Minilua

Monte a sua matéria: Qual o propósito da vida? #105

E bem, para participar, não tem mistério. Para tal, envie o seu texto para: equipe@minilua.com! A todos, uma excelente leitura!

O propósito da vida

Por: Allan Andrade

O que somos? De onde viemos? Para onde vamos? Qual o propósito da vida no universo? Essas são perguntas frequentes que povoam os cérebros humanos. Mesmo o mais ateu dos ateus, não é cem por cento convincente com a ideia do nada.

A maioria ao sentir o termo da vida, desfalece com essa incerteza, pois ele mesmo lógico como é, vê a falta de lógica, na perda para sempre, de tanto conhecimento adquirido na vida. Se perguntarão: “Será que eu me apagarei como uma lâmpada que chega ao seu tempo de vida útil?”

A ideia do nada, do acaso ou do caos é principalmente dos privilegiados de inteligência, porém, uma inteligência limitada que não ultrapassa os limites da veste corporal. Uma inteligência limitada ao desenvolvimento do plano físico, o que assim tem que ser para que em certos casos, os planos Divinos sejam realizados de forma imparcial, buscando a melhoria de condições das vidas dos encarnados.

Assim como o sol tem a sua utilidade no nosso sistema solar, que não é apenas a de iluminar o planeta terra, mas como também a de dar condições à vida biológica, nenhum micróbio, visível ou invisível, no universo, deixa de ter a sua utilidade. O mal, que não é uma entidade e sim uma imperfeição do espírito, é necessário para o aprendizado no universo.

Assim como diz aquele ditado “Há males que vem para o bem”, o mal é necessário ao espírito para que ele, ao sentir as leis de causa e efeito, aprenda a ver como o mal, é um mal para o espírito que aspira a perfeição. Para que ele tenha controle sobre si mesmo, sabendo que o mal, fora apenas um vício esquecido na infância do espírito, tal qual um ser humano quando acorda de uma noite de embriaguez, e que alguém conta-lhes sobre sua ridícula situação, e ele se envergonha, assim é o espírito, que vence ao vício de fazer o mal.

Do modo como cada partícula do universo tem a sua particularidade e a sua utilidade, o cético, aquele que em nada crê, se não for palpável, também assim o tem, pois a sua dúvida ou descrença, faz com que se busque respostas às perguntas que o perturba, e essa busca, é necessária para o desenvolvimento e evolução intelectual do ser humano, pois que se é da discussão que se nasce a luz de um problema.

E por quê, numa caminhada de vida, natural que é a do homem com sede de saber, uma busca de melhoria de condição, de convivência entre os homens, o sonho de uma harmonia mundial, por quê esses sentimentos de desenvolvimento intelectual e moral, teriam que acabar em um túmulo?
Isso sim é que é ilógico. Quando disse que mesmo o mais ateu dos ateus tremem no final, é por que mesmo que inconsciente, eles sentem que ali não é o fim de tudo.