Monte a sua matéria: Games que poderiam ser feitos #159

É, e entre os temas, não faltam opções. Ou melhor, cinema, games, música, enfim! Sinta-se à vontade a participar. O e-mail de contato: [email protected]! A todos, uma excelente leitura!




Games que poderiam ser feitos




Por: Li Syaoran

Atenção para possíveis spoilers!

Bons jogos não precisam necessariamente vir de uma ideia original. Quem aqui não se lembra do Aladdin para SNES e Mega Drive ou do 007 Goldeneye para Nintendo 64? Filmes, livros, séries de TV, etc. A origem para o conceito de um jogo pode vir de qualquer lugar. Nessa matéria, darei ideias para a criação de jogos a partir de uma série de livros/filmes que vem conquistando cada vez mais fãs e aceitação da crítica: Jogos Vorazes.

Jogos Vorazes já possui games: o plataforma Hunger Games: Girl on Fire para Android e iOS e um horrível jogo social para Facebook. Eu estou falando de um jogo “AAA”, um jogo feito para consoles e PCs da geração atual. O maior obstáculo para sua realização é o público alvo: a maioria dos fãs da saga não se interessa por games enquanto a maioria dos gamers não se interessa pela série; há um grande um risco de “flopar”, por assim dizer.

Mesmo assim, os lucros com os filmes superam todas as expectativas e há rumores de que inclusive farão um parque temático sobre a série (!!!). É provável que façam um jogo sobre a saga mais cedo ou mais tarde, e se forem fazer, que façam direito.

Em primeiro lugar, quero dizer que os jogos não deveriam tocar no tema da Revolução, pois só haveria dois gêneros possíveis para cobrir esse assunto: FPS ou estratégia. Em nenhum dos casos a saga forneceria algum diferencial que permitisse que seus jogos competissem com as marcas tradicionais do mercado.

O ideal é, portanto, focar nos Jogos Vorazes em si. Mais especificamente, nos anteriores ao septuagésimo quarto. O jogador deveria sobreviver à Arena através de todos os meios possíveis: ele precisaria de comida, água, proteção contra o clima e contra qualquer outra ameaça que os Idealizadores preparassem sem esquecer, é claro, dos outros tributos.

Antes de continuar (perdão pelo artigo excessivamente longo), seria interessante discutir se o jogo deveria ser single ou multiplayer.

Num singleplayer poderíamos criar uma ótima história usufruindo dos dilemas morais acerca dos Jogos, dar personalidades aos outros tributos e fazer com que suas mortes sejam necessárias, mas dolorosas. O problema é que o jogo seria curto e fácil demais: dos 23 inimigos, no mínimo 10 morreriam no início; mesmo que você fosse um tributo fraco sem nenhuma habilidade especial, os seus inimigos não seriam nenhum tipo de “boss”, tampouco teriam um exército de ajudantes. Jogadores mais habilidosos poderiam acabar com o jogo nos minutos iniciais sem desfrutar da maior parte do jogo.

Num multiplayer perderíamos as reflexões sociais que a saga proporciona, mas ganharíamos em mecânica. Se um jogador passou uma partida simplesmente matando todos na Cornucópia, tudo bem, mas em alguma partida ele precisará (ou decidirá) se embrenhar na natureza e explorará as mecânicas de sobrevivência. Partidas com jogadores mais “hardcore” poderiam durar horas, pois eles utilizariam de tudo o que o jogo oferece nas mais mirabolantes estratégias. Por causa disso, creio que o melhor é que o game dos Jogos Vorazes fosse multiplayer.




Distritos

O melhor seria que os jogadores pegassem um distrito aleatoriamente e então lidassem com isso, mas como jogadores online gostam de liberdade seria bom permitir que escolhessem seu local de nascença. O importante é dar-lhes diferentes habilidades: os carreiristas (distritos 1, 2 e 4) seriam mais fortes e hábeis com armas, mas precisariam de mais comida por não serem tão acostumados com a fome quanto os tributos de distritos pobres.




Alimentos

Poderiam ser obtidos por meio da caça, pesca ou coleta. Tributos do Distrito 11 (agricultura) saberiam reconhecer frutas venenosas enquanto os do Distrito 4 teriam facilidade na pesca. Os do Distrito 10 poderiam usar seu conhecimento em pecuária para rastrear animais.




Água

Conseguir água poderia ser ridiculamente fácil ou insanamente difícil. Colocar um lago ou um riacho é uma excelente forma de provocar o encontro entre os jogadores. Em um cenário desértico cada gota valeria ouro; em outro, poderíamos forçar os jogadores a derreter gelo ou presenteá-los com água por todo o canto, mas envenenada.




Proteção climática

Em uma Arena o tempo pode instantaneamente variar de ensolarado para polar, tempestuoso, árido ou qualquer outro; portanto, seria fundamental conseguir itens como roupas térmicas, sacos de dormir, fósforos (esses seriam extremamente perigosos) e talvez até trajes impermeáveis no caso de uma Arena cheia d’água.




