Os maiores mistérios da humanidade #1

Como o prometido na semana passado, estamos iniciando uma nova série de posts. Dessa vez falaremos sobre os grandes mistérios da humanidade e tentaremos encontrar algumas respostas para eles.

No primeiro post da série falaremos sobre:




O Monstro do Lago Ness

loch_ness_1_lg




O Monstro do Lago Ness ou Nessie (para os íntimos) é um grande mistério, milhares de pessoas afirmam terem avistado o estranho animal e milhões acreditam que ele realmente existe, pois o Loch Ness (nome real do lago) recebe milhares de visitas todos os anos de pessoas vindas dos quatro cantos do mundo.loch-ness

O mistério em volta de Nessie está tão disseminado na cultura mundial, que o governo escocês emitiu uma nota oficial falando que ele não existe, mesmo assim o número de pessoas que vai ao lago continua crescendo.

Os primeiros boatos sobre o Monstro do Lago Ness remontam o ano de 1595, mas a grande fama do monstro começou em 1933, quando um jornal fez uma enorme reportagem falando sobre o bicho estranho que vivia no lago. Já em 1934 surgiu a foto que tornou Nessie em um fenômeno de proporções mundiais, a imagem chamada de “Surgeon’s photo”:

surgeonspicture




250px-PlesiosaurusDepois dessa foto as coisas só aumentaram, inclusive cientistas foram até lá investigar o lago, usando sondas modernas para tentar detectar a presença de algum animal, porém nada foi encontrado.

Mesmo com todas as investigações revelando que não existe monstro, a lenda não morreu e seus defensores travam batalhas contra os cientistas, tentando provar a existência do monstro. Existe até uma teoria de que Nessie seria um Plesiossauro, que veio pelo Rio Ness e acabou ficando preso no lago, devido a baixa do rio. Claro que isso nunca foi provado.

Afinal, existe monstro ou não? A resposta correta seria não, pois cientistas varreram o lago e nada encontraram, mas a lenda está tão fixada na cabeça das pessoas que mesmo se secarem o lago e nada encontrarem, elas continuarão acreditando.

(Foto tirada por um satélite, mostrando o Lago e uma suposta movimentação criada pelo monstro)monstro-lago-ness

O Monstro do Lago Ness é uma grande lenda e grandes lendas jamais serão desmentidas.

  1. Gustavo Mosso

    15 de dezembro de 2014 em 02:34

    O monstro do lago Ness é apenas uma lenda que serve para atrair turistas e só. E se ele fosse real já teria morrido há muito tempo

  2. roberto ROCK Silva

    29 de novembro de 2014 em 08:47

    Bem pode ser bem vdd isso, acho q pra se reproduzir, ou esse ser vibe muito…….

  3. Ana Beatriz

    13 de novembro de 2014 em 14:29

    O post é interessante!Mais eu não acredito que o Monstro existe!

  4. Rens Ricardo

    19 de outubro de 2014 em 11:59

    gostei mais tem poucos defeito

  5. Rens Ricardo

    19 de outubro de 2014 em 11:57

    o menstro do lago nesse kkkkkkkkkk não me suprende so o slender man

  6. José Luciano Paz

    15 de setembro de 2014 em 08:35

    Estou reclamando por querer compartilhar e estão me impedindo primeiro disseram que não pode compartilhar em uma página que eu admonsitro depois tentei na minha linha do tempo deram um cha de cadeira e nãop deixaram abrir para o compartilanebnto estava ate botando fé neste asite mas parece que não dar pra se acrditar muito . Aguardo uma resposta que que venha ame convencer .

  7. Geraldo Klesio

    12 de março de 2013 em 14:07

    Um rapaz já confessou que fraudou fotos e que essa foto aí foi feita com bonecos infláveis de borracha, ele e os que o ajudaram já confessaram e afirmaram que o objetivo era CONFIRMAR a existência do “bicho”.Terminaram por retirar a dúvida que pairava no ar!

  8. Fernando Batista

    24 de janeiro de 2013 em 21:59

    Sei lá…não dúvido de nada!!!

  9. Anderson Borges

    4 de janeiro de 2013 em 15:12

    ja morreu !!! nem eskeleto do bicho existe mais !!

