Minilua

As mais terríveis gangues da história #2

Nem só de mocinhos é feita a história. Muitas vezes os bandidos também ganham seu destaque, principalmente devido a suas atrocidades e ao medo que causam nas pessoas. E quando eles se unem nas temidas gangues, até mesmo as autoridades ficam aterrorizadas:

Yakuza

Essa talvez seja a gangue mais velha e poderosa do mundo, pois o seu surgimento remonta ao século XVII, quando o Japão ainda era dominado pelos samurais. Naquela época, em grandes cidades, existiam mercados onde os mais diversos produtos eram vendidos. Para proteger suas vendas, os comerciantes começaram a contratar jovens.

Só que naquela época apenas pessoas ricas e samurais tinham o direito de carregar espadas. Após muitos tempo, os comerciantes conseguiram o direito de armar seus seguranças. Mas aí veio uma grande crise e os seguranças, que antes protegiam os negócios, começaram a extorquir seus chefes, afinal que tem arma, tem o poder.

Anos mais tarde, existiam diversas dessas gangues espalhadas pelo Japão e logo elas se uniriam.

Organização

A Yakuza, seguindo os preceitos japoneses de boa organização, foi criada e espalhou seu domínio por todos os cantos do país, tendo uma rígida organização.

Uma gangue gigante não poderia ser uma única peça, por isso ela é dividia em clãs. No topo existe um chefe, chamado de pai ou oyabun, logo abaixo vem os filhos, chamados de wakashu, e mais na base, os irmãos, que tem o nome de kyodai.

Ainda existem alguns autônomos, que não fazem parte de nenhuma família. Eles, normalmente, fazem as piores atrocidades, pois não são ligados a ninguém, dessa maneira o clã fica protegido. Se um autônomo mostrar boas capacidades, pode acabar criando seu próprio clã ou mesmo entrar em alguma família.

Até os anos 90, a Yakuza não admitia mulheres em sua organização, pois acreditava que elas só serviam para cuidar dos filhos e da casa, por isso eles sobrevieram alguns séculos apenas com homens. Hoje em dia existem muitas mulheres em cargos de influência, mas elas são testadas muitas vezes antes de chegarem lá.

Donos do país

Uma gangue tão antiga e grande, certamente tem muita influência no país. Hoje em dia acredita-se que hajam membros da Yakuza em todos os cantos do sistema governamental, indo desde funcionários mais baixos até políticos influentes.

Além disso, muitos lugares são quase totalmente controlados por seus clãs. Apesar de todo o esforço e de leis anti-Yakuza criadas no país, a polícia jamais conseguiu desbaratar a poderosa gangue secular.

Pagando com sangue

Quem comete alguma infração contra seu clã, algo que não seja grave, tem que passar por um ritual de sangue para ganhar o perdão. Para isso o infrator tem que cortar a ponta do dedo mínimo da mão esquerda e entregá-lo ao chefe da família ou a seu superior.

Esse ritual de penitência vem da tradição japonesa da espada. Para segurar a arma com firmeza, é preciso que os três últimos dedos deem o apoio necessário no cabo. Sem uma parte do dedo, o infrator fica sem a firmeza necessária e tem que confiar mais em seu clã.

Marcas na pele

Todo membro da Yakuza, não importa o cargo ou posição, tem que ter uma tatuagem da gangue.

Na maioria dos casos, as tatuagens ainda são feitas da maneira mais tradicional, sem máquina elétrica. Eles usam agulhas de bambu com tinta, em um trabalho totalmente manual, que, dependendo do tamanho, pode levar anos para ficar completo.

Ajudando o país

Nem só de crimes, roubos, assassinatos e trafico vive a Yakuza, eles também tem seu lado bom. Na tsunami que abalou o país em 2011, a gangue enviou milhares de caminhões com comida, roupas, água e todo tipo de ajuda aos necessitados. Os homens da Yakuza foram mobilizados para auxiliar as vítimas e ajudaram diretamente na reconstrução do país.

Quer conhecer a história de outras grandes gangues? Não deixe de curtir!

Siga Diego Martins no Google+: gplus/diegomartins

Ou adicione no Facebook: http://www.facebook.com/diegominilua

Faça parte de nosso grupo: http://www.facebook.com/groups/188760724584263/