Monte a sua matéria: O primeiro nós nunca esquecemos #165

E lembrando mais uma vez, que todos os temas são aceitos: política, esporte, religião, enfim! Sinta-se à vontade ok? O e-mail de contato: [email protected]! A todos, uma excelente leitura!




O primeiro nós nunca esquecemos

Por: Evandro Elias

girl 1

Titulo sugestivo não?! Realmente é muito difícil esquecer, pois normalmente o primeiro você termina lá pelos 11 ou 12 anos, e na minha época (é, sou velho) era um marco significativo, e realmente abriu minha visão para um novo mundo. Sim, eu estou falando de mangá.

A minha primeira experiência com mangás eu tive aos 11 anos, em 2001, conheci um cara que tinha uma coleção quase completa em Tankohon ou Tankōbon (mangá encadernado, como conhecemos) ou como você preferir, eu emprestei os primeiros volumes e decidi ler aquela história, o mangá se chama Video Girl Al.

A história tem vários clichês dos mangás Shonen que nós conhecemos, porém aquilo me prendeu, estava passando por mudanças e claro tive meu primeiro amor (platônico), cai no profundo abismo da “friendzone” e se não bastasse isso eu era parecido (na personalidade) com o protagonista e ela, a garota que eu gostava, era parecida (fisicamente) com a heroína.

girl ok

Então já viu, foi como ver minha história sendo contada. Eu cresci muito com a leitura desse mangá, não, não namorei meu primeiro amor, mas terminei com dignidade pulando fora da zona fantasma..

Enfim, Video Girl Al conta a história de Youta Moteuchi um adolescente que mora praticamente sozinho, pois seu pai vive viajando. Ele é apaixonado por sua colega de classe Moemi Hayakawa que, por sua vez, gosta do melhor amigo de Youta chamado Takashi.

Youta é conhecido por não ter habilidade nenhuma com as mulheres e, por deixar que revistas de moda masculina ditem como ele deve agir e se vestir. Moemi o considera um amigo e num passeio com os colegas de turma, Moemi revela para Youta que ama seu melhor amigo. Youta, por sua vez, esconde seus sentimentos e promete ajudar Moemi.

Arrasado e sem saber o que fazer, mas se sentindo feliz por poder ajudar Moemi, Youta acaba encontrando uma vídeo locadora chamada Gokurai (vídeo locadora paraíso), essa vídeo locadora só aparece para os puros de coração e tem como função oferecer a eles conforto, esse conforto é oferecido através das “videos girls” que são garotas criadas para satisfazer os principais desejos dos homens (sim, todos eles! e não, o mangá não tem sacanagem)…

Depois desse encontro Youta escolhe a fita de uma garota chamada “Ai” e, a partir dai sua vida muda drasticamente. Esse é uma shonen de romance e drama onde você vai rir chorar, amar os personagens, odiar também, e sem dúvida deve entrar no seu curriculum de Otaku. O mangá teve uma adaptação para anime com seis “ovas” e uma adaptação em Live Action (que ainda não assisti).

  1. Reinaldo

    9 de março de 2015 em 11:57

    Interessante a proposta do post

  2. Rafa Anjos

    7 de março de 2015 em 18:07

    Muito bom sua história,comigo foi a mesma coisa em relação ao mangá, no qual foi meu primeiro,que amei,ri,enfim me emocionei com a história

  3. P Pierrot

    3 de março de 2015 em 07:53

    Já li e é excelente. Existe também uma sequencia chamada Video girl Len.
    Eu nao vi nem o anime e nem o live action .–.

    • Fabricio Santos

      6 de março de 2015 em 03:16

      Nem perca seu tempo com anime achei fraco perto do manga…

    • Fabricio Santos

      6 de março de 2015 em 03:13

      Olha quando vi a capa desse Mangá na Banca o primeiro volume achei tosco e mesmo assim comprei já tem muitos anos e nossa me surpreendi com a historia é muito engraçada, triste… Naquela época não era tão clichê não até porque único com estilo levemente parecido era Love Hina.
      Eu tenho todos os volumes até hoje inclusive Video girl Len.

  4. Hisoka Malvino

    2 de março de 2015 em 23:56

    Eu também adorava o manga!!

