Minilua

O terror dos campos de concentração nazistas

Já falamos sobre o grande extermínio provocado pela Alemanha Nazista e agora abordaremos os campos de concentração que fizeram parte desse terrível massacre.

Para quem não tem muita noção do que se tratam esses campos de concentração, imagine que é algo parecido com um pedaço do inferno, uma verdadeira indústria da morte. Locais que eram construídos para planejar, prender, armazenar, coletar e principalmente para exterminar as pessoas cruelmente. Era algo tão macabro que possuíam áreas destinadas à morte, como câmaras de gás, fornos crematórios e uma porção de “equipamentos” de tortura.

Em outras palavras, os campos de concentração são utilizados para deter as pessoas. Possuem instalações como dormitórios, barracões, refeitórios, escritórios e outros ambientes. É um tipo de instalação provisória com capacidade de abrigar milhares prisioneiros de guerra. Normalmente esses prisioneiros são usados como moeda de troca com o inimigo.

Antes da segunda guerra mundial, os campos de concentração não eram vistos como algo tão violento, somente após a matança nazista que eles passaram a ser relacionados aos campos de extermínio.

Durante a Segunda Guerra Mundial, os campos estavam sendo usados para dominar os grupos étnicos, compostos por judeus, ciganos, polacos, políticos anarquistas, homossexuais e minorias religiosas. Todos eles eram submetidos a tratamentos desumanos até serem exterminados.

Para terem uma noção de como essas pessoas eram tratadas, saiba que, nesses campos de concentração, elas perdiam seus nomes, eram identificadas por números, eram escravizadas, sem contar que grande parte deles eram submetidas a experimentos nazistas, uma espécie de cobaia. Não comiam, não tinham higiene, não precisavam nem ter seus corpos queimados, porque vivendo daquele jeito a morte por alguma doença, ou por fome, seria certa. Crianças, idosos e doentes, não tinham vez nos campos, ao chegarem ao local já eram destinados às câmaras de gás.

O campo de concentração nazista mais famoso é o de Auschwitz, que foi divido em Auschwitz I, Auschwitz II (Birkenau) onde morreram aproximadamente um milhão de judeus e mais de 15 mil ciganos, e por último o Auschwitz III (Monowitz), que era destinado ao trabalho escravo.

Quando os prisioneiros iam ser queimados, eram destinados à câmara de gás e ficavam em uma sala. Não faziam ideia do que realmente aconteceria ali. Eram ordenados a tirarem as roupas e todos os pertences, achavam que iam apenas tomar um banho, pois os soldados informavam assim para evitar o pânico. Quando estavam lá dentro da sala subterrânea, os alemães descarregavam um agente tóxico, o Zyklon B. Em poucos instantes as pessoas estavam mortas e seus corpos eram destinados aos fornos crematórios.

Como já era de se esperar, algumas pessoas tentavam fugir dos campos de concentração, alguns até conseguiam, mas aqueles que não tinham êxito acabavam sofrendo a pena de morrer por inanição, ou seja, sem qualquer tipo de alimento. As famílias dos fugitivos eram procuradas e presas no mesmo campo para serem exibidas como modelo para outros prisioneiros que tentassem fugir.

Não há dúvidas de que os campos de concentração nazistas eram lugares assustadores que ficará na memória de todos nós. Inclusive alguns soldados deram declarações muitos anos após a guerra, revelando o pesadelo que era aquele lugar. Existem relatos de que muitos deles pediam transferência, por não querer “servir” nos campos de extermínio e acabaram cremados como os prisioneiros.

Ainda hoje, é possível encontrar alguns campos ativos pelo mundo como na Coréia do Norte; recentemente, o de Guantánamo, em Cuba, que pertencia aos EUA foi fechado. Já imaginou viver
num mundo onde esses campos voltassem a ser realidade? Esperemos que isso nunca volte a acontecer.

Assista ao vídeo e conheça imagens reais do campo de extermínio Auschwitz:

 

Me adicione no Facebook: Nandy Martins