Minilua

Malucos que no final das contas estavam certos

Não é incomum nós vermos por aí pessoas que são ultra preocupadas com as mais diversas coisas. Algumas chegam a ser taxadas de paranoicas de tanto que falam em determinado perigo ou problema. Na grande maioria dos casos, isso não passa de “fogo de palha”, porém, em alguns casos, aqueles taxados de malucos estão totalmente corretos:

Richard Stallman

Richard é uma das pessoas mais influentes de todo o mundo da informática. Ele foi o criador do sistema GNU e um dos maiores lutadores contra as patentes de software. Seu trabalho é tão importante e significativo, que pelo menos 97% dos supercomputadores do planeta trabalham com coisas desenvolvidas por esse homem.

Assim como muitos outros gênios, ele pode ser considerado meio maluco. Apesar de viver no meio do mundo da informática, Richard não usa celular, não navega na internet e se quer usa cartões de identificação em prédios, pois tem medo que usem o mesmo para mapear seus movimentos. Para acessar sites, ele usa uma ferramenta que baixa o site e exibe dentro do e-mail, dessa maneira Richard fica livre de ser “observado”.

Durante muitos anos, ele foi taxado de maluco, por achar que sua privacidade seria seriamente abalada por navegar em sites e usar um simples celular, mas eis que depois do vazamento de Snowden e de tudo aquilo envolvendo a NSA, Richard, muitas vezes chamada de louco, provou que estava completamente correto.

Wild Bill Hickok

Bill Hickok é uma das lendas do faroeste americano, mas muito real. Ele lutou durante a Guerra Civil e ganhou fama depois dela, quando virou Xerife. Sua capacidade em duelos era incrível e ninguém jamais conseguiu vencer sua rapidez e pontaria.

Sua habilidade fora do comum surgiu na adolescência, quando ele e seu pai, donos de fazenda, ajudavam escravos em fuga. Muitas vezes, eles foram atacados por pessoas que eram contra o fim da escravatura.

Devido a todas as mortes que causou durante sua carreira como homem da lei e também antes, Bill começou a se tornar paranoico. Ele tinha medo de que algum parente ou amigo de alguém que matou voltasse para cobrar vingança. Por isso, ele jamais sentava de costas para uma porta e estava sempre armado e pronto para atirar.

Após muitos anos sem nenhuma tentativa contra sua vida, Bill foi ficando menos paranoico, até que durante um jogo de poker, Bill foi atacado pelas costas, levando um tiro na cabeça, sem nem poder ver quem foi seu assassino.

John Cockcroft

John foi um dos maiores físicos do mundo. Ele ganhou um Nobel em 51 por seus trabalhos com divisão de núcleos atômicos. Por trabalhar nessa área, ele viu os avanços da energia nuclear de perto e sua paranoia quanto ao perigo dela salvou milhares de pessoas.

Como tudo era novidade na época, a segurança das usinas nucleares era tosca, afinal ninguém tinha visto um desastre em grande escala para ter uma noção do que realmente estava acontecendo.

Mesmo assim, John insistiu em algo extremamente caro e complicado. Ele queria uma espécie de filtros fossem usados nos reatores. Apesar da grande discordância dos outros especialistas, ele conseguiu que suas invenções fossem colocadas no projeto.

Em outubro de 1957, um dos reatores da usina de Windscale pegou fogo e foram os filtros criado por John que impediram que a Inglaterra fosse tomada por uma névoa nuclear. Acredita-se que sem a proteção feita por ele, o acidente de Windscale seria tão ruim quanto o de Chernobyl.