Minilua

Pinturas rupestres foram feitas por homens “chapadões”

Segundo um artigo internacional, as pinturas, que os homens pré-históricos registraram em cavernas, foram pintadas sob efeitos de drogas.

Ou seja, os alucinógenos não são tão modernos assim, e, de acordo com quem analisou as pinturas, existira uma certa alteração no estado da consciência de quem desenhou nas paredes. Pinturas de cerca de 40 mil anos atrás foram investigadas a fundo, nas quais, os pesquisadores constataram padrões como “instabilidade de Turing”, esta normalmente ocorre em indivíduos que estão drogados. As substâncias psicoativas provocam efeitos visuais semelhantes a estrutura cerebral, que lembra curvas e reentrâncias.

“Quando esses padrões visuais são vistos em estados alterados de consciência, são experimentados diretamente como se estivessem carregados de sentido. Em outras palavras, são percebidos como algo importante e digno de ser usado em rituais”, afirmam os autores do artigo, publicado no Adaptative Behavior.

Não é a primeira vez que se ouve falar que drogas alucinógenas possam ter desempenhado um papel importante na história da humanidade.

Já foram encontradas pinturas rupestres na Espanha que pareciam ser cogumelos desenhados, ou seja, o homem pré-histórico já conhecia e utilizava os “poderes” de ervas e plantas alucinógenas como meio de comunicação com uma força, digamos, sobrenatural, fato que pode explicar as visões de seres misteriosos entre estas antigas culturas.

 

Fonte: Adaptative Behavior