isso acontece?

Destro ou canhoto?

Em nosso mundo atual, em média 10% das pessoas são canhotas, um número extremamente baixo, mas bem explicável se levarmos em conta algumas coisas. Antigamente várias sociedades, muitas vezes influenciadas pela religião, forçavam as pessoas a usarem a mão direta, isso fez com que a herança destra fosse passada adiante. Além disso, usar a mão direta em uma sociedade que utiliza diversos instrumentos é mais fácil, pois a padronização da mão preferida ajuda no compartilhamento de objetos.

Esses dados explicam bastante o fato de que os destros são maioria atualmente, mas por que será que ainda existem tantos canhotos e por que muitos nascem assim?

É nessa hora que as coisas ficam complicadas, pois, na verdade, ninguém faz a mínima ideia como esse favoritismo pela mão direita surgiu.

Uma das explicações para esse fenômeno vem da lateralidade do cérebro. Como nosso cérebro é dividido em dois lados, cada um “cuidando” do lado oposto do corpo, acredita-se que a origem da maioria dos destros venha do fato de que nosso cérebro controla a fala em uma região do lado esquerdo. Como a fala e utilização das mãos são tarefas semelhantes no que diz respeito a um controle preciso do corpo, acredita-se que elas compartilhem um espaço adjacente, explicando o fato de poucos serem canhotos.

Outra hipótese é que a lateralidade seja uma herança genética. Ou seja, seus pais determinam qual mão você vai usar por transmissão de um gene, mas alguns estudos revelaram que filhos com ambos os pais canhotos em apenas 26% dos casos são canhotos, um número extremamente baixo.

Já outros apostam que o fator principal para determinar a “mão boa” ocorre no útero. Supostamente, a posição nos últimos meses antes de nascer influencia a habilidade como uma mão ou a outra. E como a posição mais comum para um nascimento privilegia a mão direita, nós temos mais destro. Um dos pontos que suporta essa ideia é que o número de destros em nascimentos prematuros é bem menor.

Mas no final de todas as contas, ninguém sabe determinar com certeza de onde vem a maior habilidade com a mão direita em tantas pessoas. Talvez alguma das hipóteses levantadas seja correta, talvez nenhuma ou mesmo uma mistura de todas elas.