A origem do mundo segundo as mitologias: Egípcia #2

Uma pergunta que ninguém sabe a resposta é: como surgiu o mundo? Mas isso não significa que não houve tentativas para explicar como aconteceu, foram diversas as teorias, e com esta série, vamos falar de várias delas e levantar a seguinte questão: será que alguma delas realmente aconteceu?

images

No ultimo post da série vimos o inicio do mundo a partir da mitologia egípcia, bem como a estruturação do céu, da terra e da própria atmosfera, além disso, chegamos ao ponto em que Osíris, Ísis, Seth e Néftis passam a existir no mundo, e é a partir daí que continuaremos a história.

Primeiramente, devemos saber que Néftis se casa com Seth e que Osíris casa-se com Ísis, para depois darmos ênfase ao fato de que Osíris, por ter criado o ciclo de vida e morte, reina perante a terra. Por conta disso, Seth tem muita inveja de seu irmão, e resolve então matar Osíris e para isso armou um plano e o convidou para um banquete. Nele, Seth apresentou o mais belo sarcófago já criado e disse que quem coubesse nele o ganharia, mas ninguém, além de Seth, sabia que somente Osíris caberia lá dentro.

Depois que Osíris entra no sarcófago, ele é trancafiado e jogado no Nilo. Ísis, já então esposa de Osíris, fica sabendo da conspiração, porem, tarde demais, é então que ela mesma sai em busca de informações e descobre que o sarcófago havia ficado preso em uma árvore que foi usada para fazer uma pilastra de um palácio. Por incrível que pareça, o corpo de Osíris estava dentro desse pilar e é resgatado por sua esposa, que resolve escondê-lo em uma plantação de papiros, ainda dentro do sarcófago.

Seth descobre do ocorrido e encontra o sarcófago que contém o corpo do irmão, por isso resolve cortar o corpo em cerca de quarenta pedaços e espalha-los por todo o Egito.

Ísis e sua irmã, então passam a procurar todos os pedaços de Osíris, entretanto, encontram todos com exceção daqueles que compunham a genitália – esta havia sido devorada por peixes – e Ísis a substitui por um falo feito a partir de caules vegetais, e é então que ela, a irmã e Anúbis, realizam a primeira mumificação da história.

sarcofago

Anúbis era aquele que pesava o coração dos mortos e que definia se a alma iria ser devorada pelo deus leão com cabeça de jacaré ou se ela iria viver a tão esperada “vida após a morte”, mas para isso, o coração deveria ser mais leve do que uma pena.

anubis pena

O que dava peso ao coração eram justamente as ações que ele havia cometido em vida. Anúbis também era filho de Néftis e de Osíris - depois de uma briga com o esposo Seth, Néftis transforma-se em Ísis, engana Osíris e tem relações com ele.

Depois de mumificado o corpo, Ísis transforma-se em um pássaro e, com o bater de suas asas, consegue então ressuscitar o marido, mas, ainda na forma de ave, Ísis copula com Osíris e dá origem a Hórus.

seth horusDestruir Osíris, Seth passa a reinar no mundo terreno, entretanto, depois de voltar à vida, reina somente perante o mundo dos mortos, enquanto que seu sobrinho, Hórus, acaba assassinando o tio e assumindo o seu posto, reinando sobre a terra.

Durante a luta contra Seth, Hórus acaba perdendo um de seus olhos, o interessante é que um olho representava a lua e o outro representava o céu, e o olho que foi ferido é justamente aquele que mistifica a lua, e isso explica o porquê de a lua possuir fases e o sol não. No lugar de seu olho, Hórus começou a usar um amuleto e também uma serpente em sua cabeça, os quais acabariam se tornando símbolo do poder real dos faraós e que ficou conhecido como o Olho de Hórus.

olho horus

Seth, depois de vencido, perde suas forças e não mais representa um perigo, com isso, a harmonia se estabilizou e o mundo tornou-se o que é hoje. Claro que, como na mitologia grega, a egípcia também possui muitos outros deuses menores, mas que não são tão relevantes para nós no momento.

