Minilua

Será que uma máquina poderia sentir emoções?

“Será que uma máquina poderia sentir emoções?”, esta é a pergunta que dá origem a vários filmes de ficção, como  Ex-Machina: Instinto Artificial, onde uma peculiar forma de Inteligência Artificial(IA) é submetida ao famoso teste de Turing para identificar se ela poderia se passar por um ser humano.

O resultado final diz que sim, um robô avançado é capaz de imitar e falar fluentemente como um humano, sendo impossível discernir entre ser uma pessoa comum ou uma máquina, mas e em relação ao lado emocional?

Atualmente existem alguns robôs que tentam imitar as emoções humanas, como o Aldebaran Robotics ‘Nao, que possui sensores de toque, duas câmeras e quatro microfones capazes de reconhecer faces, responder a usuários e fazer contato visual, sendo muito bem sucedido ajudando crianças autistas.

No ano passado criaram Pepper, um robô que pode identificar emoções, imitá-las e tentar animá-lo se perceber que você está triste. Embora estes robôs não sintam emoções, eles podem agir de forma convincente a um ser emocional, então chegamos a outro ponto. Será que realmente importa o fato deles não sentirem emoções ou eles deveriam sentir e se comportar com suas próprias respostas emocionais?

Outro ponto de vista

A tecnologia está tão avançada que atualmente estão realizando um projeto conhecido como Human Brain Project (Projeto Cérebro Humano), que será lançado neste ano de 2016, onde será modelado um cérebro humano utilizando chips neuromórficos dentro de uma rede neural artificial.

Isto abre caminho para uma mudança de paradigma, pois não sendo um computador isolado, ele seria capaz de interagir com um mundo sensorial muito mais complexo. Quanto maior o ambiente que uma máquina poderia explorar, maior a gama de emoções que ela poderia experimentar.

Por exemplo, se você ameaçar atirar uma pedra em seu laptop, ele não poderá fazer nada, no entanto, com a IA, e a compreensão do ambiente circundante, ele poderia detectar essa ameaça e reagir a esse estímulo, isto é, teria medo da sua ação e tentaria se defender.

Fome e sede
Sensualidade
Sono, irritabilidade, estresse e fadiga
Instintos protetores

Mas isso não significa que uma IA não possa ter emoções, ela poderia sentir por exemplo:

Tristeza, alegria e decepção
Medo
Surpresa
Companheirismo

Note que tudo isso seria devido à incorporação de sensores, afinal, muitas destas emoções são uma resposta a um estímulo externo. Por exemplo, a alegria quando recebe um presente ou a surpresa quando acontece algo inesperado.

Talvez seja muito cedo para descobrir esta resposta, mas tudo indica que em breve teremos máquinas capazes de agir conforme suas próprias experiências e emoções.