10 modismos e tribos urbanas da década

A primeira década dos anos 2000 foi marcada por várias tribos urbanas e grupos que dividiam os mesmos ideais ou os mesmos gostos e modismos. Relembre quais foram as mais marcantes:

142132-360x306

Emo/From UK: olhos pintados e franjas escorridas. Se antes as brigas eram punks contra metaleiros e hippies contra yuppies agora são todos contra os emos. Os From UK foram uma versão pokemón evoluída, com cabelos espetados, roupas mais coloridas e a busca incessante pela popularidade na internet.

marimoon-laranja

Webcelebridades: As celebridades de internet se dividem-se em dois tipos: os sortudos (ou não), que foram flagrados fazendo algo ridículo ou engraçado e os que surgiram na internet e foram para outros meios (como Marimoon, a fotologger que virou VJ da MTV.)

172178-360x306

Bling Bling: Turma que não economizava nas joias caríssimas e acessórios com muito brilho e glamour. Com seus anéis, pulseiras e colares de milhões de dólares. (o rapper P. Diddy era considerado o Rei do Bling Bling. No Brasil, o modismo pegou forte entre jogadores de futebol como Ronaldinho Gaúcho).

393-360x306

Nerds: Se nos anos 80 e 90 os nerds apanhavam na escola, agora eles mandam no mundo e faturam milhões antes mesmo dos 30 anos criando softwares mirabolantes ou tendo ideias bestas mas que ninguém teve antes.

172184-360x306

Hipsters: Lançadores de tendências na música e na moda, os clubbers niilistas e podem ter acabado com a cultura ocidental como acusou a revista Adbusters.

83078-360x306

Periguetes: O termo inicialmente era usado para definir menores de idade que adoram se exibir na internet com fotos em poses sensuais (periguete vem de perigo pois menor de idade é “chave de cadeia”), o termo acabou crescendo e virou denominação para qualquer mulher que gosta de se exibir e usar roupas curtas e coladas.

169852-360x306

Funkeiros: Com um gravador em casa e muitas ideias (às vezes erradas) na cabeça, os funkeiros foram uma versão dos punks. Execrados pela crítica e público, invadiram a classe média depois que seus batidões conquistaram a Europa e Estados Unidos.

172152-360x306

Wannabe DJs: Como bem retratou o Tumblr Mão No Botão, Pose pra Foto, todo mundo “atacou de DJ”, de ex-BBBs ao jornalista Carlos Tramontina, passando pela saudosa atriz Leila Lopes.

63392-360x306

Indies: Pais do emos, os indies tímidos dos anos 90 agora até são mais alegrinhos e comunicativos (culpa da internet?). Os fanzines viraram os blogs de música, eles continuam amando cinema europeu e camisetas de suas bandas desconhecidas favoritas. Também nas versões twee (fãs de coisas fofinhas, vinil e roupinhas do vovô) e barbudos (fãs de post rock, bonés de caminhoneiro e da série Meu Nome é Earl).

172183-360x306

Artistas urbanos: De repente todo mundo virou artista só porque fez uns stickers pra colar nas grandes avenidas. A street art ganhou status e foi acolhida definitivamente nas galerias, no design de marcas, roupas e música. E apesar de ter revelado para o mundo artistas geniais como OsGêmeos e Carlos Dias, fez com que outros pegassem o embalo e usassem o grafite pra se promover na tentativa de serem os próximos Basquiat.

newrave08

Menções honrosas: new ravers, ciclistas, vegans, fashionistas, metrosexuais, cosplayers, otakus, dirces, geeks, steampunks, novas pin ups (fãs do estilo de Dita Von Teese).