No próximo post, abordaremos a mitologia nórdica, aquela que fala de Odin, Thor, Loki e ainda de vários outros deuses e que ao mesmo tempo em que a Árvore dos mundos – Yggdrasil – sustenta toda a vida, ela também abriga o ser que irá destruir os deuses nórdicos, não perca!

yggnid

Me adicione no Facebook: Nandy Martins

E faça parte de nosso grupo: http://www.facebook.com/groups/188760724584263/

  1. Caio Silva Santos

    17 de outubro de 2015 em 01:28

    Minha ordem:
    1º egípcio
    2º nórdico
    3º grega

  2. Seth .

    27 de junho de 2013 em 18:10

    … e nao falaram daquele maldito toth , me ajudava nuns corres pelo maat , mas me traiu pra ajudar o cabeça de passarinho filho de uma necrofila , exigo retratação, e o olho de horus foi arrancado na 1º batalha de seth vs horus , o toth refez com 1 gota de leite e esse sim deu origem a lua , e o Sol na verdade e o navio de Rá no qual iamos no maat todas as noites lutar com apofis para manter ela na prisao ate o dia do juizo .

  3. Seth .

    27 de junho de 2013 em 18:04

    “, para depois darmos ênfase ao fato de que Osíris, por ter criado o ciclo de vida e morte, reina perante a terra. ” NÃO , NÃO ,NÃO , eu protesto , não foi assim que aconteceu , viu so o desgraçado do osiris sempre querendo me fazer ficar mal na fita , ele dormiu com a minha mulher , queria que eu deixasse por isso mesmo ??? matei o desgraçado mesmo tch .

  4. Lucas Rodrigues

    27 de junho de 2013 em 07:23

    Muito legal a história, eu não sabia da origem do Hórus e também não sabia que o Anúbis era filho de Néftis e Osíris, agora tudo fica bem esclarecido, incrível como as diferentes mitologias tem visões completamente diferentes de como surgiu o mundo 🙂
    Também gosto de mitologia nórdica, to ansioso pro próximo post XD

  5. tinker bell

    27 de junho de 2013 em 02:01

    acho linda a pintura egipia me expiro na maquiagem da Cleópatra os lápis dos olhos hum adoro.

    • Bruno Augusto

      7 de julho de 2013 em 10:30

      Expiro? Não seria “inspiro” não, filha?

  6. Kenpachi nashe(Antigo desenhista da Igreja Universal do Reino de Goku)

    27 de junho de 2013 em 01:16

    Gostei muitO*–*(Voltei=D)

    • Matheus S.

      27 de junho de 2013 em 10:11

      Olá comedor de picas.

      • Kenpachi nashe(Antigo desenhista da Igreja Universal do Reino de Goku)

        27 de junho de 2013 em 19:04

        Você lembra ainda maldito kkkkkkkk

  7. Luciana Araujo

    27 de junho de 2013 em 00:17

    Há 5773 anos.

