Minilua

As mortes mais idiotas da história #2

Morrer é algo triste, mas alguns “espertos” conseguem morrer de um jeito tão tosco, que a tristeza vira piada:

Mortos pelo lixo

Homer e Langley Collyer eram irmãos que viviam em uma mansão na cidade de Nova York. Durante muitos anos, Langley tomou conta do irmão mais velho que era cego. Esse cuidado foi um tanto exagerado e acabou matando os dois.

Devido a algumas superstições da época, Langley achava que Homer poderia ser curado se ingerisse muita vitamina C, por isso, o mais novo fazia o outro comer mais de 100 laranjas por semana. Enquanto isso, ele também ia acumulando jornais e livros, para que seu irmão pudesse ler no momento em que voltasse a enxergar.

Durante anos essa rotina se repetiu e Langley jamais jogou fora as coisas que trazia para casa, até que, em 1947, ele foi dado como desaparecido. Depois de algumas semanas, a polícia invadiu a mansão dos irmãos e encontrou Homer, o irmão cego, morto em uma cama. Durante algum tempo, eles pensaram que Langley tivesse abandonado o irmão, que foi incapaz de sair do apartamento atulhado de lixo e acabou morrendo.

Somente após três semanas de buscas que o corpo de Langley foi encontrado no meio do lixo existente na mansão. A coisa era tanta que mais de 100 toneladas de papel, livros e lixo foram tiradas de lá. O corpo de Langley estava embaixo de uma pilha de papel com algumas toneladas e foi o desmoronamento desse monte de lixo que o matou.

Confira a situação dentro da casa no momento em que a polícia iniciou suas buscas:

Morto por um morto

Sigurd Eysteinsson foi um poderoso líder viking, que ajudou a conquistar o que hoje é o nordeste da Escócia. Durante sua vida, assim como muitos outros vikings, ele lutou em muitas batalhas, sempre exibindo suas conquistas ao final delas, como uma mão do inimigo morto ou uma cabeça.

Infelizmente, um de seus troféus também foi quem o matou. Após vencer a batalha contra Máel Brigte de Moray, Sigurd, O Poderoso, arrancou a cabeça de seu inimigo para exibir aos súditos todo seu poder.

Durante a cavalgada de volta, ele deixou a cabeça de seu inimigo pendurada na sela e conforme andava, ela roçava em sua coxa. Para seu azar, os dentes do morto começaram a bater na coxa, mas Sigurd, O Poderoso, não tirou ela de onde estava. Com o passar do tempo, um pequeno machucado foi se abrindo e tudo começou a piorar.

O que era para ser um simples arranhão se transformou em uma enorme infecção, que acabou matando Sigurd, O Poderoso. Dessa maneira ele entrou para a história como sendo um dos únicos homens que foi morto por um morto, de maneira totalmente literal.