  10. Stanley Marsh

    1 de dezembro de 2012 em 17:34

    eu soube que o monstro do lago ness sabe pedir trinquenta 3 r$ e 50 centavos

  11. Ana Luiza Ramos

    18 de novembro de 2012 em 23:28

    eu nao acredito eu so queria saber como ele conseguiu viver tanto tempo

  12. Willy Nery

    2 de novembro de 2012 em 15:21

    há quantas gerações existe essa lenda?

  13. Psycho The Cat

    23 de maio de 2012 em 19:40

    Monstro do Lago Ness não existe.

  14. jio

    17 de março de 2012 em 21:01

    As fotos não passam de fraudes.Aquela que parece ser o pescoço e cabeça da criatura nada mais é que a tromba de um elefante.

  15. Sorvetinha Girl

    10 de março de 2012 em 11:02

    Eu tenho muitas dúvidas sobre esse assunto! Mas eu creio que esse monstro existe sim! 
    Até fizeram um desenho do Scooby – Doo com esse assunto… 

  16. Melhor Alone do Mundo

    20 de fevereiro de 2012 em 22:04

    Não tem tela preta! Oh God!

    • nightmare zero

      20 de fevereiro de 2012 em 22:05

      pra que tela preta?quem vai se assutar com isso?

    • Kairos

      20 de fevereiro de 2012 em 22:05

      MY GOD! EU JAH SABIA!

  17. Guilherme

    11 de fevereiro de 2012 em 12:58

    Da hora, o primeiro post ficou bem bacana… e sem tela preta 😀

  18. Alf

    9 de fevereiro de 2012 em 21:13

    ??????????????????????????? 
    ??????????he he
    ??????????????????????????? ???????????????????????? ?????????????????????????