    O Criador deixando Sua amada Cidade, o Senhor da luz conduziu-Se, em meio às glórias do Universo, em direção do abismo imenso, a respeito do qual silenciara até então. Ali deteve-Se mais uma vez, emudecido, enquanto parecia ler nas trevas um futuro de grandes lutas. Ante o sofrimento do Criador, expresso na tristeza de Seu semblante, os fiéis puderam finalmente compreender o significado daquele misterioso abismo: consistia numa representação simbólica do reino da rebeldia. Na face entristecida de Elohim manifestou-se, por fim, um brilho que aos fiéis animou. Erguendo os poderosos braços ante as trevas, ordenou em alta voz: Yehi or! “Haja luz.” Imediatamente, a luz de Sua presença inundou o profundo abismo e, triunfando sobre as trevas, revelou um mundo inacabado, coberto por cristalinas águas. Com esse gesto, iniciava o Criador uma grande batalha pela reivindicação de Seu governo de luz; batalha do amor contra o egoísmo; da justiça contra a injustiça; da humildade contra o orgulho; da liberdade contra a escravidão; da vida contra a morte. Batalha que, sem trégua, se estenderia até que, no alvorecer almejado, pudesse o Eterno Rei retornar vitorioso ao santo monte Tsion, onde, entronizado em meio aos louvores dos remidos, reinaria para sempre em perfeita paz. As trevas, em sua fuga, apontavam para o aniquilamento final da rebeldia. As águas abundantes que cobriam aquele mundo, até então oculto, simbolizavam a vida eterna que para os fiéis seria conquistada pelo amor que tudo sacrifica. O mundo revelado era a Terra. Visitada pelas trevas e pela luz, ela seria o palco da grande luta.

    http://img94.imageshack.us/img94/7397/formingadamfinal.jpg

    Junto à fonte do rio da vida, o Criador curvou-Se solenemente e, com os elementos naturais da Terra, começou a moldar, com muito carinho, uma criatura especial. Depois de alguns instantes, estava estendido diante do Criador o corpo, ainda sem vida, do primeiro homem. O Criador contemplou-o e, após acariciar-lhe a face fria e descorada, soprou-lhe nas narinas almas de vidas e o homem começou a viver. Como que despertando de um sono, o homem abriu os olhos e contemplou a face meiga de Seu Criador que, sorrindo, beijou-lhe a face agora corada e cheia de vida. Emocionou-se ao ouvir o Criador dizer-lhe com voz suave e cheia de afeição: “Meu filho, meu querido filho!” Por ter nascido do solo, o primeiro homem recebeu o nome de Adam (“Adão”). Tomando-o pela mão, o Criador levantou-o. Sem perceber o cenário de fulgor que o circundava, o homem, num gesto de gratidão pela existência, envolveu o Criador num terno abraço, prostrando-se em reverente adoração.

    No sexto dia fiz uso da minha sabedoria para criar o homem de sete graus de densidade: um, a sua carne da terra; dois, o seu sangue do orvalho; três, os seus olhos do sol; quatro, seus ossos da pedra; cinco, a sua inteligência da vivacidade dos mensageiros divinos e da nuvem; seis, suas veias e seu cabelo das plantas da terra; sete, a sua alma do meu sopro e do vento. E dei-lhe sete naturezas: a carne para a audição, os olhos para a visão, a alma para o olfato, o sangue para o tato, os ossos para a resistência, e a inteligência para a doçura e o regozijo. Formulei uma máxima adequada: criei o homem da natureza invisível e visível. De ambas provêm sua morte, sua vida e imagem, ele conhece o poder da palavra como algo criado, pequena na grandeza e grande na pequenez. E coloquei na terra um segundo mensageiro, nobre, grande e glorioso, e o designei como governante na terra para que tivesse a minha sabedoria. E não havia ninguém igual a ele entre todas as criaturas existentes. Dei-lhe um nome baseado nas quatro partes componentes, do leste, oeste, sul e norte, e designei-lhe quatro estrelas especiais, e o chamei pelo nome de Adam e mostrei-lhe os dois caminhos, o da luz e o das trevas, e disse-lhe: “Isto é bom e isso é mau”, para saber se ele nutre amor ou ódio por mim, para saber quem dentre sua gente me ama. Pois conheço sua natureza, mas ele próprio não enxergou, portanto, por não tê-la enxergado, ele transgridirá mais, e eu disse: Além da transgreção, que há senão a morte? Mandei-lhe um sono profundo e ele dormiu. Tirei-lhe uma das costelas, e com ela criei uma mulher para que a morte lhe viesse através desta sua mulher, e tomei sua última palavra e pus-lhe o nome de mãe de todos os viventes, Havá.

