Minilua

Seres da mitologia que realmente existiram: Kraken #7

Após algum tempo parada, a série “Seres da mitologia que realmente existiram” está de volta. O escolhido da vez é o famoso Kraken, uma espécie de lula que ameaçava os navios na crendice nórdica.

Antes de iniciar a história de Kraken é importante ressaltar que o ser em si fica somente no fantasioso do folclore nórdico, no entanto as lulas colossais ou então lulas gigantes que deram origem a esse terrível monstro realmente existiram.

A lenda de Kraken surgiu após algumas embarcações terem sido atacadas no Mar da Noruega (responsável por separar a Islândia das terras Escandinavas). Diversos relatos de navegadores descreviam um monstro gigantesco que tinha muitos tentáculos, possuía o tamanho de uma ilha e que destruía tudo que visse pela frente.

Com a imaginação do povo e os mais diversos relatos, acabou-se criando o Kraken, um ser que seria mais parecido com uma lula, era maior do que uma ilha de médio porte, possuía mais de cem tentáculos e afundava navios que poluíam o mar e também os navios piratas.

O caso do Kraken é o mesmo de muitos outros seres da mitologia, ou seja, diante de um nevoeiro, do medo e de tempestades, um simples animal ou pessoa pode se tornar uma terrível e mítica criatura.

Para entendermos melhor como funciona, seria o mesmo caso das sereias que surgiram após registros visuais de focas e dugongos de longe, no meio de nevoeiros. Há quem diga que essas criaturas com metade do corpo de um peixe e outra metade mulher realmente existem ou existiram, mas isso é assunto para outro artigo.

Continuando com a história do terrível Kraken, o que houve na verdade foi a visão e ataques de lulas gigantescas e lulas colossais que acabaram sendo confundidas e transformando-se em uma terrível criatura mitológica.

O Kraken faz diversas aparições em games, filmes e desenhos. Suas participações mais famosas são nos filmes Piratas do Caribe (invocado pelo Holandês Voador), Crônicas de Nárnia e também nos games Age of Mithology e God of War II.

Gostou do artigo? Clique em Curtir!