Fonte: blogueirascompulsivas

  1. Francisco de assis

    10 de agosto de 2015 em 22:03

    concordo

  2. Fabiano r

    27 de junho de 2015 em 02:01

    sera q ninguem aki e normal ,, bebe ,fuma e fode , so sabem ficar discutindo sobre sobre coisas idiotas e de nerds…

  3. Bella San Otome

    21 de junho de 2015 em 22:47

    OTACOS >>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
    Otacos sao sensuais e tem otacos emos gamers jogadores de LoL e rockeiros
    otacos sao life
    bjuns

  4. Renan Borges

    24 de maio de 2015 em 19:52

    O cara da foto 1 é um viadão!

  5. Vinicius de Oliveira

    10 de outubro de 2014 em 10:00

    não se compara punk com funk, um é bom(punk) e o outro e um lixo (funk)

  6. icaro aron

    2 de junho de 2014 em 17:58

    Não conhecia os bling blings e os indies,o resto eu já conhecia…

  7. Rennan Silva

    16 de março de 2014 em 20:25

    Os modinha sem caráter se ofenderam tudim kkkkkkkkkkk

  8. Renan Kaloczi

    13 de março de 2014 em 14:12

    matéria foi ofensiva, vaga e preconceituosa, pois definir otaku e outros como menções horrorosas foi desnecessário, cada um tem seu estilo e direito de se expressar independente de ser funkeiro, hipster, otaku ou metaleiro…. a época da ditadura já passou brother!

    • Joker 157

      9 de dezembro de 2015 em 18:29

      honrosas.

  9. Eduardo Tordek

    2 de março de 2014 em 10:50

    O que matou na materia foi colocar o “fanqui” carioca comparado com o Punk, caras acho que o Joey Ramone virou no tumulo guando escreveram isto

    • Joker 157

      9 de dezembro de 2015 em 18:28

      pois é, cara, o funk nem se compara ao punk. É como comparar Anitta com Ramones.

  10. Key

    9 de fevereiro de 2014 em 20:40

    Não vejo problemas em emos são apenas pessoas ‘-‘

  11. Isabella Assis

    4 de outubro de 2012 em 13:03

    Tipo o ultimo ali eu sou OTOME e amo Otakus o que, que tem pelo menos n sou funkeira ou coisa desse genero gosto do que eu sou cada um tem sua opinião e gostos diferentes

  12. Elizeu Manoel da Cunha

    3 de outubro de 2012 em 08:27

    Comparar funqueiros a Punks é no minimo demostração de não ter nenhum conhecimento em contra cultura e movimentos Underground, Vocês foram muito infelizes na comparação, pois até hoje o Movimento Punk é visto como uma forma de dar um murro no tédio, lutar contra a opressão de forma inteligente, a maiorias dos Punks da antiga e atuais tem opnião relevante, tem visão politica, a maioria faz faculdade, trabalha dentro de ideários de cultura. E esses funkeiros fazem o quê? Degradação da imagem da mulher, apologia ao crime, as drogas e a todo tipo de violencia fora a detonação em nossa lingua pátria, muitos não sabem nem conjugar um  verbo, sei que possam existir excessões, mas te digo essa comparação foi uma das piores que ja ouvi. . Postura Amigo!

    • Fabiola

      4 de março de 2014 em 11:39

      Concordo com você,comparar o movimento punk com o “funk” chega a ser imoral.Existem sim exceções,que são raras aliás,mas a grande maioria é motivada apenas pelo desejo de fama fácil e -Deus queira- pouco duradoura.

  13. Thiago Pasqualli

    2 de outubro de 2012 em 00:26

    punks vs metaleiros, Oo metaleiro é quem faz panela amigo

  14. Silva Júnior

    30 de setembro de 2012 em 00:40

    Eu não sou preconceituoso más como essas pessoas vivem, num mundo fechado, limitado, é a maio idiotice do mundo
  15. Jeff The Revoltado Killer

    28 de setembro de 2012 em 22:09

    Sou otaku e cosplayer com orgulho o/

  16. Iago Ferreira Lima

    16 de setembro de 2012 em 17:53

    kra como vcs conseguem comprar Punk com funk??????