  19. Alberto Moura

    28 de janeiro de 2012 em 00:40

    Luís, eu falei que tem mais, referindo-me aos fatos estranhos que ocorreram naquela cidade, quando eu morava lá, entre 1964 e 1971. Alguns aconteceram comigo e outros com conhecidos meus, mas que não deixaram testemunhas, de modo que, se eu contar, sem haver outras pessoas que corroborem, poderei passar por mentiroso. Os que citei, dos soldados que desapareceram, do avião Catalina que se perdeu num céu limpo, do advogado que apareceu de repente na cidade, e do filho do “Faz-Tudo”, que sumiu a caminho da cidade, sem deixar rastros, eram de conhecimento público na cidade, e creio que, se você for lá e perguntar aos moradores mais antigos, eles possivelmente vão se lembrar. Mas vou contar um desses fatos, ocorridos com outras pessoas, que você poderá pesquisar na cidade.
    Meu pai era sargento do Exército, e nós morávamos numa casa de vila militar, que era geminada com outra. Na casa ao lado, morava outro sargento, cujo nome de guerra era Bicalho. A esposa dele tinha vários irmãos. O mais velho deles tinha passado no concurso para Sargento do Exército, na Escola Militar de Realengo, Rio de Janeiro. Um dia, chegou a triste notícia de que Fred tinha morrido, afogado, no Rio de Janeiro. Alguns disseram que ele tinha morrido na Lagoa Rodrigo de Freitas (eu me lembro no nome, porque tinha um colega de colégio, que eu não gostava, e se chamava Rodrigo. Freitas era o nome de guerra outro colega de meu pai). Outros disseram que tinha sido no mar, e que o corpo tinha sumido. Mais ou menos um mês depois, algumas famílias amigas se reuniram, para um piquenique na Ilha do Eleotério, no Rio Mamoré. Nossa família não foi. Entre os cunhados de Bicalho, havia o Marcos, a Susel (por quem eu tinha uma “quedinha”), e o Cid, que era tão magro, que tinha os apelidos de “Pisciqüila” e “Meio Quilo”. Cid era mais ligado em mim, porque eu fazia gibis (estórias em quadrinhos) a lápis e caneta Bic preta, para trocar na porta do cinema, e ele gostava de meus “heróis” (Catman, Águia Prateada, Melle la Belle – nunca editados). Três dias antes do piquenique, eu brincava de “pira”  com os meninos, à noite, e Cid, correndo, parou sob o poste de luz que havia perto. A luz, projetada de cima, deu um aspecto esquisito ao seu rosto. Pareceu-me muito gordo, e os cabelos, crespos e molhados de suor, deixavam escapar um vapor, que parecia uma espécie de auréola, de onde eu o via. Senti uma coisa esquisita, um tipo de enjôo. Não sei porque, mas fiquei com medo de ir ao piquenique, e torcendo para que nossa família ficasse em casa. Por algum motivo, nós não fomos. Na véspera, sonhei com um menino atingido por um poraquê (peixe elétrico da amazônia, causador de muitas mortes). À noite, retornando da missa dominical, eu soube que tinha Cid tinha se afogado, e seu corpo não aparecera. Só foi encontrado cinco dias depois, preso às pedras da cachoeira que havia rio abaixo. Naqueles dias, eu estava lendo uma edição da “Divina Comédia”, de Dante, que continha muitas ilustrações, litografias que retratavam o Inferno, conforme a imaginação católica do Século XVII. Fui, por uma questão de solidariedade, ao velório de Cid, o primeiro velório que presenciei na vida, e ele estava com o rosto muito inchado. À luz da vela, tinha o mesmo aspecto que eu tinha visto sob o poste, e seu rosto estava muito inchado, diferente do Cid Pisciqüila que eu conhecera. Com a memória dos demônios do livro de Alighieri na cabeça, e a visão lúgubre do meu jovem amigo sendo velado, eu não consegui dormir por três dias e noites seguidas, peguei uma gripe e uma dor de estômago muito fortes, que, hoje sei, tinham fundo emocional. Não se trata de nenhum fato extraordinário, eu sei, a não ser pela sensação de morte que eu tive dias antes, pelo fato de que minha família, não indo ao passeio, me livrou de estar junto a Cid, e pelo fato de, pela primeira vez, eu ver um poraquê vivo, no sábado seguinte, no mercado de Guajará-Mirim. Era um peixe enorme, de mais de meio metro de comprimento. A irmã de Cid, Susel, passou a me evitar, e eu não sabia porque. Um dia, anos depois, quando eu já tinha 13 anos, encontrei-me com Susel num parque de diversões itinerante, e forcei-a a falar comigo. Perguntei-lhe por que me evitava desde a morte de seu irmão, e ela me disse: “Você estava junto com Cid no rio. Eu lhe disse que o puxasse, porque ele estava com câimbra, e você riu. Ele estava muito perto de você, e longe de mim. Quando se contraiu no choque, você não fez nada, ficando ali parado. Ele estendeu a mão, e você não o socorreu.” Aquilo me deixou muito chateado, porque eu não tinha ido ao piquenique. Lembrei-lhe disso, e ela retrucou: “Esteve, sim. Você deu isso para ele, e ele me passou!” E me entregou um dos meus gibis, feitos de papel sulfite, com desenhos a lápis e cobertos de caneta Bic. Era um de Catman, em que o herói, apesar de evitar a água, que estragava sua fantasia peluda, mergulhava no rio para salvar um menino, conseguindo seu intento e se afogando em seguida, ficando desacordado no rio e sendo salvo, depois, por um pescador, que passaria a ser uma espécie de guru dele. Foi meu quarto e último de gibi do Homem-Gato, que Susel ainda mantinha, provavelmente para “esfregar na minha cara” quando tivesse ocasião..

    • roberto ROCK Silva

      29 de novembro de 2014 em 08:51

      Q cidade hwin kk

  20. Luís

    27 de janeiro de 2012 em 17:35

    se isso foi verdade o monstro já deve ter morrido :/

  21. RANDOM RIOT

    7 de janeiro de 2012 em 04:37

    A primeira foto tirada eu vi num documentário no History Channel que era falsa, era um submarino de brinquedo. Só um avisinho xD eu sei que tá desatualizado e tudo o mais (eu que vasculhei o site mais da conta LOL).

