Minilua

O melhor e o pior de uma feira livre

O melhor

1- Pastéis: Como resistir a eles, não é mesmo? Os sabores são os mais diversos, desde o mais tradicional a base de carne, passando pelo de queijo, calabresa, pizza e palmito.

2- Caldo de cana: E já que falamos em pastéis, não poderíamos nos esquecer do caldo de cana. O melhor de tudo é o preço, bem baratinho, ao alcance de todos.

3- Queijos: Em uma feira livre, especialmente aquelas localizadas na periferia, o volume de queijos comercializados tem aumentado significativamente. Tudo é válido, especialmente na hora de agradar aos mais diferentes paladares.

4- Diversidade de produtos: Dependendo da feira, e de seu tamanho, o volume de produtos encontrados tende a ser bastante satisfatório. Entre os destaques estão: Brinquedos, CDS, DVDS, camisetas, sapatos, etc.

O pior

Frequentadores: Difícil conviver com o mal humor e a falta de educação de algumas pessoas, certo? Pois é, alguns são capazes até, de impedirem o fluxo dos demais, sobrepondo seus carrinhos sobre as calçadas.

Vendedores mal preparados: Sabemos que a vida de um feirante não é fácil. Por outro lado, em muitos casos, o bom senso deveria existir. Hoje em dia, não são raros os exemplos de despreparo, desde aquele profissional que manuseia o alimento sem a devida higiene, passando pela rivalidade com os concorrentes das demais barracas.

Gritos: Sim, é preciso vender o produto, e até aí tudo bem, nada que fuja da normalidade. O que não dá para entender é a forma desesperada de alguns, repetindo a mesma informação por minutos seguidos.

Sujeira nas ruas: Infelizmente, até para desgosto de muitos moradores, são poucos os feirantes que se preocupam efetivamente com essa questão. Muitos, aliás, são incapazes até de guardarem as caixas utilizadas no comércio as frutas.