Minilua

Como será a nona temporada de “Two and a Half Man”?

“Ninguém é insubstituível”, essa é a lição que ficará caso a nona temporada de “Two and a Half Man” (ou “Dois Homens e Meio” no Brasil) faça o mesmo sucesso das temporadas anteriores.

Para quem anda meio desinformado, a oitava temporada foi abreviada devido aos problemas com o ator Charlie Sheen, que causou grande polêmica com críticas pesadas à produção do seriado e consecutivos problemas com álcool e drogas.

Para ter uma idéia, confira algumas das muitas frases disparadas por Charlie Sheen:

 

"Estou usando uma droga. Ela se chama Charlie Sheen. Mas ela não está disponível. Se você provar uma vez, morre. Sua cara vai derreter e seus filhos vão chorar sobre seu corpo destruído".

 

"Eu provavelmente usei tantas drogas que qualquer um que fizesse o mesmo não sobreviveria. Eu estava mandando para dentro pedras de sete gramas e acabando com elas porque é assim que eu faço. Porque eu só tenho uma velocidade, uma marcha… Sou diferente. Tenho uma constituição diferente, tenho um cérebro diferente, um coração diferente. Tenho sangue de tigre. Morrer é para os idiotas. Morrer é para amadores".

 

"É perfeito. Maravilhoso. Todo dia é cheio somente de vitórias. Tudo o que fazemos é colocar vitórias no livro dos recordes. Vencemos radicalmente quando ainda estamos de roupa de baixo, antes mesmo de nossa primeira xícara de café. É assustador. As pessoas dizem que é solitário estar no topo, mas eu adoro a vista daqui de cima".

 

Não acredito que se eu fizer algo, então terei que seguir um certo caminho, porque isso foi feito para pessoas normais. Pessoas que não são especiais. Pessoas que não têm sangue de tigre nem DNA de Adonis

 

(sobre sua preferência por estrelas pornôs)

"Elas são as melhores no que fazem e eu sou o melhor no que faço. Juntos, pegamos fogo. Foi mal, americanos médios. Pronto, falei".

 

(sobre as farras)
"Como não amar isso? Especialmente do jeito que eu faço. Cara, é épico. Teve uma festa que eu dei que faria Sinatra, Flynn, Jagger, Richards, todos eles, parecerem apenas crianças sem braço e de olhos caídos".

 

(sobre não estar preocupado com o hiato de "Two and a Half Men")
"Quando eu chegar lá na quarta-feira de manhã, eles vão mudar de nome para Charlie Bros. e não Warner Bros. Dã, vencendo! Cara, olha lá o IMDB. São 62 filmes e uma tonelada de sucessos. Ganhei melhor filme aos 20 anos. E eu não estava nem tentando. Não estava nem aquecido".

 

(sobre a possibilidade de John Stamos, do seriado “Três é Demais”, substituí-lo em "Two and a Half Men")
"Gosto do John, mas ele não tem o que eu tenho e o programa vai ser uma porcaria se ele estiver nele. Perdão, só estou falando a verdade".

 

Pois bem, diferente do que se cogitava na época, nem Brendan Fraser, nem John Stamos e nem Hugh Grant, no final das contas o ator Ashton Kutcher foi escolhido para integrar a equipe no lugar de Charlie Sheen.

Quem curte a série sabe o quanto Charlie Sheen beira o “insubstituível”, seu personagem “Charlie Harper” não só é o personagem principal da série como é de importância vital para a química de humor da mesma. Mas ao mesmo tempo é doloroso, tanto para os produtores quanto para o público, simplesmente deixar a série acabar depois de tanto sucesso.

“Eu, sinceramente, sentia que tínhamos tido uma ótima experiência, poderíamos encerrar ali e estaria grato por tudo”
John Cryer (do personagem Álan)

 

“Parecia uma pena não tentar manter juntos esses ótimos elenco, time de roteiristas e equipe. Mas sim, muitas vezes achei que o programa acabaria por tropeçar em um final indigno”.
Chuck Lorre (produtor da série)

Ashton Kutcher tem uma missão quase impossível pela frente, pois as pessoas inevitavelmente irão comparar e dizer que com Charlie Sheen era melhor, a série não é mais a mesma, enfim. Para amenizar isso, os roteiristas preferiram “matar” o personagem Charlie Harper e introduzir Ashton Kutcher como um novo personagem, e mesmo na abertura, apesar da mesma seguir o padrão clássico das outras temporadas, preferiram colocar Angus T. Jones (Jake) no lugar de Charlie, para evitar ao máximo o clima de “comparação”.

O primeiro episódio da nona temporada, um episódio duplo em 19 de setembro, certamente trará o “velório de Charlie Harper”, como visto em algumas fotos vazadas pelo site americano TMZ.

Segundo fortes boatos, no episódio Rose conta que ambos teriam viajado para Paris no fim da última temporada. As coisas começariam a dar errado quando Rose flagra Charlie no chuveiro com outra mulher, um dia depois, os dois esperavam um metrô em Paris quando Charlie escorregou e caiu nos trilhos, sendo atropelado. Como Rose estava irada com Charlie, fica a dúvida: foi um acidente ou um assassinato?

Depois disso, várias celebridades estarão interessadas em comprar a casa e uma delas será Kutcher, interpretando um bilionário da internet chamado Walden Schmidt. O funeral também terá a participação de muitas, digamos, "ex-namoradas" de Charlie.

Segundo Cryer, também haverá uma certa inversão de papeis: “Ele (Walden, o personagem de Kutcher) é todo desajeitado socialmente, o que me permite formar uma espécie de relação de mentor com ele, o que, claro, é ridículo, porque meu personagem é todo perdido como ser humano. Não sou mais o estudante, sou o professor. É meu momento Yoda.”

No mesmo dia da estréia deste episódio, Charlie Sheen também estará na telinha, na estréia de seu novo programa, "The Comedy Central Roast of Charlie Sheen" no canal pago The Comedy Central. Confira abaixo um teaser:

E aí, curioso para assistir? Ou “sem Sheen, sem show”?