  22. Jonathan Pride

    1 de janeiro de 2012 em 20:42

    Não sei não…
    Acho que existe, Assim como E.T. de varginha, As “Pessoas” capturam e levam para outro lugar eu acho que é para a Area 51, Seria um bom Post pro proximo, A area 51

  23. Alberto Moura

    28 de dezembro de 2011 em 04:11

    Ainda G. Mirim: Certa tarde, uma senhora se sentou num banco vazio de uma das 2 únicas praças, que havia na cidade (Praça Mário Correia), e logo um homem, vestido de terno (que não se usava numa cidade tão quente), com uma valise 007 no colo, aberta, pediu licença, e lhe perguntou que lugar era aquele. O desconhecido tinha um sotaque diferente do povo da cidade, e a mulher estranhou a pergunta. Respondeu que estavam em Guajará-Mirim, e o homem indagou onde ficava tal cidade. A mulher, pensando estar falando com algum louco, se levantou e pediu socorro a alguns transeuntes. Depois de alguma confusão, ele esclareceu que era advogado, morava em Belo Horizonte/MG, milhares de quilômetros distante, e estava sentado ao volante de seu carro, a caminho do fórum. Disse que aproveitou um sinal fechado, para pegar a valise e verificar uns documentos, e, ao erguer os olhos, estava naquele banco de praça. Depois de muita confusão, ele conseguiu a simpatia da população, e o prefeito da cidade lhe ofereceu hospedagem gratuita, e lhe concedeu a passagem aérea para ele voltar a sua cidade. Só havia aviões nas terças e quintas-feiras, da Panair, VASP  e Cruzeiro. Ele embarcou no próximo avião, 2 dias depois, para BH, e retornou à cidade uns meses depois, junto com a esposa. Afirmou que seu carro tinha sido guinchado, por estar ligado e sem ninguém dentro, perante um semáforo, no centro de BH. E tem mais, mas não vou contar agora. Abraços. Mistérios há muitos por aí!

    • Jessilene Pimentel

      14 de março de 2015 em 15:44

      Engraçado minha vós que gostava de contar histórias não ter contado essas pessoas gente, ou mesmo a minha mãe… Valeu Alberto.

    • Jessilene Pimentel

      14 de março de 2015 em 15:33

      Adorei esses fatos Alberto, nasci e sempre morei aqui em gm e nunca ouvi falar dessas histórias. Impressionantes mesmo. Valeu.

  24. Alberto Moura

    28 de dezembro de 2011 em 03:54

    Ainda G, Mirim: Um filho de um comerciante da cidade (Mário Peixe) ficou desaparecido durante 22 dias. Ele tinha saído de casa para tomar mingau no mercado municipal, antes de seguir para abrir a loja da família, e não chegou na loja. Deu-se alarme pela rádio local, e ele foi procurado durante 22 dias. Ninguém conseguiu encontra-lo, e algumas pessoas disseram te-lo visto chegando ao mercado e pegando uma tigela de mingau. A vendedora de mingau disse que o atendera. Após todos aqueles dias, ele apareceu, sentado tranquilamente no mesmo banco que tinha ocupado, com a tigela de mingau ainda quente. Perguntado onde tinha estado, ele disse que acabara de chegar ao mercado. Seu relógio-calendário mecânico (do tipo que se usava nos anos 80) marcava a hora e o dia de seu desaparecimento. Ele jurava que não tinha estado em nenhum lugar, entre sua casa e a banca de mingau, e não se lembrava de nenhum fato intermediário. E tem mais!

    • Luís

      27 de janeiro de 2012 em 17:29

      Onde vc vai postar ou postou a continuação?? aqui ou em outro post mistérios da humanidade???

  25. Alberto Moura

    28 de dezembro de 2011 em 03:46

    Ainda G. Mirim: Um garoto de uns 11 anos desapareceu atrás do tronco de uma castanheira, sem deixar nenhum rastro, até hoje (desde 1969). Ele voltava de um balneário, na companhia do irmão mais novo, e disse que ia fazer umas “necessidades” logo atrás da castanheira, que ficava na beira da estrada. O irmão esperou na estrada por alguns minutos, e depois foi procura-lo. Após chamar repetidamente, correu até a cidade, a uns 3 km, e pediu socorro. Muita gente foi até a castanheira, procurar o garoto, mas ele não tinha deixado nenhum rastro. Também não havia sangue nem rastros de possíveis raptores ou animais. Ele nunca apareceu. E tem mais!… 

