Minilua

Síndrome de Savant: A doença do idiota-prodígio

Um dia você é uma pessoa normal como outra qualquer e de repente acaba batendo a cabeça. Quando acorda da batida você é um gênio da matemática ou da música, mesmo sem saber quanto era 2+2 antes ou o que era um nota musical. Pode até parecer papo furado, mas isso existe:

Síndrome de Savant

Essa é uma síndrome bem louca, pois ela é aplicada as pessoas que são incapazes de coisas básicas e superinteligentes ao mesmo tempo.

Algumas pessoas que possuem essa síndrome conseguem realizar fatos extraordinários, tais como: Aprender línguas completas em uma semana, decorar sequências de números gigantescas em poucas horas ou mesmo compor sinfonias inteiras sem ter que pensar muito. Contudo, ao mesmo tempo, elas mal conseguem falar ou escrever, as vezes nem conseguem lembrar do rosto de uma pessoa com a qual conversaram meia hora atrás. Um gênio com savantismo pode resolver cálculos mais rápido que um computador e ao mesmo tempo ser incapaz de limpar a própria bunda.

Por isso o savantismo é muito conhecida como a síndrome do idiota-prodígio.

Nascendo assim

Muitas pessoas, normalmente as que possuem problemas mentais ou autismo, nascem com essa síndrome. Assim desde pequenas elas são gênios em alguma coisa, mesmo que sendo extremamente problemáticas em outras.

Uma média de 10% dos autista sofrem dessa síndrome e uma a cada 2 mil pessoas com retardo ou danos cerebrais também acabam sofrendo com esse problema.

Savantismo adquirido

Mas nem todo mundo que sofre de tal síndrome nasce com ela, existem vários casos de pessoas, que após uma forte batida na cabeça, despertam como gênios. Esse é o caso de Derek Amato, que era uma pessoa normal e depois de bater sua cabeça em uma piscina, despertou e virou gênio da música.

Um dia ele sentou em um piano e saiu compondo e tocando diversas músicas, como se fosse um mestre em tal instrumento, só que aquele era seu primeiro contato com as teclas.

Amato conta que ele enxerga a música como cubos brancos e negros que aparecem em sua cabeça, assim ele consegue reproduzir qualquer música e compor tantas outras sem problemas, pois seu cérebro trabalha de maneira diferente.

Como essa síndrome funciona?

Existem diversas pesquisas que buscam entender o verdadeiro funcionamento de tal síndrome, principalmente em pessoas que a adquirem depois de uma batida ou acidente.

Um desses estudos mostrou que aparentemente todos nós podemos nos tornar gênios com o savantismo, basta que nosso cérebro sofra um dano em determinada parte. Segundo as pesquisas, o savantismo nada mais é que uma nova dinâmica cerebral, onde uma parte para de funcionar direito e outra toma conta.

Aparentemente nosso cérebro tem superpotencialidades, mas quando funciona perfeitamente, uma parte acaba “prendendo” a outra, fazendo com que todo o potencial de certa parte fique escondido. Só que quando uma parte para de funcionar, a outra toma conta, mostrando todo seu verdadeiro poder e capacidade, revelando um gênio na área não afetada.

Mas essa superhabilidade cobra um preço, pois normalmente quem sofre de savantismo perde alguma coisa importante do cérebro, muitas vezes a mesma pessoa que conseguem calcular mais rápido que um computador não consegue conversar com pessoas e nem mesmo fazer xixi sozinha… Então não saia por aí batendo a cabeça, pois a genialidade pode custar caro ou mesmo te matar!

Entendendo melhor

O savantismo seria mais ou menos assim: Você tem duas partes do cérebro, uma que cuida do português e outra da matemática. Com as duas funcionando você é nota 5 em cada uma dessas coisas. Só que um dia, a parte que cuida do português sofre um dano e para de funcionar, assim a parte da matemática fica livre e você se torna uma pessoa nota 10 em cálculo, mas perde sua capacidade de falar.

Incríveis casos de savantismo

Kim Peek – Ele possui uma memória fotográfica perfeita, tanto que decorou mais de 10 mil livros, todos os endereços e todas as rodovias que levam a determinados lugares no EUA, além de saber todos os CEPs, DDDs, canais de televisão e muitas outras coisas, que necessitariam de gigas de dados para serem gravadas. Ao mesmo tempo ele é incapaz de ir ao banheiro sozinho.

Daniel Tammet – Esse homem aprende línguas inteiras em uma semana, consegue decorar mais de 22 mil números depois da virgula de Pi em apenas algumas horas. O cérebro dele faz associação com números e cores para tudo, assim ele consegue memorizar muitas coisas com facilidade incrível. Ele se tornou tão bom que começou a ensinar seu método para pessoas normais e até mesmo escreveu livros sobre isso.

Leslie Lemke – Sem nunca ter tocado em um piano antes, Leslie um dia ouviu uma sinfonia na TV e sentou-se no instrumento, tocando tudo com incrível perfeição. Ele é cego, com paralisia cerebral e mentalmente deficiente.

Siga Diego Martins no Google+: gplus/diegomartins

Ou adicione no Facebook: http://www.facebook.com/diegominilua

Faça parte de nosso grupo: http://www.facebook.com/groups/188760724584263/