Os piores hábitos no trânsito

trãnsito

1 - Buzinaços sem necessidade: Haja paciência para enfrentar esse tipo de situação. O fenômeno, aliás, independe do motorista ou do horário.

2 - Trafegar com o som alto: Nos grandes centros urbanos, o hábito tem se tornado cada vez mais recorrente. Entre os estilos adotados, destaque para o funk, axé, sertanejo e eletrônico.

som alto

3 - Estacionar em cima da faixa: Existem motoristas que desconhecem o significado da palavra respeito. Os mais excêntricos, por sinal, são capazes de estacionar em cima das faixas de pedestres, ou ainda, cruzar o farol vermelho durante o dia.

ljogarlixonarua

4 - Jogar objetos na via: Em cidades como São Paulo, por exemplo, diversos são os condutores que ainda se utilizam desse expediente. Entre os objetos principais estão: latinhas de refrigerantes, de cervejas, embalagens de salgadinhos e pipoca.

5 - Mau uso da seta: Um gesto tão simples, mas que ainda é esquecido por boa parte dos motoristas. Lembre-se: Dando a seta, você estará contribuindo para uma maior organização no trânsito, e evitará, sobretudo, acidentes desnecessários.

  1. Ramon Silva Silva

    14 de maio de 2013 em 21:08

    imagina na copa

  2. Jose Pereira ramos

    6 de fevereiro de 2012 em 15:28

    gostei de ver, são muitas as pessoas que ainda fazem coisas iguais ou piores a essas, agora são poucas as que assumem.

  3. Anjinho da Paz

    5 de janeiro de 2012 em 22:19

    eu que não dirijo, que não estudei em uma escola de condutores (auto escola) conheço as regras de trânsito, as placas… e tudo mais.

    três coisas que odeio:
    1 – é passar carro com som no volume máximo (que chega a tremer as paredes da casa). engraçado, alguns carros que passam anunciando algum evento, ou vendendo algo quase não se ouve. mas os arruaçeiros passam que deixam a gente surdo.
        som de carro tinha que ter limites somente ali dentro do carro, na altura que somente quem está dentro ouve. e só poderia ser alto aqueles que tivessem anunciando algo.
    2 – carro ou caminhão parar em frente de casa e ficar acelerando por meia hora ou mais.
    3 – quando se vai atravessar a rua, espera um carro passar e este virar na esquina antes da que a gente tá, detalhe, sem ligar a seta avisando que vai virar. e tem o contrário, aqueles que vão passar direto e a seta ligada como se fosse virar.

  4. Vivianna Silva

    11 de agosto de 2011 em 20:56

    SETA VIROU ITEM OPCIONAL!

  5. User

    18 de junho de 2011 em 03:43

    Moro no Japão há cerca de 9 anos, e o que pude presenciar por aqui é a educação no trânsito do povo japonês, coisa que um dia ainda espero que (nós) os brasileiros venham a alcançar. Dos cinco itens relacionados, NENHUM DELES acontece por aqui, digo não acontece mesmo! 1) BUZINAÇO: até mesmo depois de o farol abrir, o japonês não buzina, raras exceções; 2) SOM ALTO: às vezes presencio mas somente nos finais de semana; 3) ESTACIONAR: no Japão não é permitido estacionar na rua (raras cidades/ruas são permitidas); 4) JOGAR LIXO: o que presencio é o motorista “descarregar” a lixeira nas lojas de conveniências, uma coisa que não aprovo, porque não deixa para jogar em casa; 5) SETA: somente aqui uma ressalva, não que o japonês esqueça de usá-lo, mas a maioria apenas aciona no momento de virar a esquina/entrar num estabelecimento, talvez para isso tenha uma explicação: não confundir o outro motorista quando existem várias entradas, próximas uma das outras, numa situação onde você acha que ele vai virar numa entrada e acaba sendo a próxima.

  6. andrielsouza

    13 de abril de 2011 em 20:36

    o 1 acontece muito aqui no rio, a maioria nem espera abrir o sinal é já vai metendo a mão no volante e muitos saem pela contra-mão atrapalhando ainda mais o trânsito.

  7. Set Free

    13 de abril de 2011 em 10:28

    Um dia desses eu tava passando e vinha um carro, a seta tava desligada, então parecia que ele ia direto, eu passei a rua e ele dobrou, ia batendo em mim, aê ele disse “olha por onde anda, menino”, eu disse “ligue a seta, doente”, quando ele ia saindo do carro, eu deu um chute no farol e corri.

  8. Nataniel

    12 de abril de 2011 em 23:16

    Na minha cidade nem é tão grande e esse negocio de som alto é normal.O problema sao os gostos musicais dessas pessoas Funk,sertanejo,axé diviam ser proibido mas aqui no Brasil é impossivel pq o povo nao tem cultura msmo =/

    • Jeff Dantas

      12 de abril de 2011 em 23:23

      Bom, por aqui, acontece de tudo. O pior de tudo, é aguentar aquele vizinho “atentado”, que resolve ligar o som do carro em plena manhã de domingo…

  9. Joel Alvarenga

    12 de abril de 2011 em 22:24

    Já vi tudo isso :/OBS: Acidentes indesejáveis? qual acidente é desejável

    • Sapo

      29 de abril de 2013 em 13:45

      Eu ia comentar isso! kk

    • Jeff Dantas

      12 de abril de 2011 em 22:36

      Grande Joel, valeu pelo toque.. 🙂

12 Comentários
mais Posts
Topo