Poderosas estratégias de manipulação das massas

Os políticos, a mídia e as grandes empresas, todas elas precisam lidar com uma grande quantidade de pessoas, algo conhecido genericamente como massa. Por isso, essas grandes instituições precisam criar estratégias para manipular as massas e esconder os seus segredos podres, que eles desejam que sejam esquecidos.

Essas estratégias incluem falácias lógicas, técnicas de propaganda e supressão de informação. Usando os canais e meios certos, uma grande empresa de mídia é capaz de criar uma ideia inversa do que realmente está acontecendo, ou mesmo manipular toda opinião pública, usando algumas figuras influentes em horários certos.

Essas estratégias são as mais variadas e você provavelmente vai reconhecer algumas delas em seu dia a dia:




Estratégia da distração

controle da mida

A primeira e mais utilizada estratégia de manipulação das massas é a distração. Se algo não é noticiado pelos grandes meios ou não aparece na TV, simplesmente não existe. Outra maneira bastante utilizada dessa estratégia é quando algo ruim acontece, mas isso prejudica alguém ou uma empresa importante. Basta um ou dois dias e essa notícia some, dando espaço a outra, muitas vezes menos importante.

No Brasil essa manobra foi usada recentemente no contexto político. Logo após o Presidente da Câmara, Eduardo Cunha, ser indiciado por ter contas na Suíça, todas as notícias envolviam seu nome e suas contas, mas na manobra de distração, ele abriu o Impeachment da Presidente e criou uma notícia mais bombástica e seus problemas foram esquecidos, pois agora havia uma nova outra notícia. Essa é a manobra da distração na sua forma mais clássica.




Promoção da mediocridade

businessman-sitting-in-corner-with-dunce-hat

Quanto mais educado, mais difícil de manipular e enganar é um povo, por isso, nunca é de total desejo dos governos e das grandes empresas que todas as pessoas sejam educadas demais.

Quanto mais educado é um povo, melhor o governo tem que se sair na administração dos bens públicos, caso contrário ele cai ou jamais é reeleito. E quanto maior o grau de instrução das pessoas, mais as grandes empresas precisam investir em produtos de qualidade por um preço justo. Como isso não é de interesse dos “grandes”, não é incomum vermos em todos os lugares a promoção da mediocridade.

Não é anormal vermos programas de TV e propagandas com pessoas pobres e com pouca instrução sendo as pessoas boas, e os ricos, sendo os malvados e opressores. Dando sempre a ideia de quanto mais ricos e estudados, mais malvados e estúpidos são eles. Além disso, a cultura dessa elite novelista sempre é tratada como sendo estúpidas, gastando dinheiro com coisas vazias e bobas e tirando proveito dos empregados.

Isso cria a impressão de que estudar e ser bem-sucedido na vida transforma as pessoas em gente ruim. Enquanto isso, os mais pobres sempre são tratados como queridos, trabalhadores e esforçados, além disso, a cultura das classes mais baixas é sempre tratada como melhor e é mais divulgada. Não que tudo isso não seja realidade em muitos casos, mas nem sempre é assim.

Estudar, enriquecer e ser bem-sucedido não transforma uma pessoa boa em ruim, a cultura de quem é mais bem de vida, nem sempre é vazia, elitista e internacionalizada. Ter pessoas bem-sucedidas em um país é bom para todos que vivem ali, pois quanto mais gente ganha bem, melhor se torna a qualidade de vida de todos, pois o idealé que muitos ganhem bem e não que poucos ganhem muito e muitos fiquem com pouco.

Um país ideal é onde todos são a elite, bem-sucedido e estudados, mas é exatamente o contrário que vemos na telas.

  1. Walter Duia Neto

    18 de dezembro de 2015 em 11:21

    é por matérias dessa temática que eu tenho esse site como favorito

  2. Derp Derpington

    15 de dezembro de 2015 em 20:30

    Cadê o populismo?

  3. The Guy

    15 de dezembro de 2015 em 16:18

    Parabéns você encontrou o Brasil governado pelo PT, onde ninguém liga para a educação e sim para doutrinação.

  4. Zero, the MAV Hunter

    15 de dezembro de 2015 em 13:55

    Ou ainda, quando o governo e a elite desejam que você seja educado, mas com a educação deles: uma educação que acha que ensinar moral é missão do Estado, que todas as soluções da sociedade têm que vir do Estado. Essas pessoas vão odiar qualquer pessoa que recuse a educação unificada e deseje educar seus filhos por conta própria.

    A verdade é dolorida: a educação não é a salvação (aliás, não existe salvação, não existe mundo melhor, não existe progresso), o caos social é resultado de famílias desestruturadas. Mas estas pessoas são educadas a acreditar que a educação resolve tudo e, inclusive deveria substituir a educação familiar, porque querem sacrificar a ordem para que todos sigam as mesmas ideias unificadas e haja um “progresso” de ideias, porque se derem a liberdade de cada um seguir sei rumo, as pessoas terão a liberdade de não seguirem seus ideais bocós e não serão leais ao Estado revolucionário.

