Minilua

As maiores roubalheiras da história do esporte

Encontrar pessoas honestas está cada vez mais difícil, e para provar que não existem corruptos somente no Senado, aqui está uma lista com as maiores trapaças da história do esporte. Dois acontecimentos futebolísticos foram incluídos – um deles, envolvendo o goleiro chileno Rojas, é bem conhecido dos brasileiros. Confira a lista:

 

Dora se chama Hermann

A alemã Dora Ratjen bateu o recorde mundial do salto em distância em 1938, durante o Campeonato Europeu de Atletismo, em Viena. No entanto, soube-se depois que ela, na verdade, era um homem. Hermann Ratjen foi obrigado pelos nazistas a competir como mulher pela Alemanha.

 

Maratona de metrô

A norte-americana de origem cubana Rosie Ruiz venceu a Maratona de Boston em 1980. Seu tempo foi de 2h31min36s – 25 minutos mais rápido do que fez pouco antes em Nova York. Descobriu-se, então, que, em ambas as provas, ela utilizou o metrô.

 

A “mão de Deus”

Maradona fez um dos mais famosos gols da História do futebol na vitória por 2 a 1 sobre a Inglaterra, na Copa-1986. O argentino dividiu a bola com o goleiro e levou a melhor – com a mão! No entanto, o juiz não viu a irregularidade e validou o gol, decisivo na conquista daquele Mundial.

 

Nada deficientes

A seleção de basquete espanhola conquistou o ouro na Paraolimpíada de 2000, em Sidney. Dias depois, foi descoberto que dez jogadores do time não possuíam nenhuma deficiência mental – um deles, inclusive, era jornalista. A Espanha foi punida e perdeu o ouro.

 

Trapaça no gelo

Na década de 90, as americanas Tonya Harding e Nancy Kerrigan eram grandes rivais na patinação no gelo. A disputa chegou a níveis extremos, a ponto de Harding contratar alguém para machucar o joelho de Kerrigan. Atingida no joelho com uma barra de ferro, ela se recuperou a tempo de disputar a Olimpíada de Inverno de 1994, levando a medalha de prata.

 

Choque nos rivais

O pentatleta russo Boris Onischenko possuía um interruptor elétrico em seu florete para dar choques nos adversários durante as provas de esgrima. O episódio aconteceu durante os Jogos Olímpicos de 1976, em Montreal.

 

Luvas de gesso

Em 1983, o boxeador Luis Resto nocauteou com facilidade o até então invicto Billy Collins. A surra, no entanto, teve motivo: Resto estava com as luvas endurecidas por conta de gesso colocado por seu técnico, Carlos “Panamá” Lewis.

 

Corte mais famoso da história

Há 20 anos, o goleiro da seleção chilena Rojas causou a interrupção de partida contra o Brasil, no Maracanã, pelas Eliminatórias para a Copa-90. A Seleção vencia por 1 a 0. Rojas sofreu um corte no rosto, supostamente por um objeto atirado pela torcida. No entanto, foi comprovado que ele mesmo se cortou. O goleiro foi suspenso por toda a vida.

 

“Jeitinho” no golfe

O golfista David Robertson foi surpreendido enquanto ajeitava a bola em uma melhor posição, durante torneio de classificação para o Aberto da Inglaterra, em 1985. O atleta foi multado em 30 mil euros e suspenso do circuito profissional por 30 anos.

“Primeira” trapaça da história

Fred Lorz é considerado o primeiro trapaceiro da era moderna do esporte. Na Olimpíada de Saint Louis, em 1904, o americano venceu com folga a maratona. No entanto, quando ia receber a medalha de ouro, foi desclassificado. Ele fez cerca de 10km do percurso de carro.

Adaptado de Quase Tudo Futebol