Minilua

Monte a sua matéria: Os maiores e piores filmes comerciais #78

E bem, antes de tudo, procurem revisar os textos ok? Mensagem dada, vamos ao post de hoje. Ah, e-mail de contato: equipe@minilua.com!

Os maiores e piores filmes comerciais

Por: Junior Oliveira

Sem sombra de dúvidas, muitos dos filmes atuais só tem uma única utilidade: Render dinheiro para os diretores e principalmente para as grandes produtoras. E a forma que, principalmente Hollywood, encontrou, foi reunir os grandes astros em um único filme que por vezes não tem uma grande história e muito menos uma grande direção.

A seguir a lista dos 5 filmes mais comerciais da atualidade. Lembrando que a lista é apenas exemplos de filmes que usam a mesma manobra para ir bem nas bilheterias e mal nas críticas.

5 – Os Mercenários

É um dos grandes exemplos que o importante é unir grandes astros e que se dane o roteiro, que por sinal é produzido por Sylvester Stallone. No filme nada que não se tenha visto em filmes anteriormente produzidos por ele: morte, sangue e mais morte!

No elenco nomes consagrados como, o próprio Stallone (com a boca mais torta do que nunca), Terry Crews, Jason Statham, Jet Li, Bruce Willis e sem citar outro batalhão de atores conhecidos e que estamos cansados de vê-los fazendo os mesmos papéis de anti-heróis nas telonas.

Além de arrecadar quase 300 milhões de dólares o filme ganhou uma continuação (Os mercenários 2).

4 – SOMBRAS DA NOITE

Claro que Tim Burton é um dos diretores mais respeitados e criativos do mundo e já fez filmes inesquecíveis como Edward, Mãos de Tesoura; A Fantástica Fábrica De Chocolate; A Noiva Cadáver; Sweeney Todd, O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet e Alice no País das Maravilhas.

Mas aí está o problema. Em sua maioria, e em todos citados acima, há um ator e uma atriz que nunca falta nos filmes de Burton: Johnny Depp e Helena Bonham Carter, sua esposa.

E em Sombras da Noite, não é diferente. Aliás, há uma diferença: Ao contrário de todos os filmes em que trabalharam, Sombras da Noite peca no roteiro e no desenrolar da história, deixando o espectador confuso e cheio de informações.

Em momentos do filme, parece que o único objetivo de Burton é voltar a reunir os velhos amigos em um produção que parece ser co-produzida pela Glória Perez: além do mesmo elenco, vemos um longa repetitivo e sem nenhuma novidade, com os atores, e o próprio diretor, lembrando e muito as produções anteriores onde eles já haviam trabalhados juntos. 

Resumindo: A Warner Bros, e o próprio Tim Burton, aproveitaram-se de uma parceria que já deu certo, para arrecadar mais alguns milhões e deixar claro que a “essência Burton – Depp – Carter” já está pra lá de ultrapassada e só presta hoje para comercializar-se.

3 – OS VINGADORES

Se sozinhos, os heróis da Marvel já arrecadam milhões em dólares nas bilheterias de todo o mundo, porque não reuni-los e bater recorde de público? E foi exatamente isso que os estúdios da Walt Disney, juntamente com a Marvel Studios decidiram fazer.

Reunir a minoria dos heróis, sucessos nos HQs e mandá-los fazer o que eles poderiam resolver sozinhos. O resultado, além de um roteiro sem pé e nem cabeça, o terceiro lugar no ranking dos filmes mais rentáveis da história!

Sem sombras de dúvidas o filme mais comercial de 2012, deixando claro que o importante é colocar nas telas o conhecido, o já visto e lido milhares de vezes. Todos querem ver efeitos incríveis e heróis bonitões (mesmo que ele não tenha nenhuma importância, como é o caso do Thor), pouco importa a qualidade do elenco ou do roteiro. Receita de US$ 1.511.757.910, sucesso comercial e a terceira colocação em nossa lista.

2 – A SAGA CREPÚSCULO (Crepúsculo, Lua Nova, Eclipse, Amanhecer, parte I e II) Além de ser a adaptação cinematográfica da série de livros mais comercial da história, os filmes trazem os piores momentos já vistos no cinema.

Atuações ridículas e inexpressivas de Kristen Stewart, Robert Pattinson e Taylor Lautner, conseguiram de uma maneira inexplicável ser uma das séries mais populares da história do cinema!

Se já não bastava diálogos vergonhosos no livro, tivemos que aguentar o mesmo tipo de falas que por diversas vezes nos provocam uma crise de vergonha alheia. O pior de tudo é tentar acompanhar uma história que em todos os filmes parece ser a mesma, onde não se vê evolução nenhuma, muito menos das interpretações dos atores.

Lembrando que aqueles que pagam, são maiorias garotas adolescentes, nada melhor do que apelar para o porte físico dos atores, revelando um grande apelo sexual e comercial. A Saga Crepúsculo com certeza trouxe à tona o que há de pior no cinema e na literatura estadunidense, o que não impediu de se tornar um dos maiores (e piores) filmes comercias da história.

1 – AVATAR



Não só é o filme mais comercial da história, como é produzido pelo diretor mais comercial de todos os tempos, à frente até mesmo de Steven Spielberg: James Cameron.
É indiscutível que Cameron consegue levar para as telonas o que há de melhor em computação gráfica, levando incontáveis prêmios para casa. Mas e o que mais?

Avatar tem grandes efeitos especiais e mais nada! Faltou um enredo, faltou um roteiro, faltou sentido para tudo aquilo! A cada cena em 3D conseguimos sentir a realidade da filmagem e também a mão de Cameron assaltando nossos bolsos e roubando nosso dinheiro através dos ingressos.

Se fosse para não haver uma história ou simplesmente diálogos, que ele criasse um filme mudo, ou desse a desculpa que os Na’vi falassem uma língua intraduzível. Seria melhor para quem tentou achar sentido em tudo isso.

Por ser o filme de maior bilheteria de todos os tempos, Avatar deixou claro que o que importa é o apelo comercial, não a qualidade que o filme tem para nos mostrar para ser um grande sucesso e ser lembrado para sempre… Se é que algum filme dessa lista será imortalizado.