    Mal elas sabem que a destruição do poder da família não só facilita a submissão das crianças à ideologia do Estado, mas também facilita a submissão às tentações das grandes empresas. Ao mesmo tempo que estimulam as crianças a se revoltarem contra a autoridade paterna e seguirem seus próprios desejos (quando esses desejos são os mesmos que o revolucionário deseja) elas podem usar essa revolta para serem pessoas consumistas e se entregarem aos desejos mundanos.

    A educação jamais será “libertadora” se ela vier do Estado. Aliás, isso é um paradoxo: uma educação que diz pra você o que você tem que seguir para se “libertar”.

  5. Leonam

    15 de dezembro de 2015 em 09:31

    aconteceu um fato a um mês ou mais, eu tinha visto uma noticia importante em algum lugar, em seguida pensei: ” é capaz de que vaia acontecer algo enorme nos próximos dias para tirar o foco deste assunto”
    e uma semana depois ocorre aquela tragédia de Mariana. o estranho é que esqueci totalmente o que foi que vi que me fez pensar nisto e também não creio que o ocorrido na mineradora em Mariana tenha sido proposital para desviar o foco de algo, mas foi exatamente o que aconteceu, e foi tão bem que ate eu esqueci o assunto anterior.

  6. Atrelegis Valgard

    14 de dezembro de 2015 em 12:51

    Legal mais alguma usada no Brasil pelo atual desgoverno que promove a palhaçocracia?

  7. Thiago Carvalho Costa

    14 de dezembro de 2015 em 01:27

    A sua utopialandia se chama Noruega em pt

    A Sua utopialandia se chama Noruega

    • chapolim do mal

      14 de dezembro de 2015 em 10:31

      HAHAHA, Noruega é utopia? Longe disso, eles são xenofóbicos principalmente com asiáticos, existe gente passando fome e morando em abrigos durante a noite e durante o dia na rua, e em que utopia a pessoa não pode pedir uma pizza com dois sabores?

  8. Francisco Guimarães

    14 de dezembro de 2015 em 00:33

    magnifico o seu texto, gostei muito do modo como expos a sua ideia, só fiquei meio perdido em um paragrafo, mas entendi o que o seu texto quer explicar.

  9. Blue

    13 de dezembro de 2015 em 23:20

    A situação atual da sociedade humana é triste, a verdade é manipulada, selecionada cuidadosamente para que todos acreditem nessa mentira, em benefício de pessoas que só se importam com o próprio poder e em ter controle, pessoas que não ligam para o bem estar de qualquer um. Justiça, honestidade, verdade, amor, felicidade e outras coisas que realmente deveriam ter valor de nível espiritual e emocional, não simplesmente material, são deixadas em segundo plano, ignoradas, não são coisas importantes, importante é ter sucesso, dinheiro, poder.
    Somos tão orgulhosos de nossa supremacia intelectual que não percebemos que nos tornamos ainda mais selvagens em nossas selvas de concreto.

  10. Greengineer

    13 de dezembro de 2015 em 23:16

    O tema da matéria é bom, mas infelizmente há muita imparcialidade, tanta quanto a mídia que a mesma critica.

  11. KonaKona

    13 de dezembro de 2015 em 22:44

    *palmas*

  12. Everton Ferreira

    13 de dezembro de 2015 em 21:43

    Procurem por : “As grandes estratégias da manipulação midiática por Noam Chomsky” e o texto obscuro (sem autoria aparentemente) “Armas Silenciosas para uma Guerra Tranquila”.
    Só procurem e leiam com atenção… e comparem com o que ocorre no Brasil….

    • Tolerância Zero

      14 de dezembro de 2015 em 12:20

      Vlw.

  13. chapolim do mal

    13 de dezembro de 2015 em 21:13

    Um país onde todos são bem-sucedidos também conhecido como utopialândia.

    • Marcel Cordeiro

      14 de dezembro de 2015 em 11:20

      Também conhecido como Islândia. Onde 90% da população tem nível superior, e é de classe média.

    • Mutley

      14 de dezembro de 2015 em 10:16

      Mônaco mandou abraços .

      • chapolim do mal

        14 de dezembro de 2015 em 10:24

        A população que nasceu em Mônaco e trabalha nos hotéis mandaram vários abraços. Ah, e eles são minoria em seu próprio país.

        • Mutley

          14 de dezembro de 2015 em 10:44

          Isso não anula o fato de que eles podem ser bem-sucedidos (lê-se remuneração) .

19 Comentários
mais Posts
Topo