Minilua

Bandas que marcaram época: Charlie Brown Jr #2

Formado em 1992, na cidade de Santos, litoral de São Paulo, o Charlie Brown Jr., é tido até hoje, como um dos grupos de maior representatividade do Rock nacional. Relembre conosco um pouco da trajetória da banda, seus maiores hits, e sua respectiva influência para toda uma geração.

 

O começo

A trajetória do Charlie Brown Jr., tem inicio de uma forma bastante inusitada. O ano era 1987, e na época, o futuro vocalista do grupo, o ainda garoto, “Chorão”, se vê obrigado a se mudar para a cidade de Santos. Alexandre Magno, seu verdadeiro nome, tivera uma infância bastante complicada, permeada por diversos problemas familiares. Diante disso, até como válvula de escape, ele passaria, a partir dos final dos anos 80, a nutrir verdadeira adoração por dois itens: música e o skate. No caso da música, em especial, os grupos de sua predileção eram focados no Punk Rock/Hardcore e Hip Hop dos Estados Unidos.

 

A primeira apresentação

Fã de rock assumido, Chorão, teria sua primeira oportunidade como frontman de uma banda em um dos bares de Santos. Alegando problemas fisiológicos, o vocalista de um dos grupos da noite, ficara impossibilitado de cantar. Diante disso, era preciso que alguém assumisse o posto, que seria prontamente preenchido por Chorão. Percebendo o talento do jovem, uma pessoa da platéia, alguns dias depois, faria um convite inesperado para ele. Tal convite, nada mais era, que uma proposta para que o jovem vocalista assumisse um novo projeto. Certo tempo depois, o convite seria aceito. Dentro desse contexto, é bom que se diga, surge o nome de “Champignon”, um garoto de apenas 12 anos, que seria aceito como baixista do grupo. Posteriormente, os nomes de Renato Pelado, Marcão e Thiago Castanho completariam a formação.

 

O nome Charlie Brown

Com a formação completa, faltava definir um nome para a banda. Isso, aliás, ocorre de uma forma bastante inusitada. Em uma tarde, durante um passeio por uma das praias da região de Santos, Chorão, se depara com uma barraca que vendia cocos. No pequeno espaço, uma imagem do personagem Charlie Brown chama sua atenção. Algumas semanas depois, em reunião com seus colegas de grupo, Chorão anunciava o nome do grupo, “Charlie Brown Jr”.

 

Os primeiros shows

Já no ano de 1993, as primeiras apresentações passam a acontecer no circuito underground das cidades de Santos e São Paulo. Em busca de uma maior penetração, o grupo entregaria uma fita demo para Rick Bonadio, presidente da gravadora Virgin Records, e produtor dos Mamonas Assassinas. Bonadio, por sua vez, se interessaria pelo material, contratando a banda. A partir de então, tem início o processo de preparação do primeiro álbum do Charlie Brown Jr., “Transpiração Contínua Prolongada”. O disco é encabeçado por diversas faixas de sucesso, entre elas “O coro vai Comê, "Tudo que ela gosta de Escutar", “Gimme o Anel” e “Proibida Pra mim”.

 

O sucesso

A partir de “Proibida pra Mim”, o grupo ganharia uma atenção especial por parte da mídia especializada. Isso, aliás, se torna bastante perceptível já com o segundo álbum da banda, “Preço Curto, Prazo Longo”. O álbum era composto por 25 faixas, e trazia como grande destaque, a música “Te Levar”, tema durante várias temporadas da novela Teen, Malhação, da Rede Globo. O tempo passa, e no ano 2000, é lançado “Nadando com os Tubarões”. Este álbum trazia uma sonoridade um pouco diferente do habitual, com músicas mais politizadas como “Rubão, o dono do Mundo” e “Não é Sério”. No mesmo ano, alegando divergências pessoais, o guitarrista do grupo, Thiago Castanho, deixaria o “Charlie Brown Jr. Alguns meses depois, durante o VMB (Video Music Brasil) da MTV, a banda seria agraciada com o principal prêmio da competição, o troféu “Escolha da audiência” pelo vídeo de “Rubão, o dono do “Mundo”.

 

Acústico MTV

O “Charlie Brown Jr.” chegaria a gravar um acústico para a MTV Brasil. Entre os convidados do projeto, os nomes de Marcelo D2 e Marcelo Nova merecem destaque. Entre as versões do álbum, uma releitura de “Proibida Pra Mim”, “Tudo que ela gosta de Escutar”, “Samba Makossa”, além da inédita, “Vícios e Virtudes”.

 

Nova formação

Uma surpresa: No início de 2005, tanto o vocalista do grupo, como os fãs, seriam surpreendidos com o comunicado de que Renato Pelado, Champignon e Marcão estavam deixando o Charlie Brown Jr. Dentro desse contexto, poucos acreditavam em uma eventual sobrevida para a banda. Contrariando a isso, Chorão aparecia alguns dias depois com uma nova formação, dessa vez, com os músicos André Ruas, conhecido como Pinguim, e Heitor Gomes.

 

Curiosidades

O sufixo “Jr.”, presente no nome do Charlie Brown, se refere a uma analogia do vocalista diante da falta de experiência de sua banda.

O álbum “Transpiração Contínua Prolongada” venderia 500 mil cópias.

– Tanto o Hip Hop, como o Punk Rock/Hardcore estão presentes na sonoridade da banda desde seu início.

– No ano de 2004, durante a turnê do “Acústico MTV”, o vocalista Chorão se desentenderia com Marcelo Camelo, então vocalista do grupo “Los Hermanos”. O episódio aconteceria no aeroporto da cidade de Fortaleza, pouco antes do “Festival de música do Piauí”.

– O apelido do vocalista do grupo, se deve ao fato de ainda criança, ele gostar de andar de skate. Ele, por sua vez, não logrando êxito, ficava bastante triste, sendo apelidado por amigos como “Chorão”.

 

Álbuns

1997- Transpiração Contínua Prolongada

1999- Preço Curto… Prazo Longo

2000- Nadando com os Tubarões

2001- Abalando a sua Fábrica (100% Charlie Brown Jr.)

2004- Tâmo aí na Atividade

2005- Imunidade Musical

2007- Ritmo, Ritual e Responsa

2009- Camisa 10 (Joga Bola até na Chuva)