  17. Mateus Coelho

    8 de setembro de 2012 em 01:47

    SOU OTAKU, O RESTO QUE SE FODA ;-;

  18. theotaku

    7 de setembro de 2012 em 22:53

    Pô, mano. NA BOA. Otaku e cosplay não é muito isso aí não, falô. Eu sou uma otaku realmente assumida, ando com capa na rua e tal, mas cara, tenso esse troço aí. Tá mal explicado.

    • Vinicius de Oliveira

      10 de outubro de 2014 em 10:02

      o que é otaku ?

  19. Lil west evil

    7 de setembro de 2012 em 10:54

    a moda agora e comer a mae do tobi

    • Sherlock Holmes (detetive oculto da Minitsuki Zero)

      7 de setembro de 2012 em 11:01

      to vendo

      • Lil west evil

        7 de setembro de 2012 em 11:04

        entao come ela tambem kkkkkkkkkkkkkkkkk

  20. Israel

    6 de setembro de 2012 em 20:04

      Tudo demais é veneno.O ideal é gostar um pouco de cada coisa.Ser fanático nunca é bom,pois você pode acabar ficando cego a ponto de se tornar um ser ignorante!Gosto de jogar video game,gosto de ler mangás e animes,assim como também gosto de ouvir Rock!
     Apesar disso,ainda terá os xiitas que me chamarão de poser,pois para eles pessoas como eu não devem existir,pois ou você gosta demais de algo,ou então não gosta.Ideias assim são ridículas e formadas por fanáticos ignorantes.
     Por fim,o ideal é você gostar do que gosta sem se preocupar com que os outros acham ou irão dizer.

  21. Psycho The Cat

    21 de maio de 2012 em 21:54

    odeio modinha
    > 8-P

  22. Pedro

    20 de abril de 2012 em 18:57

    cara antigamente o minilua era muito legal…

    os diego discutindo com a galera era muito engraçado kkk

    • Wagner

      20 de abril de 2012 em 19:04

      Tinha que ver um post que o Diego e mais alguns discutiram em vários comentários… Se não me engano era sobre destravar ps3 ou não destravar, jogos piratas… Não lembro agora…

    • Leon S. Kennedy

      20 de abril de 2012 em 18:59

      né isso?

  23. Yago Bittencourt

    17 de abril de 2012 em 10:50

    kkkkkkk Eu já fui From Uk e Cosplay cara. kkkkkkk Hoje olho pro meu passado com um certo teor de vergonha kkkkkkk

  24. Samantha Oliveira Briannezi

    9 de fevereiro de 2012 em 23:11

    OMG O seu lindo do Paul Wentz.

  25. Maldito Jovem do Reggae

    29 de dezembro de 2011 em 22:46

    Eu pensava que indie era indio

  26. Grell Sutcliff

    17 de dezembro de 2011 em 03:38

    que merda…. eu sou uma otaka geek u.ú e não é um estilo

    • John Marston

      27 de setembro de 2012 em 08:22

      é OTOME,poser ¬_¬

    • Guuiga XD

      17 de dezembro de 2011 em 03:46

      Liga naum amore 😉

  27. Anônimo

    5 de dezembro de 2011 em 22:57

    FODA-SE TUDO, SOU OTAKU

  28. Maryane Cristina

    23 de setembro de 2011 em 04:37

    sou indie amo música antiga gosto do estilo europeu é a maioria da músicas que eu curto ngm conhece!!!eu prefiro que não conheçam.

