Minilua

A psicologia por trás das cores

A cor tem uma capacidade incrível para contar histórias e inferir em emoções. Ela e outras indicações visuais têm o poder de moldar as percepções das pessoas, gerando dois tipos de significados: o incorporado, que é intrínseco de algo e não depende de nossas emoções ou experiências, e o referenciável, que nos criam significado através do que pensamos imediatamente quando a vemos. As cores fazem parte da seção dos significados referenciais.

Sendo assim, não há um significado universal para cada cor, o que faz com que uma cor pode ter um significado em uma cultura, e significar outra em uma cultura diferente. Por exemplo, aqui no Brasil e no mundo ocidental associamos amor a cor vermelha, já na cultura Hindu a cor para amor é o verde, e nas culturas africanas é o azul.

Mas os neurocientistas descobriram que as associações que temos com a informação visual (como a cor) é um dos fatores mais poderosos que nos influenciam quando tomamos decisões rápidas.


O aspecto visual é o fator mais decisivo na hora de uma compra

Estudos que falam sobre como a cor interfere em uma marca diz que ela precisa ser escolhida de uma forma que se “ajuste” perfeitamente com o que está sendo vendido.

Pense no branco da Apple, por exemplo, neste caso a cor encarna perfeitamente seus valores de limpeza, minimalismo e de designs simples e contemporâneos.

Além disso, a marca precisa ser reconhecida pela sua cor, porque as pessoas gostam de serem capazes de reconhecer com rapidez as coisas. Pense em uma lata de coca-cola e como ela é facilmente identificável em uma geladeira.

Os anúncios em cores são vistos 42% mais frequentemente que os mesmos em preto em branco.

Além de influenciar nas decisões e emoções, a cor também é responsável por aumentar o aprendizado e a criatividade.

As cores podem intervir na nossa mente de diferentes modos. Filmes como Matrix, O Mágico de Oz (de 1939), e O Sexto Sentido utilizaram cores específicas para ajudar a contar a sua narrativa. No filme Matrix, por exemplo, sempre que os personagens estavam no mundo real, as cores predominantes eram o verde e o laranja, já na Matriz era o azul e o roxo que entravam em cena.

Veja de que forma as cores influem no pensamento dos ocidentais:

Consideram­-se cores frias, ou deprimentes, as que no disco das cores, estão na  área do azul.  A outra metade do círculo das cores é considerada quente.