  26. Alberto Moura

    28 de dezembro de 2011 em 03:41

    Entre 1964 e 1971, morei em Guajará-Mirim/RO, onde ocorreram coisas muito misteriosas: 1. Uma patrulha do Exército (10 militares) desapareceu no caminho entre o Forte Príncipe da Beira e umas barracas, que distavam uns 3 quilômetros. Saíram do Forte com destino às barracas, e não chegaram no destino. Nunca mais foram vistos. 2. Um avião Catalina, da FAB, partiu de G.Mirim para o Forte Príncipe, num dia de sol claro, e nunca chegou. Depois de quase 3 meses de procura, foram notificados sobre um avião brasileiro que caiu na selva, perto de Santa Cruz de La Sierra(Bolívia). Houve 2 mortes; os outros sobreviveram; 1 (Paulo Félix) ficou paraplégico. (Veja no Google Earth/Maps a rota aérea entre G. Mirim e Forte Príncipe, e a distância para Sta. Cruz.) Nunca se explicou esse desvio! E tem mais!…

  27. Anônimo

    21 de junho de 2011 em 21:37

    Pessoal o fato do Monstro Ness pode ser um fato real.Como aprovado dos dinossauros de várias espécies no passado,o Monstro Ness pode ser da era pré-estórica que viveu por milhares de anos.Neste caso o Monstro Ness é 70% verdadeiro e 30% nas dúvidas que o monstro não existe.
     
    Valeu pessoal 😀

  28. Michel Franklin

    11 de junho de 2011 em 23:17

    po esta lenda do lago ness é uma das melhores do mundo.
    O Lago Bodom=
    O lago ficou conhecido pelos assassinatos ocorridos na noite de quatro de junho de 1960 ,
    quando quatro adolescentes (dois rapazes de dezoito anos e duas garotas
    de quinze anos) foram acampar próximo ao lago e foram misteriosamente
    atacados. Três foram assassinados cruelmente e apenas um sobreviveu.
    Este evento é normalmente lembrado como os “Assassinatos no Lago Bodom”.
    Em 2005, Nils Gustafsson, a única vitima que sobreviveu, foi preso como
    suspeito pelos assassinatos. Em dez de junho de 2005 a corte decidiu
    que Gustafsson era inocente.
    A banda finlandesa de death metal melódico Children of Bodom utiliza este misterioso acontecimento como nome de sua banda.

  29. nath

    21 de maio de 2011 em 22:08

    A primeira e a terceira imagem mostram um elefante, vi num doc que segundo os registros havia um circo na cidade na época em que tiraram essas fotos (1934), e que os tratadores levavam os elefantes que usavam nas apresentações pra tomar banho,  a última parece uma lancha ou barco e a segunda uma cobra de água doce comum naquela região. Não sou cética nem nada mas que tem haver tem 🙂

    • André Lopes

      11 de junho de 2011 em 14:54

      Não creio que seja nenhum elefante, pois elefantes quando entram em algum lago, eles não ficam totalmente submersos com a tromba para fora.

      Realmente, hoje em dia não se pode duvidar de nada que existe, ou possa existir, as lendas são bastante interessantes, se elas foram criadas não foram por acaso, foi por algo que tenha acontecido, e naquela época não se tinha noção de existência de dinossauros, portanto creio que não seja criação.

      Os cientistas foram para lá sim, mas nada indica que não havia nenhuma criatura, vai que eles realmente acharam tal criatura e não quiseram que a imagem da própria tivesse sido divulgada mundo afora, simplesmente pelo caos que fosse causar.

      Creio eu que esse tal bicho existe, porém já foi encontrado e retirado, li algumas matérias aqui e não duvido que seja só histórias da carochinha.

      • Natsu !

        22 de julho de 2011 em 20:45

        COMO JÁ DISSE, não sou cétic, pelo contrario adoro todos os assuntos que envolvem paranormalidade ou o sobrenatural, e até simplismente relatos. Também acredito que toda lenda tem um princípio de verdade, tudo começa com algum acontecimento, seja verdadeiro ou mal julgado. Oque disse no meu post anterior foi oque eu vi no history channel e apesar de tirar a graça da lenda (rsrs), faz sentido e sobre os elefantes:  http://www.iplay.com.br/Imagens/Divertidas/0716/Elefante_Nadando_Mantendo_Sua_Tromba_Para_Fora_Dagua_Para_Respirar
        Mas concordo que a ‘coisa’ na terceira foto não parece um elefante.