  29. katia constantinopla

    9 de agosto de 2011 em 00:20

    Otaku, pelo que eu saiba, é uma palavra japonesa utilizada para se referir a pessoas viciadas em animes, mangás, músicas e jogos relacionados aos mesmos, de uma maneira tão intensa e profunda que os caras muitas vezes deixam de sair de casa pra ficar assistindo anime ou jogando, por exemplo, e chegam a um ponto de não resistirem à tentação de conversar SOMENTE a respeito de todas essas invenções japonesas.
    Aqui no Brasil utiliza-se erroneamente o termo “otaku” para todo e qualquer admirador de animes e mangás. O termo agora é uma rotulação, o que acho errado.
    Eu adoro anime, mangá, música japonesa, visual kei, mas não sou doente por nada disso. Ao contrário de algumas pessoas malucas eu não tento ser um personagem de anime, nem tento fazer do visual kei meu estilo urbano de me vestir e viver (ser algo que eu tenho plena ciência de que não sou). Não sigo nenhuma moda, apenas uso o que eu tiver vontade de usar.
    Certamente irei usar visual kei algumas vezes porque gosto e acho bonito, mas isso vai depender do ambiente onde estarei. No trabalho, por exemplo, acredito que seja, na maioria das vezes, inviável.
    Com relação ao Emocore, apesar de achar bonito o estilo tenho raiva da maioria dos emos que vejo por esse Brasil, porque quase todos eles usam o estilo só pra aparecer e encher o peito pra dizer “Sou emo”. Se brincar, 80 ou 90% desses “emos posers” nem sabem o que é Emocore de verdade, mas quer porque quer usar isso pra ficar “bonito” e impressionar as pessoas ao seu redor, por ser um visual chamativo. E outra: os caras muitas vezes acham que ser Emo é ser viado ou sapatão. Manolos, isso não tem nada a ver… -_-“

    • Nichollas Vasconcelos

      24 de julho de 2014 em 23:11

      Realmente ‘-‘ gosto de mangás, animes, músicas e jogos e não me considero otaku ‘-‘… apesar de que quando meus amigos se dividem em grupos eu geralmente fico com eles D:

    • Anônimo

      12 de setembro de 2011 em 15:10

      o povão f#deu com o emocore

  30. Anônimo

    26 de julho de 2011 em 16:34

    Otaku não é estilo… Éer cultura ._.

  31. Rickodez

    29 de junho de 2011 em 18:45

    Pin Ups!!
    :DDDD

  32. Shiro

    25 de junho de 2011 em 15:12

    Vou nem ler as merdas que falara sobre emos porque debater com gente leiga é o mesmo que falar com uma porta.

    Emo é uma vertente direta do hardcore,é algo muito underground e a cena real do emo no Brasil é desconhecida pela massa,apenas o Dance of days e uma fase do hateen representam bem o movimento.

    Esse “modismo” que associaram com o emo foram apenas para dar nome a um estilo que a garotada curtia na época,adolescia é uma fase muito idiota da vida,então não culpo os emos da época,mas mesmo assim eu achava ridículo a atitudes e a falta de amadurecimento deles.

    O from uk não existe foi apenas um guri de doze anos que tinha vontade de ser pop e “lançou” o Scene kids no brasil e mudou pequenas coisas no visual e mudou o nome pra From uk (ninguem da gringa sabe nem o que é isso).

    Alem de que o From uk que vocês falaram tem mais relaçao com o Glam e o visual kei do que com emos, digamos até que seria um glam mais urbano e atual.

    • Saulo Borges

      7 de setembro de 2012 em 22:25

      emo chorão vai procurar um canto pra chorar que n seja aki blz 

      • Tkim Tk

        5 de outubro de 2012 em 14:35

        Guri, eu não sou emo, mas, como o Shiro disse, o termo “emo” foi utilizado de forma erronea nesse post. Dizer que ser otaku ou emo é apenas modismo é o mesmo que afirmar que todo skin-head é nazista, sendo que o verdadeiro movimento skin-head de nazista, não tem nada =.= Parafraseando o Shiro-san, esse “modismo” associado ao movimento emo foi apenas uma forma da mídia nomear um estilo que a garotada curtia na época, mas, que não sabiam como denominar.

