Super prodígios: Taylor Wilson #1

Enquanto você está aí tentando decorar a fórmula de Bhaskara ou aprendendo a calcular a velocidade de um objeto, existem pessoas que, com a mesma idade, estão mudando o mundo e fazendo coisas incríveis, ou mesmo dando aula na faculdade. Duvida? Então conheça os super prodígios:




Taylor Wilson

TaylorWilson1_0

Taylor era uma criança que dormia em todas as aulas e mesmo assim tirava 10 em todas as provas, sem nem ao menos se esforçar. Mas no meio dessa falta de vontade existia uma curiosidade enorme, voltada para um campo bem específico: Materiais radioativos.

Com falta de interesse nas matérias normais da escola e com a falta de desafio que ela proporcionava, Taylor começou um projeto na garagem de casa, algo bastante ambicioso, até mesmo para um cientista, e algo que todos pensavam ser impossível para um jovem de treze anos. Ele queria fazer um reator nuclear no lugar onde seu pai guardava o carro.




Brincando com radioatividade

radioactive

Apesar de parecer um plano muito ambicioso para um adolescente, Taylor, incrivelmente, conseguiu criar um reator nuclear em sua garagem, tonando-se a pessoa mais jovem da história da humanidade a realizar tal feito.

Apenas isso chamou a atenção do mundo. E ele conseguiu uma bolsa na Universidade de Nevada, onde o programa com materiais radioativos é um dos mais importantes do mundo.

Contudo a genialidade do menino não parou por aí, ele ainda inventou um detector de radiação que deixou o mundo de queixo caído. Pois além de ser mais preciso e sensível, seu detector era centenas de vezes mais barato do que os que eram usados antes. Essa invenção lhe proporcionou diversos prêmios, com destaque para o Intel Internacional Science and Engineering Fair, onde deixou mais de 1500 concorrentes comendo poeira. Além disso, ele ganhou uma vaga no conselho nacional americano que trata de radioatividade, tudo isso com menos de 18 anos.




Reator de fissão

EnergiaNuclear-01

Para fechar, em 2013, o menino gênio da radioatividade apresentou no TED uma palestra sobre seu novo projeto, que promete mudar o modo de criação de energia nuclear no mundo.

Sua ideia é um reator de fissão nuclear, que promete usar armas nucleares desativadas para alimentar pequenas usinas que ficam em lugares subterrâneos altamente seguros contra desastres e ataques terroristas. Esse novo reator, que ele quer fazer, conseguirá fornecer energia por 30 anos com apenas uma carga de material.

Com essa idade eu ainda estava tentando montar um barquinho de Lego…

Siga Diego Martins no tumblr: Tumblr/diegomartins

Ou adicione no Facebook: http://www.facebook.com/diegominilua

Faça parte de nosso grupo: http://www.facebook.com/groups/188760724584263/

  1. O Astro (Alone)

    19 de dezembro de 2013 em 22:09

    Por que essa série não prosseguiu ?

  2. O Astro (Alone)

    10 de outubro de 2013 em 16:36

    Eu tenho 14, eu tiro umas notas ótimas mesmo sem estudar e meu fascínio é a física mas moro no Brasil… Fracassei !

  3. Aline Gonçalves

    9 de outubro de 2013 em 19:09

    Cuidado pra não sofisticar a bomba atômica, Pequeno taylor

  4. Wesley Leonardo Da Silva

    13 de julho de 2013 em 23:48

    Me pergunto onde ele comprou materiais radioativos ‘-‘

  5. Igor Lima

    13 de julho de 2013 em 18:32

    Grande coisa.

  6. Yuki Nagato

    12 de julho de 2013 em 12:17

    Mas também durmo nas aulas e consigo tirar 10 sem esforço em todas as matérias (menos exatas pq, né) e nem por isso me acho especial… ‘-‘

  7. Truta Limão

    11 de julho de 2013 em 18:13

    Deve ser fácil pra ele

  8. eduardo (eduh)

    11 de julho de 2013 em 15:03

    uff,um asiatico não fez o mesmo pq em hiroshima eles não gostam muito de plutonio..

  9. Jason Yagami

    11 de julho de 2013 em 11:53

    fico pensado na situação desse menino … =
    – pai da pra adiantar a mesada esse mês
    – pq filho
    – é pq pai, o meu plutônio acabou e tenho que comprar mais
    – a ta certo então toma aqui uns 15 mil dólares e vá comprar, mas cuidado olhe o prazo de validade são os melhores aqueles que valem uns 12 mil anos viu…
    – ta bom papai…

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk a vida desse moleque deve ter sido muito surreal

  10. Bernardo

    11 de julho de 2013 em 11:38

    Na idade desse cara eu não sabia nem tomar banho sozinho.

  11. Raffael

    11 de julho de 2013 em 11:37

    Nessa idade eu ainda estava tentando entender o motivo do Ash não crescer e o Pikachu não evoluir.