  5. DCemblemático

    1 de março de 2015 em 11:37

    Tem que se muito bosta para ler mangá :v sem mimimi gente he-he-he

    • Ferto Malis

      2 de março de 2015 em 10:35

      mimimi

  6. Blue

    1 de março de 2015 em 00:21

    Nunca li mangá, cidade pequena, já é difícil achar quadrinhos, mangá então acho que nem tem, vou começar a ler digital. Assisto animes, estou assistindo dois agora: Parasyte -the maxim-, ficção científica, sobre um garoto que tem o braço direito tomado por um alien de uma espécie que toma conta de cérebros de humanos e come outros humanos, é muito interessante, tem questões filosóficas sobre a humanidade, e Gintama, comédia, é incrível, engraçado, com vários tipos de humor e referências, fazendo várias piadas com clichês clássicos.

  7. Marcos Gonçalves

    28 de fevereiro de 2015 em 19:38

    meu primeiro foi another comprei a coleção completa na comix q estava em promoção e é um manga incrivel. hj em dia coleciono varios titulos, o maior problema é o dinheiro para conseguir n perder nenhuma edição e achar alguns volumes que sairam a muito tempo mas mangas são incriveis.

  8. Caciano Genz

    28 de fevereiro de 2015 em 17:36

    Serio! Onde diabos eu vou conseguir comprar um manga físico nesse fim de mundo? mas falando da nostalgia da coisa, eu li Hunter hunter por inteiro em um telefone muito simplezino onde tinha que ficar apertando nas setas pra ver na tela minuscula..

    • Junior Fodastico

      28 de fevereiro de 2015 em 18:45

      HUnter x hunter vale a pena mangá nota 10

  9. Mutley

    28 de fevereiro de 2015 em 16:34

    Aqui na minha cidade , acho que só vendem mangá numa banca que fica dentro da rodoviária , mas só tem do gênero ”romance” =P

  10. Little Uchiha™

    28 de fevereiro de 2015 em 16:25

    CHUPA!!! seja lá quem seja a garota Q tu disse.
    Até hoje nunca li nenhum mangá físico, digital só Naruto.
    De anime só yugioh, Dragon ball e Naruto posso dizer q realmente assisti, alguns só belisquei.
    Parece bom, mas achei a parte da víd . Girl meio desnecessária, a história apesar de já existir aos montes já dá um bom pano pra manga, lembrou a lista dos animes mais estranhos.
    Eu gosto de histórias assim, q tenha uma “vadia”, pq eu fico torcendo pra mulher quebrar a cara mas geralmentE ele volta abanando o rabo.
    E pode ser contraditório mas tem um filme q eu gosto 500 dias com ela, em q o cara fica um caco mas é bem melhor q aqueles mentirosos em q no meio ta perdido mas no final dá certo, bem, la tbm dá certo mas de um jeito diferente.

  11. meu nome é um grande texto que não faz sentido e que faz apologia a drogas e sexo, mas nem todas as drogas, esse nome não faz apologia a droga que é o DC he-he-he, onde será? que eu posso chegar aqui no nome, pois é óbvio que em algum momento o esp

    28 de fevereiro de 2015 em 16:05

    Por isso o allen acha: Mangá >>>>>> HQ’s e hentais >>>>>>> mulheres. Assim como eu

    • Allen Walker

      1 de março de 2015 em 23:28

      wat? Mangá>>>>>>>>>>HQ tudo bem, mas Hentais>>>>>>>>Mulheres eu nunca disse isso o.O

    • DCemblemático

      1 de março de 2015 em 11:36

      Assim tu mágoa meus sentimentos :'( he-he-he

      • meu nome é um grande texto que não faz sentido e que faz apologia a drogas e sexo, mas nem todas as drogas, esse nome não faz apologia a droga que é o DC he-he-he, onde será? que eu posso chegar aqui no nome, pois é óbvio que em algum momento o esp

        1 de março de 2015 em 13:04

        vamo comer o bolo de 450 metros.

  12. Jeff Dantas

    28 de fevereiro de 2015 em 14:43

    • Dante "Mad God" Crowlley

      28 de fevereiro de 2015 em 18:47

      Só trabalhava nos hentai? :V Eu curto pra caraio a JBC

20 Comentários
Topo