  33. Lucas Iwasaki

    14 de maio de 2011 em 23:48

    Omg, Otaku e cosplay não são estilos. Não tem nada aver com isso estilo.
    Otaku é Nada. só o termo que usam para pessoas vai para eventos de animes, cosplay é a mesma mais vai vestida de algum personagem. que erro em ‘-‘  corrige isso peloamordedeus! 

    • Necroman

      8 de novembro de 2011 em 19:29

      e o pior é que “otacu” (otaku) significa vindo da terra mãe, ou seja, que é japonês porra

      • Saulo Borges

        7 de setembro de 2012 em 22:28

        otaku e sim uma cultura antes de postar algo pesquisa blz

  34. Aida Saadeh

    31 de maio de 2010 em 16:54

    Se interessar…Marco ou Cassiano…
    http://minilua.org/dicionario-pratico-portugues-japones/
    Abços

  35. cassiano mello

    31 de maio de 2010 em 00:07

    Eu não gostei das “menções horrorosas’, eu sou um otaku assumido e acho cosplay bem legal! *-*

    • Nichollas Vasconcelos

      24 de julho de 2014 em 23:08

      hoNrosas

    • Isabele Gonçalves

      9 de fevereiro de 2014 em 13:51

      OTOMES,OTAKUS,COSPLAYES…SÃO TODOS FODAS^.^

    • Isabella Assis

      4 de outubro de 2012 em 13:03

      Somos 2 eu sou otome

    • Felipe Santiago

      2 de outubro de 2012 em 22:53

      Leia de novo e vera que não é ‘honrosas'(de honra) e não ‘horrorosas’  XD

    • Flandre Scarlet

      22 de setembro de 2012 em 18:38

      Velho….

      Honrosas nao horrorosas
    • Saulo Borges

      7 de setembro de 2012 em 22:23

      eu tbm otaku nem cosplay tem nada aver com essa tal de 
       “menções horrorosas”

    • Soul Eater

      7 de setembro de 2012 em 17:30

      Honrosas ( honra ) e ñ horrorosas ( horror )  ‘-‘

    • Anônimo

      12 de setembro de 2011 em 15:09

      tava escrito “menções honrosas” DAHSDIUASHHASUDHASUIDHASUIDHAUISHDASUIHDDUSAHDIUASHIUDHASHD fail

    • Guilherme Borges

      29 de abril de 2011 em 17:36

      Cara ele escreveu honrosas e não horrorosas
      mas eu li horrorosas tbm

    • Marco Aurelio

      31 de maio de 2010 em 00:11

      ow o q é otaku?

      • Aida Saadeh

        31 de maio de 2010 em 16:40

        Oi! N vou te deixar curioso! Vi vcs debatendo e tive q me meter (tentei me conter em vão)…rsrs “O que é um Otaku”, é o post q tem aqui e sou a autora dela, não é ofensivo…explica bem as características de um Otaku e sua repercussão aqui no Brasil. N quer dizer q tenha q se vestir daquele modo ou q seja um nerd… por gostar das coisas q um otaku gosta, pois as coisas num outro país costumam ganhar novas proporções, principalmente em culturas tão distintas! Acho q independentemente disso as pessoas mudam pq amadurecem, evoluem. Tribo é coisa de adolescente, nós somos sociáveis e nos adaptamos, nos transformamos. Como dizia Raul “prefiro ser essa metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo”. Também é estranho dizer: “eu odeio os pagodeiros” (mero exemplo), porque eu sequer conheço a todos eles! E n posso simplesmente odiar um grupo inteiro de pessoas por terem gostos diferentes dos meus…aliás “odiar” é uma palavra forte demais, até pq aprendemos a selecionar as palavras pq como humanos q somos vivemos voltando atrás no q dizemos…”odiar…odiar”… Tbm não é o modo de vestir que determina um ser…isso sim é ser “poser” (para quem gosta do termo), pq eu pessoalmente acho uma bobagem…as pessoas gostam do que gostam, independente de “tribos”, idade, religião ou qualquer outra categoria que se possa filtrar! O preconceito…sempre o velho preconceito…parecia hipocrisia se falar em igualdade. Uma piada n requer tanto cuidado qto uma afirmativa!

