Minilua

Recebi por e-mail: Sou tão feio… #83

Sabe aqueles e-mails show de bola que seus amigos te mandam? Agora o Minilua compartilha com você leitor, os e-mails que recebemos. Você também pode participar, basta encaminhar o e-mail para:recebiporemail@ymail.com deixando o seu nome para os créditos. Lembrando que não vale corrente, não deixe de participar!

Veja abaixo o e-mail desta semana enviado pelo nosso leitor Wagner Cezário.

Sou tão feio…

Eu era tão feio que quando nasci, o doutor me deu um tapa na cara. Mesmo assim não chorei, mas quando me viram, choraram o médico, a enfermeira e minha mãe… todo mundo chorou!

Eu sou tão feio que quando nasci o médico disse para minha mãe: "Senhora, sinto muito, fizemos de tudo, mas acho que seu filho está vivo!"

Logo após meu nascimento, o médico foi à sala de espera e disse a meu pai:

— "Bem, de início eu achei que tinha tirado o fígado da sua esposa. Fizemos o que foi possível… mas ele sobreviveu".

Já minha mãe ficou na dúvida se ficava comigo ou com a placenta. E como era prematuro me colocaram numa incubadora… metálica e com proteção de alta tensão.

Minha mãe nunca me deu o peito, me dava as costas. E como sempre fui muito peludo sempre perguntavam a minha mãe:

— "Senhora, seu filho foi parido ou tecido?"

Logo percebi que meus pais não gostavam muito de mim, pois meus brinquedos para a banheira eram um rádio e uma torradeira elétrica.

Eu era tão feio que quando brincava de esconde-esconde ninguém me procurava. Uma vez fiquei perdido no mercado e quando perguntei ao policial onde estavam os meus pais, ele respondeu:

— "Não sei; há um montão de lugares onde podem ter se escondido".

Além de feio eu era muito magro: para fazer sombra tinha que passar duas vezes pelo mesmo lugar. Tão magro que o único trabalho que me ofereciam era para limpar mangueiras… por dentro.

Mas meu problema não era ser tão magro senão ser feio, muito feio. Meus pais tinham que amarrar um pedaço de carne no meu pescoço para que o Totó brincasse comigo.

Sim, amigos, eu sou feio, mas tão feio que uma vez fui atropelado por um carro e fiquei melhor.

Sou tão feio que um dia lancei um bumerangue e o fdp não regressou nunca mais.

Em certa ocasião, quando fui sequestrado, os sequestradores mandaram meu dedo mindinho para meus pais pedindo recompensa. Minha mãe exigiu mais provas.

E por causa da feiúra, minha vida não foi fácil, tive que trabalhar desde garoto. Meu primeiro emprego foi numa veterinária e as pessoas não paravam de perguntar quanto eu custava.

Certa vez minha bela e "gostosona" vizinha foi até a janela do meu quarto e disse:

— "Vá lá em casa depois que não vai ter ninguém". Quando cheguei lá não tinha ninguém.

O psiquiatra disse-me um dia que eu deveria estar louco. Então lhe disse que precisava escutar uma segunda opinião.

— "Ok, além de louco, você é muito feio", ele me disse.

No carnaval passado fui a loja de fantasias e pedi que o atendente me desse a fantasia mais horrorosa que ele tivesse. Ele procurou… procurou e voltou com um elástico.

Pensei na igreja,mas eu era tão feio que quando Jesus me viu, começou a andar sobre a água !

Foi por estas e outras que um certo dia tentei me suicidar pulando do terraço de um prédio de 50 andares, aí mandaram um padre para falar comigo:

— "Meu filho, as coisas não são assim, pense um pouco no que você está fazendo. O que você está fazendo?"

Quando estiquei o pescoço para ver quem estava falando comigo, ele me viu, arregalou os olhos e continuou:

— "O que você está fazendo que ainda não pulou?"

O último desejo de meu pai antes de morrer foi que me sentasse em seu colo. Ele foi condenado à cadeira elétrica…

E assim cresci, um emprego aqui, outro ali… mas sempre esbarrando na minha feiura: cinco demissões por justa causa só porque os chefes achavam que estava fazendo careta pra eles. Aí um dia pensei:

— "Será que não há algo que eu possa fazer que as pessoas me achem bonito?"… “Se mata”, disse meu cérebro…