  12. Jason Yagami

    11 de julho de 2013 em 11:36

    engraçado fico aqui pensando um garoto de 13 anos (brincando) com radioatividade sem proteção especifica de chumbo pois não pode ser comprada por um civil, aí eu me pergunto como esse cara não pegou radioatividade, pois um simples contato de material radioativo com a atmosfera pode matar uma cidade inteira, imaginem um contato direto com um garoto de 13 anos ¬¬

  13. Velha Surda da Praca

    11 de julho de 2013 em 10:23

    Acho q ele eh um Et…

  14. Luís Felipe

    11 de julho de 2013 em 00:57

    mais um caso de gênio q perde tempo na escola comum, com suas matérias “fundamentais” e sua forma de ensino super desenvolvida. PQP, na minha antiga escola tinha feira literária e artística, WTF!? isso n serve pra PN!
    Eu sempre dei conselhos aos coordenadores pra fazerem uma feira de ciências, resultado: PN!

    • Li Syaoran

      11 de julho de 2013 em 09:29

      Concordo que deveriam fazer feiras científicas com muito mais frequência nas escolas, mas feiras literárias e artísticas são extremamente importantes também. A começar pelo fato de que uma das maiores dificuldades dos estudantes brasileiros é interpretar textos com profundidade, e não há forma melhor de corrigir isso do que lendo bastante, logo, as feiras literárias são fundamentais. As feiras artísticas também são legais porque permitem aos estudantes descobrir e desenvolver vários talentos que nem sequer imaginavam que posuíam e podem afastá-los do crime e das drogas, o que é extremamente necessário num país como o Brasil.

    • Diego Martins

      11 de julho de 2013 em 01:45

      Realmente a escola como ela é hoje, não estimula as pessoas de verdade. O sistema todo está errado, mas a solução é muito complexa.

  15. Lilian

    10 de julho de 2013 em 23:05

    Eu também tiro 10 em quase todas( menos de historia)

    • Tony Silva

      9 de janeiro de 2014 em 16:18

      e alguém te perguntou alguma coisa??

      • Lilian

        10 de janeiro de 2014 em 18:37

        E o que você tem haver com o que é faço?

    • Luís Felipe

      11 de julho de 2013 em 00:58

      Vc deve estar no fundamental, e estuda o dobro do q se diverte.¬¬

      • Lilian

        11 de julho de 2013 em 14:28

        Cale-se

  16. Evelyn Rhayane

    10 de julho de 2013 em 22:25

    muito genio

  17. Ricardo Gomes

    10 de julho de 2013 em 21:49

    Sheldon Cooper está se coçando de raiva uma ora dessas.

    • Otavio

      14 de julho de 2013 em 23:04

      esse comentario tem que ir pros melhores kkkkkkkkkkkkk

  18. kurama yoko

    10 de julho de 2013 em 21:30

    O garoto “supostamente” cometera suicídio em… 3.2.1

  19. Wellington Bianchi

    10 de julho de 2013 em 21:26

    Carai… Esse muleke é zika…

  20. Pedro

    10 de julho de 2013 em 21:24

    ‘murica, um país onde crianças de 10 anos têm acesso a materiais nucleares…

    se ele fosse pardo e barbudo o FBI teria feito uma visitinha cordial na casa dele…
    .-.

  21. nathália Rodrigues

    10 de julho de 2013 em 20:29

    genial, isso que acontece quando a curiosidade e a vontade de vencer desafios toma conta.Por isso que eu acredito que as escolas devem apresentar materias mais incentivadoras ao intelecto.

    • Pedro

      10 de julho de 2013 em 21:20

      todas as matérias são desafiantes e incentivadoras do intelecto, o problema é que geralmente elas são ensinadas de uma maneira burra…

      • Li Syaoran

        11 de julho de 2013 em 09:17

        Como esse sistema educacional é burro cara, que loucura, ele é burro. Isso aí que ele ensina é tudo burrice, é burrice. Eu não consigo aprender bem o que ele ensina porque ele ensina de uma maneira burra cara.

        • Tony Silva

          9 de janeiro de 2014 em 16:17

          “não sou eu que sou burro, é o sistema educacional” pior desculpa de sempre.

    • Lucas Rodrigues

      10 de julho de 2013 em 20:34

      Já existe Física, Matemática e Química que incentivam o intelecto, mas incentivariam melhor se fossem mais aprofundadas.

  22. Lucas Rodrigues

    10 de julho de 2013 em 20:23

    Legal, ele foi bem ousado em trabalhar com materiais perigosos, pelo visto ele pretende fazer a energia nuclear progredir no mundo todo, só espero que não abusem demais.
    “Taylor era uma criança que dormia em todas as aulas e mesmo assim tirava 10 em todas as provas…” quem dera eu tirar 10 em uma prova sem nem ao menos se esforçar, acho que todo mundo queria isso kkkkkkk, mas esforço e dedicação é preciso 🙂

33 Comentários
mais Posts
Topo