Minilua

A razão pela qual Angelina Jolie removeu seus seios saudáveis

O câncer de mama está atingindo as mulheres cada vez mais cedo. Mas se você, mulher, descobrisse que tem o gene desse tipo de tumor, faria uma cirurgia para retirada dos seios, mesmo não tendo desenvolvido a doença? Certamente, algumas garotas diriam que não.

A atriz Angelina Jolie causou polêmica, quando resolveu fazer uma mastectomia radical de suas mamas saudáveis, em uma tentativa de diminuir os riscos de desenvolver a doença em seu organismo. Jolie afirmou ter feito exames, onde foram constatadas quase 90% de chances de ter câncer de mama, pois sua mãe veio a falecer muito cedo, em decorrência disso. “Apenas uma fração de mama é resultado de uma mutação genética herdada. Aqueles com um defeito no gene BRCA1 têm 65% de risco de desenvolvê-lo, em média. Uma vez que eu sabia que esta era a minha realidade, eu decidi ser proativa e minimizar o risco, dentro do possível. Eu tomei uma decisão e então fiz a dupla mastectomia preventiva”, disse ela.

Ato de heroísmo para alguns, medo de enfrentar a doença para outros, no entanto, esse é um assunto muito delicado e particular de cada pessoa, não cabe a ninguém julgar esse tipo de atitude, principalmente, se houverem outros casos na família. Algumas mulheres que já passaram por essa intervenção afirmam não ter perdido a feminilidade, tampouco sentem-se diferentes em relação às outras.

Ao ser constatado que uma mulher tem CA de mama, aliado a um histórico familiar plausível, será feito um exame de detecção de algum gene com defeito e caso o resultado seja positivo, ela poderá optar pela retirada, assim como administração de medicamentos que possam prevenir complicações futuras. Apesar de reduzir o risco em 95%, a mastectomia radical pode deixar resíduos de tecidos mamários com células cancerosas, as quais podem causar o cancro.