Minilua

Monte a sua matéria: Os Miseráveis #83

Bem, e para participar, é muito fácil: Para tal, envie o seu texto para: equipe@minilua.com! A todos, uma excelente leitura!

Os Miseráveis

Por: 3 Hits

O filme Os Miseráveis é marcado por um fator diferencial: é cantado do começo ao fim. Um típico musical que se destaca por uma imensa qualidade artística. Para quem gosta, ou não do estilo, o filme contém diversos atrativos para os que almejam admirar uma bela obra de arte encenada.

A linda obra romanesca de Vitor Hugo foi bem retratada nesta película. Uma fotografia e ambientação se fazem de forma bela. O vestuário é interessante, retratando de forma verossimilhante a situação da França no século XIX.

As atuações estão em um nível marcante. Hugh Jackman como o ex – prisioneiro Jean Valjean ficou sensacional. Anne Hathaway como Fantine está de encher os olhos, pena que dure tão pouco sua participação. Russell Crowe (inspetor Javert) também foi muito bem, e com isso, merece destaque. Outras atuações secundárias adicionam uma diversão extra, paralela ao foco da trama, com Sacha Baron Cohen (Monsieur Thénardier), Helena Bonham Carter (Madame Thénardier) e a surpresa Samantha Barks (Eponine).

O diretor foi corajoso ao exigir que o musical fosse todo cantado. Foi difícil para a produção e para os atores, que de bom grado aceitaram este desafio. Pode-se dizer que não houve falhas neste aspecto e, se houve, são quase imperceptíveis. Com isso, o filme ficou belo, emocionante e em muitas cenas, tocante (com acentuação emocional devido às músicas representadas por movimento e significado).

Uma obra de arte, se bem trabalhada em seus mínimos detalhes, tende a ser um sucesso. Se não bater recordes de bilheteria, não significa que não há qualidade. As vezes as melhores coisas não são de simples compreensão. A beleza de películas como esta devem ser analisadas em seus mínimos detalhes, para que possa ser apreciada por completo.     

A obra foi aclamada pela crítica mundial. Alguns descreveram como ‘um musical desde Chicago, nunca chegou tão próximo à conquistar o Oscar de melhor filme’. As performances de Hugh Jackman e Anne Hathaway foram aplaudidas pelos especialistas em cinema, esta última descrita como: ninguém jamais interpretou Fantine como Hathaway.

Os Miseráveis concorreu a diversos Óscares, nas categorias: melhor canção original (Suddenly), melhor figurino, melhor direção de arte, melhor ator principal (Hugh Jackman), melhor filme, e ganhou em melhor maquiagem, melhor mixagem de som e melhor atriz coadjuvante (Anne Hathaway). Ganhou estas 3 últimas.

Trailer:

Curiosidades:

-Paul Bettany foi considerado para o papel de Javert antes de Russell Crowe ser escolhido.

-Anne Hathaway encantou a todos em sua audição, deixando-os em lágrimas.

-Coincidentemente, Anne Hathaway cantou junto com Hugh Jackman duas vezes na cerimônia do Óscar. Da segunda vez, Hathaway cantou “On My Own” para Jackman por ele se recusar a cantar com ela. Mais tarde, Jackman foi escolhido e ele indicou Anne Hathaway para o papel de Fantine.

-Helena Bonham Carter e Sascha Baron Cohen (os Thenardiers) já contracenaram juntos em outro musical, Sweeney Todd, do marido de Helena, Tim Burton.

-Hugh Jackman passou 36 horas sem ingerir água, o que o levou a perder peso de água ao redor dos olhos e em suas bochechas, deixando-o com a aparência de um prisioneiro

-Anne Hathaway contou em uma entrevista que a cena da canção “I Dreamed a Dream” levou 8 horas para ser gravada, pois ela queria que a cena fosse o máximo profunda e triste o possível.

-Geralmente, a trilha sonora de um musical é gravada meses antes de começarem a rodar o filme e os atores tem que realizar playback durante o filme. Entretanto, neste filme, cada uma das músicas foi gravada ao vivo, para capturar espontaneamente a performance dos atores.

Todos os envolvidos, desde Hugh Jackman, Russell Crowe até o produtor Cameron Mackintosh, adoraram a abordagem porque ela permite que os atores se concentrem em sua interpretação, ao invés de ter que se preocupar com a dublagem. O diretor Tom Hooper foi o primeiro a fazer isso em uma produção tão grande