Idealizadores

O que pode ser mais perigoso do que a sede por entretenimento? “Bestantes”, terremotos, avalanches e tudo o que a mente de um sádico tem a oferecer pode ser utilizado para dar mais dinamismo às partidas. É claro que isso não deve ser feito a toda hora para não deixar os jogadores frustrados, mas seria legal surpreendê-los de vez em quando.




Armas

Se o jogo será sobre uma competição mortal, é óbvio que as armas merecem atenção especial. Os distritos 1 e 2 seriam os melhores com quase todos os tipos de arma enquanto o 4 seria especialista em lanças e o 7 em machados. Mas não existiriam apenas as armas da Cornucópia: pedras, lanças de madeira, venenos, tijolos, vergalhões, correntes, etc. Vale tudo na disputa pela sobrevivência.




Armadilhas

Fazer uma armadilha seria uma excelente forma para matar animais, mas porque se manter só nos animais? Os jogadores poderiam soltar a imaginação: cipós, buracos com estacas ou mesmo atrair o oponente para os bestantes. Tributos do distrito 3 poderiam fazer peculiares armadilhas com aparelhos tecnológicos, mas seria difícil obtê-los na maioria das Arenas.




Arenas

Em um jogo de sobrevivência é fundamental pensar em como o ambiente interage com o jogador. O ideal é que as Arenas fossem criadas randomicante a cada partida, mas aí seria necessário sacrificar gráficos. Por causa disso os locais do jogo deveriam ser selecionados aleatoriamente de um grupo de dez ou quinze.




Evolução

Em um jogo online é necessário gratificar o jogador pelo esforço dedicado, por isso pode-se utilizar um sistema que dá EXP para cada realização durante o jogo (matar um animal, matar um jogador, armadilha funcionar em animal ou jogador, etc.) e depois redistribuir os pontos em habilidades como arremesso de facas e disparo com arco e flecha (aumentaria dano, precisão e agilidade), carisma (aumenta sua chance de receber presentes dos patrocinadores), escalada, furtividade, força, criação de armas, de armadilhas (torando-as mais variadas, discretas e mortais) e quem sabe até camuflagem.

Agradeço a leitura e a compreensão. Talvez eu continue sobre a série e dê outras ideias para jogos. Deixe qualquer opinião, crítica ou sugestão nos comentários.

  1. Gus-Cross

    14 de janeiro de 2015 em 16:15

    Resumindo vc quer um far cry de hunger games. Acho que seria interessante um jogo de percy jackson e supernatural,
    Pra esses jogos prestarem só se fosse feito pela ubisoft ai sim ia ficar foda.

  2. arthur mendes

    29 de dezembro de 2014 em 20:41

    Já que games sobre filmes não prestam poderiam começar a adaptar direto dos livros,tem tanto livro fantástico que renderiam jogos excelentes livro como o nome do vento,a roda do tempo,the tyrants law etc

  3. Princesa Elsa

    29 de dezembro de 2014 em 19:48

    Acho que deveriam fazer um jogo do meu filme,até porque eu com todos esses poderes…Adoro X-men,queria entrar,Lerigou…

  4. Jibril

    29 de dezembro de 2014 em 19:37

    E eu achava q só eu pensava nisto..

  5. Gabriel Frigini

    29 de dezembro de 2014 em 19:20

    seria ótimo!!

  6. Li Syaoran

    29 de dezembro de 2014 em 17:47

    Muito obrigado por publicar minha matéria Jeff!!! Esqueci de desejar-te um Feliz Natal, então gostaria de desejar a todos um Ótimo Ano Novo!!!

  7. FunkyMiniluaCat

    28 de dezembro de 2014 em 19:53

    Bem fazer um jogo perfeito e cheio de dinâmicas seria difícil. SE o cenário fosse 70% controlado pelo jogador o jogo ia ter uma infinidade de bugs, mas seria interessante a ideia poder caçar pescar montar estrategias de combate e tal, como eu disse com tantas mecânicas novas no jogo ia ter muitos bugs e ia sair beirando uns 30 gb.huehue boa matéria jeff eu gostei…^^

    [img]http://i983.photobucket.com/albums/ae315/mkesington/codghost_zps2ef17a32.jpg[/img]

