Técnicas de “lavagem cerebral” aplicadas em muitas seitas e religiões

300px-Brainwashing_1,_acrílico_sobre_lienzo,_100_x_80_cms

Uma “lavagem cerebral” é qualquer esforço constituído visando mudar certas atitudes e crenças de uma pessoa. Também chamado de “reforma do pensamento”, o termo “lavagem cerebral” foi inventado pelo jornalista Edward Hunter, durante a Guerra da Coreia, para descrever as técnicas de “reeducação” que os chineses usavam em soldados americanos capturados.

Contudo, alguns estudos concluíram que prisioneiros de guerra americanos que fizeram declarações anti-americanas, em sua maioria, o fizeram para evitar a punição física, e que a lavagem cerebral de prisioneiros de guerra não foi particularmente bem sucedida. Assim, é importante estar ciente de que há algum debate sobre o que constitui exatamente lavagem cerebral e sobre a eficácia da mesma.

Entretanto, muitas seitas e religiões utilizam amplamente uma “combinação de métodos psicológicos” para tornar seus membros extremamente devotos. Confira os principais:




Cantar e cantar

Cantar é uma característica importante de muitas religiões, quase todas as instituições religiosas fazem algum tipo de adoração cantando músicas. As vozes, quando cantadas em coro, passam a ideia de um forte sentimento de unidade e de identidade de grupo. Juntando isso com os efeitos conhecidos de cantar, como redução da frequência cardíaca e relaxamento, é lançada a percepção de que rezar em grupo é algo muito positivo. Além disso, a repetição persistente de entonações curtas causam um entorpecimento mental, eliminando o pensamento lógico e induzindo a um estado de transe.

Estudos psíquicos sugerem que, quando uma pessoa é induzida à hipnose repetidas e prolongadas vezes, a sua capacidade de tomar decisões e avaliar novas informações fica prejudicada. Desta forma, a hipnose através do canto é uma ferramenta usada por líderes de diversos cultos para corromper as habilidades de pensamento crítico do indivíduo.




Pedagogia da atividade

Young woman with friends in plank position at park. Horizontal shot.

A atividade física ou esporte é uma ótima ferramenta para instigar o bom comportamento e o conformismo no ensino. Incentivadas a saltar no lugar ou correr, as crianças ficam cansadas e consequentemente menos propensas a discutir ou criar problemas.

Reconhecendo este fenômeno, muitos cultos estão fazendo com que seus seguidores se ocupem com uma série de infindáveis atividades cansativas como um meio de controle. O que separa essa “pedagogia da atividade” de uma mera atividade esportiva é que os doutrinadores aproveitam esse clima de exaustão e euforia experimentada pelo corpo, logo após a atividade física, para então introduzirem crenças ideológicas.




Bombardeio de amor

Group of friendly businesspeople in suits standing head to head

Muitas crenças reforçam a impressão de que o mundo fora do grupo é ameaçador e errado e que o único caminho correto é aquele pregado pela congregação. Em contrapartida, dentro do grupo, há um grande “bombardeio de amor” para garantir a sensação de segurança e de acolhimento. Os novos seguidores recebem demonstrações de atenção e de carinho.

É um lugar comum para a psicologia social, sentimos forte inclinação em retribuir o comportamento gentil e generoso dos outros. Assim se estabelece uma relação e um sentimento de obrigação, dívida e culpa em novos seguidores. Isso se torna muito eficaz justamente porque atenção e afeto são exatamente o que as pessoas procuram ao tomar “novos rumos” na vida.




A privação do sono e fadiga

iStock_000006958284_Small-e1461867239959

Uma combinação de sobrecarga de sentimentos, desorientação e de privação do sono desintegra a nossa capacidade de tomar boas decisões. Uma técnica usada em muitas religiões é instruir os membros a seguirem dietas especiais que contêm baixas quantidades de proteína e outros nutrientes importantes. Como resultado, os membros do grupo sempre vão se sentir cansados, tornando-se incapazes de resistir aos conselhos da ideologia do culto.

Em entrevista a um jornal japonês, um membro da Aum Shinrikyo, uma seita apocalíptica que em 1995 realizou um ataque ao Metrô de Tóquio matando 13 pessoas, relatou que faziam parte das regras “comer uma refeição por dia e dormir um par de horas a cada noite”.

  1. George Gunner

    9 de maio de 2016 em 23:28

    estudos recentes na psicologia, diz que pessoas religiosas são mais felizes, tem esperanças no futuro, e quando uma tem algum problema eles se ajudam. (não tenho religião)

  2. Mateus Daniel Caetano

    7 de maio de 2016 em 21:43

    Maluco! Não posso nem cantar um louvor gostoso que já é lavagem cerebral?! O bagulho é sério :v

  3. Kometa

    7 de maio de 2016 em 16:59

    Post inutil ,estão sem ideias para matérias?

  4. Wyvern Björk

    7 de maio de 2016 em 15:54

    Agora faz um: Técnicas de lavagem cerebral aplicadas em muitos Neo-Ateus.
    Porque pra fazer um post desse, vai me desculpar, mas só passando por lavagem cerebral mesmo.

  5. José Orlan

    6 de maio de 2016 em 22:31

    A maioria dos meios citados são de tradição milenar, duvido muito que isso seja feito de forma premeditada se forem reais.

  6. Rodrigo Duarte

    6 de maio de 2016 em 20:23

    Pra acreditar naqueles shows de milagre$ que vemos na tv, só com os miolos revirados mesmo.

  7. Jp Cartman

    6 de maio de 2016 em 19:57

    o cara q fez esse post so pode ter sido coroinha…….

8 Comentários
mais Posts
Topo