Minilua

A surpreendente origem das palavras #2

Todos os dias, nós usamos palavras para nos comunicar com as outras pessoas, mas são raras as vezes em que paramos para pensar no seguinte: “De onde surgiram essas palavras? E qual seu real significado?”

Quase toda palavra possui uma origem e um porque, muitas vezes são surpreendentes:

Assassino – A origem dessa palavra remonta ao século XI, quando uma seita islâmica, comandada por Hassan Ibn Sabbah, era conhecida e temida por levar a cabo diversos assassinatos. E para deixar tudo ainda mais cruel, os soldados matadores usavam haxixe, assim seus ataques não tinham piedade. Por esse motivo, eles começaram a serem chamados de hashashin, que na verdade significa consumidor de haxixe. Contudo o trabalho de matar pessoas desse grupo ficou tão famoso que hashashin virou sinônimo de morte.

Salário – Dessa palavra todo mundo gosta! E apesar de ser algo estranho, sua origem vem do sal. No antigo Império Romanos, os solados não recebiam em dinheiro, seu soldo era pago em sal, assim eles recebiam o salarium argentum, que depois virou apenas salário.

Candidato – A origem dessa palavra é bem curiosa. Na Roma, as pessoas que se candidatavam a cargos públicos (candidatus) costumavam sair nas ruas vestidas de branco para representar sua pureza e sinceridade. Por esse motivo, essa expressão evoluiu naturalmente para o que é hoje, mas como todos sabem, o verdadeiro sentido dela, que era pureza, se perdeu.

Interessante que naquela época, quando era descoberto que o candidato não era assim tão puro, as pessoas jogavam lama em sua roupa branca… Aposto que tem muita gente hoje em dia querendo jogar mais do que lama em alguns candidatos por aí.

Bunda – Bunda também é cultura! E a origem dessa palavra é bastante interessante.

Muito antigamente, quando o Brasil ainda era de Portugal, os portugueses não tinham a palavra bunda no vocabulário e tinham que usar “nádega” ou “c*” para designar essa parte do corpo humano. Só depois de um tempo, com a vinda de alguns escravos vindos de Angola e de Cabo-Verde, que a coisa mudou.

Esses escravos falavam um idioma que era chamado de ambundo, o que lhes rendeu o apelido de bundo. Já as mulheres escravas desses país ficaram conhecidas por terem nádegas avantajadas, das quais os portugueses não tiravam os olhos e toda vez que uma delas passa, alguém comentava: “Que bunda, hein Manoel!”

No fim a palavra deixou de designar apenas as escravas daquele lugar e passou a ser usada para qualquer bunda!

 

Siga Diego Martins no Google+: gplus/diegomartins

Ou adicione no Facebook: http://www.facebook.com/diegominilua

Faça parte de nosso grupo: http://www.facebook.com/groups/188760724584263/