Minilua

A montanha da perdição

O monte Hua Shan seria uma montanha como outra qualquer, mas sua história a transformou em um monte especial, cheio de caminhos e trilhas perigosas, que levam muitos até a morte.

História

Dois séculos antes de Cristo, Hua Shan transformou-se em um símbolo religioso, pois as pessoas acreditavam que o deus do submundo chinês vivia nela. Essa crença fez com que templos fossem construídos aos pés do morro e a peregrinação de fiéis começasse.

Muitos peregrinos, além de visitar o templo, desejam explorar a montanha, por isso, com o passar dos anos, caminhos foram abertos pelos monges, para facilitar a vida de quem desejasse ver o nascer do Sol lá de cima.

O caminho da morte

Na época em que foi feito, esse caminho era percorrido apenas por monges e pessoas com um enorme senso de aventura. Conforme a economia local melhorava e os jovens ganhavam espaço para fazerem algumas loucuras, Hua Shan começou a receber muitos visitantes, o que ocasionava inúmeras mortes.

O caminho feito pelos monges antigos é precário, contando com algumas madeiras pregadas na parede do morro e correntes para ajudar no equilíbrio. A primeira parte do trajeto é feita por uma escada entalhada na própria montanha, mas, a partir de certa altura, tudo fica por conta desses estreitos pedaços de madeira:

Vendo esse problema, o governo chinês implementou melhorias, com caminhos mais seguros, e um teleférico foi construído para os mais medrosos. Mesmo assim, quase todo mundo que visita a montanha deseja fazer o caminho clássico e perigoso.

Não se passa muito tempo sem que alguma morte ocorra no lugar, por isso, esse lugar é tratado como o caminho da morte pelo povo chinês.