      • cassiano mello

        31 de maio de 2010 em 00:12

        tem uma matéria aki no blog sobre isso.. pesquasa láh. -.O

        • cassiano mello

          31 de maio de 2010 em 00:12

          pesquisa*

          • Marco Aurelio

            31 de maio de 2010 em 00:18

            entendi, vc é um kara fanátiko por alguma coisa e não sabe lhe dar com as pessoas na realidad!

            e acho legal tbm cosplays!

            só q ñ sou como vc BP

          • cassiano mello

            31 de maio de 2010 em 00:24

            só concluindo: eu sou viciado em mangás e animes. e me dou muito bem com as pessoas^^ vlw!

          • Diego Martins

            31 de maio de 2010 em 00:23

            Eu não sou fanático, só que quando a gente gosta realmente de uma coisa e vive por ela, nós notamos quando alguém está se metendo nela só por que ela está na moda, ou por que os amigos dessas pessoas fazem.

            Engraçado que todos os emos que vão nos bares hoje em dia, há 4 anos atrás nunca chegaram perto.

            Você entendeu, ninguém gosta que pessoas que não estão realmente interessadas por sua causa venham se meter apenas para se aparecer, quero pessoas que realmente estejam envolvida, pessoas que dauqi dez anos eu vou converssar e els ainda vão curitr as mesma coisas, não pessoas que daqui a cinco anos vao estar embutidas na próxima modinha.

          • Cherry

            6 de janeiro de 2012 em 04:02

            Bom, eu sei como é esse negócio de gente que curte uma coisa só pq tá na moda e tals pq minha prima ela viro emo, ela diz amar de paixão a banda Slipknot(banda que eu sou fanática) mas garanto que ela nao sabe nem 1 terço oq eu sei sobre a banda, ela é uma dakelas pessoas que começou a curtir o slip por causa do rock in rio (gente que eu chamo de maggot de ‘RIR’)…
            Bom, eu sei como é não gostar quando alguem gosta de coisas que nós gostamos pq elas estão na moda…é foda…
            bom, eu sou emo e tals, mas tipo, eu nao curto coisas que tão na moda, nao me visto com roupas que tão na moda, eu nao tenho franja escorrida, nao frequento bares, nao fico chorando pelos cantos, eu simplesmente fujo desse padrão de emos, eu nao curto modinhas pq isso estraga as coisas…
            espero nao ser chingada, só estou dando o meu ponto de vista 😉

          • Leonardo Prado

            28 de janeiro de 2012 em 19:27

            bem mas as vezes é por causa da moda que encontramos coisas do qual gostamos como eu e o mortal kombat

          • Núbia Nascimento

            14 de agosto de 2012 em 04:20

            concordo… 
            são inúmeras as coisas que comecei a gostar pq virou moda, e por meio dos modistas eu conheci… e continuei gostando, pq qndo eu gosto de uma coisa é pra valer… 

          • cassiano mello

            31 de maio de 2010 em 00:28

            entendi e tbm concordo kom vc nesse sentido. eu sou fã de mangás, e hj em dia tem pessoas q tbm se dizem fãs, mas na verdade só estão aí para acompanhar a modinha de naruto ou outra qualquer. nota: eu nem gosto de naruto (acho mt parado). ^^

  36. Guilherme Torres de Carvalho

    25 de maio de 2010 em 20:35

    não sou preconceituoso, mas tem hora que não consigo encarar os emos.

