Minilua

A origem mágica do famoso 007

Em algum momento você pode ter se perguntado: “Por que 007?”. E a reposta poderia ser apenas “porque Ian Fleming quis”, mas, na verdade, existe uma história por trás desse famoso número.

Mago e espião

Nascido em 1527, John Dee foi um importante homem do Império Britânico. Desde novo, ele desenvolveu um incrível gosto pelo conhecimento, estudando diversas áreas das ciências e também das pseudociências, que na época ainda eram levadas a sério.

Com vinte e poucos anos, ele era matemático, astrônomo, astrólogo, ocultista, geógrafo, além de ter se aventurado em alquimia e ocultismo. Suas capacidades eram tão grandes que, ainda bem novo, foi convidado a lecionar matemática na Universidade de Paris.

Dee acreditava que usar a ciência legítima, junto com as pseudociências poderia levá-lo a um conhecimento maior do Universo. Por isso, ele não distinguia seus estudos em matemáticas, do que fazia em alquimia. E seu destaques nos dois lados do conhecimento eram reconhecidos por todos.

Seu renome de estudioso abriu as portas para que ele se tornasse um dos mais importantes conselheiros da Rainha da Inglaterra, Elizabeth I. 

Toda sua inteligência lhe trouxe diversas obrigações com o trono e uma delas foi a de se tornar um espião. Como tinha passagem livre para todos os lugares graças ao seu renome de grande estudioso e sábio, Dee podia viajar para qualquer país e conversar com os grandes nomes locais. Isso lhe deu algo que nenhum outro homem tinha: Acesso a informação.

Em pouco tempo, o ocultista matemático também era um dos espiões mais ativos de todo a Inglaterra, andando por toda a Europa atrás de informações que pudessem ajudar a coroa.

Muitas de suas comunicações com a Rainha eram feitas através de cartas, onde ele assinava como 007, sendo que os zeros representavam seus olhos e o sete era o número cabalístico da sorte. E foi por isso que o mais famoso espião do mundo moderno usa o mesmo número do espião mágico do passado.