Minilua

Monte a sua matéria: Aborto – Você é a favor ou contra? #71

Bem, e de antemão, gostaria de agradecer por todo carinho recebido. Sem vocês, acreditem, nada disso faria sentido. E-mail de participação: equipe@minilua.com

Aborto: você é a favor ou contra? 

Por: Marcos Cardoso

Sem dúvida esse é um tema para refletir consigo mesmo. Quando a ideia de aborto vem à cabeça, logo se pensa em assassinato, não um qualquer, mas sim de um inocente. Talvez você pense de outra forma: Como um ser que ainda não tem ideia do que é viver, pode sofrer com sua morte? Mas não vamos gastar linhas com debates.

O que podemos fazer é entender os diversos casos em que o aborto entra: estupro, gravidez precoce, gravidez de risco, prostituição, condição financeira ruim, etc. Dentro de cada contexto existe um motivo para se praticar o aborto. Para os que defendem, uma vitima de abuso não tem culpa do ocorrido, em gravidez precoce geralmente serão mães solteiras e com condições desfavoráveis ao desenvolvimento de uma criança.

Porém nada disso muda o fato de que o pequeno ser humano é inocente. Então como resolver esse problema?  Deixar esses pequenos nascerem e serem (mal)criados por mães sem condições? Ou matar todos para que não se tornem um mal na sociedade por falta de uma boa educação? Com certeza as duas opções são ruins.

O problema desse tema é que as pessoas pensam sempre de forma ético/moral sendo que é uma questão social ou seja, em vez de discutir o certo ou errado, deve-se ver a base do problema de forma que seja possível resolvê-lo.

Imagine, porque a mulher aborta? Em noventa por cento dos casos é por não ter condições de criar um filho. Já que não pode criar então porque não se cuidou? Irresponsabilidade? Falta de informação? Falta de uma boa educação? Julgaremos este último como mais importante, afinal como ter responsabilidade e informação sem educação?

Pensando nisso vemos onde está o problema, educação de má qualidade, tanto por parte da família como por parte das escolas. Jovens com intelecto menor, faz com que surja um efeito em cascata, já que ficam cada vez mais suscetíveis ao apelo sexual das mídias, seguem musicas imorais, letras que induzem à traição, sexo, libertinagem, etc.

Acontecendo assim uma inversão de valores na sociedade, o que antes era certo, agora é visto como antiquado. Décadas atrás exigia-se que a noiva fosse virgem, a mulher que perdesse a virgindade antes do casamento era vista com desprezo. Já nos dias atuais ser virgem aos quinze é motivo de chacota.

Sendo assim pode-se entender a trilha: Má educação> falta de intelecto> tendência a ser manipulado pela sociedade> iniciação sexual precoce> gravidez indesejada> possível aborto. Dessa forma passamos a ver o aborto não como problema em si, mas sim como consequência de um problema, “causa e efeito”.

Dessa forma volto a perguntar, você é a favor do aborto? Simplesmente proibir ou liberar não é suficiente para resolver esse assunto o que realmente deve ser feito é tratar a “doença” e não o “sintoma”. Só assim veremos um resultado satisfatório.