    • Akuma Chibito

      28 de fevereiro de 2012 em 01:36

      Eu não sou emo – por mais que me encham o saco dizendo isso, ou me chamando de gótica pela escola – , mas não tenho nada contra eles. Modismo é um saco, por mais que, às vezes, nos ajude. Não tenho preconceito com nada (o mais próximo é ficar fula com os funkeiros ou os babacas que ficam ouvindo melody sem fone), mas também sou a peste com estereótipos – o famoso loiro perfeito, o nerd patetão, a loirinha linda e desejada e tals – porque é uma estupidez, pelo menos para mim. Esse negócio de modinha é ridículo. Eu poderia gostar legal do Justin Bieber se ele não fosse modinha, poderia gostar dessa onda de cabelo com franjinha para o lado e liso, se não fosse modinha… UFC eu gosto porque meu irmão é lutador e luta desde os 12 anos, e ele me apresentou isso como a paixão e meta dele faz tempo. Eu não sou “desligada do mundo da moda”, nem “desconectada das novidades”, simplesmente não quero adorar algo que amanhã eu basicamente odeie.
      ~Lory_Iory.:~~

      • Núbia Nascimento

        14 de agosto de 2012 em 04:15

        concordo com vc em parte… mas nada a ver vc não gostar de alguma coisa simplesmente por ser modinha.. ou vc é mais uma daquelas monopolizadoras de gostos??? 
        Digo uma coisa, não gosto de Justin Bieber pq eu acho ruim, se fosse bom eu curtiria sendo modinha ou não. UFC virou modinha, mas nem por isso eu assisto, não curto, mas tb não saio por ai falando mal.. 
        Enfim, faça o que vc gosta independente de ser modinha ou não, se vc realmente gosta, vc vai continuar usando a roupa, ouvindo a banda, vendo o filme, ou sei lá o que.. Quem faz por modinha, um dia deixa de fazer. Simples assim!!! 

        • duvidoso

          22 de setembro de 2012 em 00:43

          ja pensou no fato da pessoa gostar de seguir os modismos?

    • Leonardo Prado

      28 de janeiro de 2012 em 19:21

      por favor nao me chamem de gay e nem nada mas acho que heavy metal é meio emo

    • cassiano mello

      31 de maio de 2010 em 00:05

      O que q vc tem contra os emos? o q eles te fizeram??

      • Diego Martins

        31 de maio de 2010 em 00:13

        Eu tenho a resposta para você.

        Eu escuto rock há pelo menos 10 anos, frequento os bares de rock, uso all star, roupa preta.

        É isso que os emos fizemram de errado, transformaram os lugares, as roupas, as coisas todas que quem realmente curtia o som em modismo. Eles são ridículso por isso eu prefiro vê-los mortos.

        Por que estão nos bares que eu ia, usando as roupas que eu usava, mas isso é apenas modismo dauqi a dois anos nenhum deles vai estar mais lá, apenas sujaram os lugares, as roupas e foram como todos os modismo, por isso emos são ridículos.

        Esse é o grande problema, eu não me importo com modistas de outras tribos, pois eles não influenciam minhas vida, já os emos sim.

        Eu não quero modista no luagres que eu vou, usando as roupas que eu uso, simples.

        • duvidoso

          22 de setembro de 2012 em 00:42

          acertou em cheio em…

          agora em 2012 nem tem mais emos 🙂
          • Ricardo Latorre

            27 de setembro de 2012 em 00:07

            Cara . . . Sumiram os emos , mas quem apareceu ??

            Os Funkeiros
            You are kidding me ??
        • cassiano mello

          31 de maio de 2010 em 00:15

          respeito sua opinião e obrigado pela resposta! 😀

          • Diego Martins

            31 de maio de 2010 em 00:15

            Sem problemas. ^^

          • Anônimo

            12 de setembro de 2011 em 15:08

            orra Diego, eu tambem nao gosto dos emos e curto rock, agora, você falar que “prefere vê-los mortos” é um super exagero né -.- porfa’

83 Comentários
mais Posts
Topo