Minilua

A prova da evolução no seu corpo

A Teoria da Evolução é uma das poucas teorias científicas que ainda não é totalmente aceita pelas pessoas em geral, principalmente pelo fato dela acabar indo contra crenças populares, como a religião. Mesmo assim, a Teoria da Evolução por seleção natural, apresentada por Darwin e melhorada ao longo do século, é uma das teorias científicas mais bem fundamentadas que existem.

As evidências fósseis, DNA, distribuição geográfica, anatomia comparada e mesmo experimentos em laboratórios corroboram essa ideia. Mas se todas essas evidências não são boas o bastante, que tal olhar em seu próprio corpo?

Músculo palmar longo

A evolução é um processo contínuo e longo, por isso, para que mudanças significativas aconteçam, milhares ou mesmo milhões de anos se passam. Nesse processo contínuo, pequenas mudanças ocorrem a cada geração e a soma de todas essas pequenas alterações durante milhares de gerações criam novas espécies.

Nós, humanos, temos descendentes em comum com outros mamíferos e principalmente com os primatas. Mas como estamos nos afastando cada vez mais desses nossos parentes, algumas mudanças estão ocorrendo em nosso corpo. Uma das evidências mais claras é o músculo palmar longo.

Esse músculo é encontrado em diversos mamíferos, mas ele é maior e mais forte em seres que usam os braços para ajudar na locomoção, como alguns macacos menores. Já em humanos, acontece algo bastante interessante com esse músculo, pois além de ser inútil para nós, ele está desaparecendo aos poucos.

Atualmente, algo em torno de 15% da população simplesmente não possui mais esse músculo, pois a evolução está tirando esse “pedaço desnecessário” de nosso corpo. Testes realizados em diversas pessoas mostraram que não existe diferença em força ou habilidade manual comparando quem tem ou não o músculo. Por isso, ele não tem mais utilidade, afinal ninguém fica andando de quatro e subindo em árvores o dia todo.

Será que eu tenho?

Para descobrir se você ainda tem esse músculo inútil em seu corpo, o teste é bem simples:

1 – Coloque seu braço em uma superfície plana:

2 – Junte o polegar ao dedo mínimo:

3 – Levante a mão em direção ao seu antebraço.

Se você vir que uma espécie de cordão surgiu no meio do pulso, isso mostra que você ainda tem esse músculo em seu corpo. Caso seu pulso fique liso, parabéns, a evolução já lhe tirou esse pedaço desnecessário.