  8. Glauko Rhaylan

    26 de junho de 2013 em 23:33

    illuminate

  9. Matheus S.

    26 de junho de 2013 em 23:33

    Não sei porquê…mas sempre lembro de Yu-gi-oh quando leio sobre mitologia egípcia…

    • Noob Saibot

      27 de junho de 2013 em 00:32

      pq você é retarda!

      • Matheus S.

        27 de junho de 2013 em 00:38

        Sério? que legal…

  10. Super Choque

    26 de junho de 2013 em 23:32

    A mitologia egípcia parece ter mais deuses que a grega, parece ter mais histórias , é mais complexa de entender…na minha opinião.

    • Seth .

      27 de junho de 2013 em 18:16

      e meio complicado mesmo … mas começa assim , Rá e apofis , bem e mal , ordem e caos , Rá da origem a bastet , sekhmet , shu e tenuf , shu e tenuf deram origem geb e nut , que geraram osiris , isis , neftis e seth . (apartir dai tem muitas historias e daria trabalho falar tudo …)

  11. Mother of Dragons

    26 de junho de 2013 em 23:17

    Essas perspectivas sempre me atraem, gostei!

    • Nandy Martins

      26 de junho de 2013 em 23:28

      Eba! Que bom q gostou xD

  12. Adriano Hidden®

    26 de junho de 2013 em 23:08

    povos antigos e suas mitologias foram meu passatempo preferido na epoca de colegio
    A egipcia é ótima… a grega é vasta… a nórdica é belissima… sem falar dos outros povos como os celtas, os barbaros, chineses…
    foda pra carai

    • John Rambo

      27 de junho de 2013 em 12:56

      Realmente esse assunto é fascinante.

    • Nandy Martins

      26 de junho de 2013 em 23:27

      A próxima será a nórdica o/ gosto muitooo de todas.

      • Adriano Hidden®

        26 de junho de 2013 em 23:32

        esqueci do povos pré-colombianos
        Incas, Maias e Astecas tbm são boas

        • Mother of Dragons

          26 de junho de 2013 em 23:36

          Essas são as minhas preferidas.

    • Sabrina

      26 de junho de 2013 em 23:10

      Ah mitologia chinesa/japonesa e celta …

      • Bruno Augusto

        7 de julho de 2013 em 10:29

        Vish… Quase rolou um casório no Minilua

        • Sabrina

          7 de julho de 2013 em 10:53

          Que bom…

      • Adriano Hidden®

        26 de junho de 2013 em 23:12

        celtas,druidas… o idioma celta
        coisas que me interesso

        • Sabrina

          26 de junho de 2013 em 23:16

          Gosto dos rituais. Apesar, meu nome tem origem celta *–* -edai
          [img]http://https://lh4.googleusercontent.com/-XJsTWkpZPWw/UZuxX45YzWI/AAAAAAAAAPQ/3BVrxjcqLMc/s515-no/tumblr_m7henbWzgg1qkxwb3o1_1280.jpg[/img]

          • Adriano Hidden®

            26 de junho de 2013 em 23:30

            de fato seu nome é gaélico, o que significa que é celta…
            *-* perfeita

          • Sabrina

            26 de junho de 2013 em 23:41

            Sobre a mitologia nórdica, gosto bastante de Freyja. Gosto de deuses da fertilidade/beleza/sexualidade

          • Adriano Hidden®

            26 de junho de 2013 em 23:47

            as sextas-feiras são dedicadas a ela

          • Sabrina

            27 de junho de 2013 em 00:38

            Que legal, realmente sexta-feira é o meu dia predileto rs

          • Adriano Hidden®

            27 de junho de 2013 em 00:41

            o meu tbm
            coincidencia?
            acho que não hein
            kkkkk

          • Sabrina

            27 de junho de 2013 em 00:43

            Hahahahah Geralmente é sábado, domingo né? hahha Mas sexta-feira é o dia em que eu fico até mais feliz, sempre foi assim, estou começando a achar que tenho algum tipo de conectividade com Freyja