  30. Zé Da Mandioca

    30 de março de 2011 em 13:06

    Gostei muito,mais nao entendo com todas essas fotos provando que ele existe os cientistas nao acreditam

  31. Joao pedro

    12 de setembro de 2010 em 18:19

    Eu acredito nisso, eu tenho um livro q fala exatamente oque esta escrito ai só q com um pouco mais de detalhes.

  32. Lenon Cristian

    12 de setembro de 2010 em 14:56

    Outro mistério que gostaria de ler aqui é sobre as piramides do Egito, pois ninguem sabe como eles fizeram algumas piramides pois no topo da piramide tem blocos de pedra que pesam toneladas, msm juntando todos os homens ao redor da pedra nao teriam força suficiente para levantar a pedra, e naquele tempo nao havia máquinas com tal força para levantá-las!

    • André Lopes

      11 de junho de 2011 em 14:56

      é amigo, naquele tempo existiram verdadeiros matemáticos e físicos e tudo foi feito na base do cálculo, nada que seja fora do normal.
      Só um pouco de trabalho MUITO pesado e um pouco de equilíbrio

    • Diego Martins

      12 de setembro de 2010 em 14:58

      Tenho uma lista com mais de 50 mistério e esse é um deles o/

  33. valdecir calado

    12 de setembro de 2010 em 07:36

    Excelente post. Mesmo como uma lenda é muito interessante. Parabéns

  34. Otavio

    11 de setembro de 2010 em 23:50

    Olá… é meu primeiro post aki no mini lua, mais visito o blog a muito tempo, e agora até tive que criar uma conta aki pra poder postar pedindo que nessa seção, vc falasse mais sobre a existência de Deus…
    Gostaria de saber seus argumentos e etc… pois sou deísta 😀

    • Diego Martins

      11 de setembro de 2010 em 23:56

      Esse é um tema que certamente será abordado, não sei se nessa série ou em uma série própria vai depender da quantidade de conteúdo que eu for escrever sobre o tema, mas vou e logo. Pode aguardar. ^^

  35. gabriel serra

    11 de setembro de 2010 em 21:35

    bem bacana o post, aguardo continuação =]

  36. Nivaldo Jr

    11 de setembro de 2010 em 21:10

    Ficou bem interessante o primeiro post da série.
    Parabéns Diego!
    Pode informar qual será o próximo mistério?

    • Diego Martins

      11 de setembro de 2010 em 21:12

      Obrigado. Cara num tem como informar por que eu ainda não sei, tenho que ler várias coisas durante a semana, dae o que eu achar mais interessante acaba sendo o escolhido por isso não tem como antecipar.

      • Nivaldo Jr

        11 de setembro de 2010 em 21:23

        olha isto
        http://ps21.wordpress.com/2009/07/17/misterio-da-historia/
        não é uma dica para o próximo post,mais é bem intrigante

        • Diego Martins

          11 de setembro de 2010 em 22:05

          Bem interessante, já falei sobre algumas dessas coincidências em outro post, mas vou ver se é possível escrever sobre elas para esse.

          • Nivaldo Jr

            11 de setembro de 2010 em 22:07

            Eu lembro foi no post das 10 maiores coincidências de todos os tempos

          • Diego Martins

            11 de setembro de 2010 em 22:08

            o/ nem eu lembrava o nome do post, boa memória.

          • Joel Alvarenga

            12 de setembro de 2010 em 10:26

            Eu me lembro do carro e da menina.
            Outra coicidencia é que no link que o Nivaldo mandou estava sobre as torres gemeas e ontem eu assisti o filme.

  37. Bruno Malfussi

    11 de setembro de 2010 em 20:39

    nao da pra se duvida de nada hj em dia, mas axo q isso é mais historia q o povo inventa!

    • Matheus Rodrigues

      1 de fevereiro de 2013 em 17:38

      Eu axo que isso so foi inventado pra atrair turistas pro local, enfim, so publicidade mesmo

    • Datena

      21 de setembro de 2011 em 20:35

      é vdd! já estudei isso.. pode ser uma enguia gigante.

    • Anônimo

      1 de setembro de 2011 em 21:44

      Sei não, mas seria interessante se fosse um novo ser descoberto, parente dos dinossauros, hoje o mundo é tão estranho.

      • Jeckson Victor

        30 de dezembro de 2011 em 16:12

        Acho que seja um dinosauro, ou algo do tipo. Vai que o lugia existe auhsuahs

58 Comentários
Topo