Minilua

Ouvir Rock pode causar racismo e segregação social, diz estudo

De acordo com uma pesquisa, basta somente alguns minutos ouvindo rock para que pessoas brancas foquem seus próprios interesses à custas de pessoas latinas e de outras raças.

Cerca de 138 alunos participaram da pesquisa, escutando diferentes gêneros de músicas. Os pesquisadores constataram que os alunos brancos que escutaram músicas de artistas pop assumiram uma postura mais justa em relação aos grupos étnicos, pois de acordo com eles, inconscientemente o rock faz com que as pessoas brancas favoreçam sua própria raça.

Durante o estudo os alunos foram informados que deveriam construir uma universidade melhor, oferecendo a estes alguns grupos étnicos, com os quais eles deveriam compartilhar o dinheiro.

Foi verificado que os participantes que ouviram Bruce Springsteen e White Stripes entregaram a maior parte do dinheiro as pessoas brancas: “O rock está geralmente associado com os americanos brancos, por isso, acreditamos que eles associem pessoas brancas como algo positivo para seus próprios grupos”, disse Heather LaMarre, professor assistente de Jornalismo e Comunicação de Massa da Universidade de Minnesota. “Isso foi suficiente para que eles demonstrassem mais apoio para um grupo de estudantes que representassem os brancos”.

Já os participantes que ouviram músicas pop dividiram o dinheiro igualmente entre brancos, negros e latinos.

A música tem poder de influenciar nossos pensamentos e ações. Ela tem o poder de reforçar nosso lado preconceituoso, valorizando o próprio grupo, com preconceitos negativos com outros grupos”, disse Silvia Knobloch, professora adjunta da Westerwick.

O preconceito foi ainda maior em alunos que ouviram Prussian Blue, Skrewdriver e Bound for Glory. “Vimos algo muito segmentado, quase punitivo entre os grupos afro-americanos e árabes por aqueles que tinham ouvido rock pesado”, disse Knoubloch.

Os participantes também não foram autorizados a ter contato com meios eletrônicos, nem nenhum tipo de leitura que pudesse influenciar.

Durante o estudo, os que ouviram rock deram cerca de 35% do dinheiro para os brancos. O percentual foi ainda maior de quem ouviu rock pesado, cerca de 40% deram o valor aos indivíduos que consideraram como “iguais”.

Para os pesquisadores, rock sem letra é ainda pior do que letras longas ou curtas. “Isso mostra que não é apenas as letras que importam. Mesmo sem letras de ódio, só a música já era suficiente para aumentar a porcentagem de dinheiro alocado para o grupo dos norte-americanos”, comentou Knobloch.

 

Adaptado de jornalciencia