          • Adriano Hidden®

            27 de junho de 2013 em 00:48

            sabado e domingo são os dias em que minha depressão se manifesta com mais força ahdsjaajhad
            eu gosto das sextas feira, principalmente das noites de sexta…
            muito provavelmente voce tenha sim ^^

          • Sabrina

            27 de junho de 2013 em 00:55

            Hahahha será? De alguma forma acho que me conecto bastante com a noite, com sua obscuridade, seus segredos, geralmente à noite é que eu tenho inspiração para meus poemas, falando nisso estou acabando de fazer um rs. Sexta-feira a noite até o ar fica mais puro hahhah

          • Adriano Hidden®

            27 de junho de 2013 em 00:58

            ja eu gosto de desenhar, e a noite sempre me dá inspiração
            embora ultimamente eu esteja muito pra baixo ate pra isso
            mas o que falou procede…e concordo contigo em numero, genero e grau
            um dia vou querer ler um poema seu

          • Sabrina

            27 de junho de 2013 em 01:08

            Hahaha ultimamente estou esgotada para tudo o que for fazer. Obrigada (:

          • Sabrina

            26 de junho de 2013 em 23:37

            **o***

  13. Guilherme Ribeiro sá

    26 de junho de 2013 em 23:06

    Só eu achei que a mitologia egípcia foi escrita de qualquer jeito? .-.

    • Nandy Martins

      26 de junho de 2013 em 23:29

      Não foi :(. É pq tem muitooooooo o que falar de todas, tentei fazer 3 posts sobre a Grega e percebi que os usuários acharam cansativo. Daí modifiquei na Egípcia, mas sempre passando as informações mais relevantes xD

  14. Sabrina

    26 de junho de 2013 em 23:05

    Adoro mitologias, são muito bem elaboradas! Mas as que mais gosto: a egípcia, grega e claro, a nórdica. Odin seja louvado. rs

    • Noob Saibot

      27 de junho de 2013 em 00:33

      Gata se não é manifestação mas fez meu gigante acorda em!

      • Sabrina

        27 de junho de 2013 em 00:42

        Se o gigante do meu noivo ver essa sua postagem… :T

        • Noob Saibot

          27 de junho de 2013 em 00:45

          The zuera never ends!

  15. Luís Felipe

    26 de junho de 2013 em 23:04

    Ainda acho a grega melhor, mas gostei do post.

  16. Altair Ibn-La'Ahad

    26 de junho de 2013 em 22:58

    Estou ansioso pela mitologia nórdica.. Skyrim \o/

    • Bruno Augusto

      7 de julho de 2013 em 10:27

      Tecnicamente, as divindades de Skyrim não segue a Nórdica o que é muito bom para evitar clichês num jogo tão bacana. Mas bem que podia ter uma explicação melhoriznha, já que esses Príncipes Daédricos atuam em áreas muito específicos e nada importantes.

      E que venha TESVI: Dominion! 😀

    • Nícolas Augusto

      27 de junho de 2013 em 17:00

      Alguém aí já jogou Age of Mythology? Explica em partes todas as teorias bem bacana. Tem até o Percy Jackson kkkk

      • Altair Ibn-La'Ahad

        28 de junho de 2013 em 20:48

        Sim, já joguei caro nicolás, e aprendi bastante sobre as mitologias, principalmente a nórdica da qual ainda n sabia nada à época..
        Viva aos deuses q dão bençãos quando vêem batalhas \o/

    • Adriano Hidden®

      26 de junho de 2013 em 23:01

      ‘-‘ voce se interesa pela mitologia nordica por causa do skyrim? ‘-‘
      ‘-‘
      ‘-‘
      ‘-‘
      pelo amor de Odin

      • Rap­osa Furry

        26 de junho de 2013 em 23:05

        tem oblivion tbm cara…

52 Comentários
mais Posts
Topo