    • Neko-san

      29 de dezembro de 2014 em 14:55

      30 gb??????????
      30 gb tem bf4.
      Nesse caso ultrapassaria os 100 gb facinho.
      Por que vamos pegar um exemplo o DayZ, ele tem várias opções como construir carros, fazer armas, caçar, matar outros jogadores, formar grupos, possui barra de sede, fome e vida, você pode usar sacolas de sangue (não sei se é o nome certo), remédios e outras coisas. Ok até ai não corresponde uma pequena porcentagem da idéia do jogo, mas o DayZ ja possui uma,infinidade de bug, ele possui um gráfico bom até.
      Mas vamos voltar ao jogo do Jogos Vorazes, segundo a idéia tem a opção de comer, caçar, criar armadilhas, venenos, usar armas, beber, usar o cenário em si, por que pelo o que eu entendi se você tem uma arvore você meio que pode criar uma armadilha, mas ta beleza até ai você pode criar um joguinho bom só com essas características, mas ai entra um problema proteção climáticas e os cenários em sí. Um jogo com inumeras mecânicas não tem como ter proteção climática e um cenário com tantos detalhes simplesmente não funciona nos PCs Gamers mais comuns hoje em dia, afinal um PC gamer comum raramente vai rodar BF 4 no Ultra imagina rodar um jogo desse.
      Tem inúmeras coisas que torna o jogo impossivel hoje em dia, como os que eu ja citei como outros, como por exemplo o tempo de desenvolvimento, pegamos o DayZ de novo, ele até hoje não lançou a versão oficial, tanto que se você consegue ver inúmeras críticas em relação a isso.
      Não vou me estender muito, mas é isso.

      • FunkyMiniluaCat

        29 de dezembro de 2014 em 15:21

        Entendo cara.Explicou melhor que eu.huehuee. um like ae pa tú.

  8. Blue

    28 de dezembro de 2014 em 19:32

    Não leio a saga, mas a ideia do jogo parece interessante, legal, até o dinheiro subir à cabeça dos desenvolvedores, aí inventam um dinheiro virtual que é comprado com dinheiro real e pedem o seu dinheiro pra tudo.

    • José Lucas

      28 de dezembro de 2014 em 23:06

      por isso é melhor pagar uma caralhada de dinheiro e ter tudo de uma vez só, porque é uma bosta competir com o cartão de credito do pai de alguém 🙁
      pelo menos o tempo passa e o sr. Gabe nos dá desconto no fim das estações

  9. Garota Infernal

    28 de dezembro de 2014 em 17:59

    Mas que coisa, não?

  10. Josh Giovanni

    28 de dezembro de 2014 em 16:34

    Acho que a produtora que deveria fazer o jogo deveria ser a Warner,porque ela usaria os dubladores BR para o jogo e eles são bons demais no que fazem,o jogo Injustice por exemplo ficou foda,e outra coisa,eles não iriam jogar qualquer coisa no jogo e deixar o gráfico ruim, porque se fizeram “com pressa” por causa da audiência do filme, o jogo vai sair que nem o jogo do The Walking Dead Survival Instinct, eu adoro o jogo por causa da série, mas todo mundo fala que o jogo é péssimo,então se for pra lançar um jogo desse filme/livro a empresa vai ter que ser top…..a Rockstar deveria apostar nessa ‘rsrs

  11. Tio Page

    28 de dezembro de 2014 em 16:06

    O mercado de games está muito cheio, disputas e rivalidades em todos gênero. Tenho PC leve pa jogar um outlast e ps4 onde jogo fifa, farcry e gta então nem gastaria para comprar um jogo desses.

  12. Little Uchiha™

    28 de dezembro de 2014 em 15:45

    Não curto isso ae, mas se o povo relacionados a isso ae eles poderiam muito bem fazer um jogo para os fãs.

  13. Jeff Dantas

    28 de dezembro de 2014 em 15:43

    Bom, se merece ou não, eu não sei…Mas que adorei essa imagem… 🙂 hummmmmmmmm http://static.minilua.org/wp-content/uploads/2014/12/3e8a8f5c15b779ed0f53841a7c8a4bcb.jpg

    • Garota Infernal

      28 de dezembro de 2014 em 18:04

      Não importa o post. Pode ser sobre tudo, Jeff sempre comenta sobre a estranha divindade na persona feminina. Mesmo que a matéria seja sobre batatas.

      • Blue

        28 de dezembro de 2014 em 19:28

        Sim, é incrível, ele coloca uma foto de uma batata sensual e falaria sobre o fetiche por batatas que a maioria nem sabia que existia, a Bíblia dele é o Kama Sutra.

        • FunkyMiniluaCat

          28 de dezembro de 2014 em 21:17

          Agora faz todo sentido blue.kkk

          [img]http://api.ning.com/files/kdIK1UGXpELN6fRMLUzSKb0hCbcMrA2zF0nE5deabwyxnj2vZK0cEaCpp32HsX3Y5L9Opdz39yLsxxiWy597w5uq0Yaj3ssD/batata79a1.jpg[/img]

    • Little Uchiha™

      28 de dezembro de 2014 em 15:47

      Sei muito bem o q c adorou(karinha aquela)
      Aposto q foi um dos primeiros a baixar as fotos roubadas rsrd

  14. Caciano Genz

    28 de dezembro de 2014 em 15:40

    sei lá, eu so jogo mk4 no pc e ainda raramente…

    • Jeff Dantas

      28 de dezembro de 2014 em 15:43

      Nossa, mas pq? Falta de tempo? ^^

      • Caciano Genz

        28 de dezembro de 2014 em 16:58

        isso ai, e de dinheiro tambem..

23 Comentários
mais Posts
Topo