Minilua

O terrível grupo terrorista Boko Haram

O mundo está vivendo a era mais pacífica de toda a história da humanidade, segundo uma pesquisa feita pelo Pew Research Center, mas no meio disso existe um grande porém, que são as guerras motivadas pela religião. E nesse momento, o islã se mostra a religião mais violenta do mundo, com destaque para o terrível Boko Haram:

O califado

Em reportagens sobre grupos terroristas, como ISIS e Boko Haram, é comum ouvirmos o desejo deles de instituírem um califado, mas o que será que é isso? Um califado é uma espécie de estado monárquico, onde as leis islâmicas são seguidas a risca. Ou seja, o que está escrito no Alcorão é lei, acima de tudo.

O problema é que o Alcorão possui muitas passagens sanguinárias, onde fala que infiéis devem morrer. Além disso, existem muitas passagens iguais às da Bíblia, falando que as mulheres precisam ser submissas, que podem ser apedrejadas até a morte e que não são dignas. Em um país onde essas leis são seguidas ao pé da letra, as coisas ficam bem violentas.

É isso que está acontecendo na Nigéria atualmente. O Boko Haram consegui dominar 50 mil quilômetros quadrados de terra para si e controlam mais de 1,6 milhão de pessoas. Cristãos tem a cabeça cortada, mulheres são mortas ou transformadas em escravas sexuais, conforme a vontade dos terroristas.

A ideia do grupo é tomar toda a Nigéria e montar seu novo país, sob a lei da charia.

Educação

Como a história do mundo já nos mostrou muitas vezes, a educação é a principal arma contra governos tiranos. Sabendo disso, os comandantes do Boko Haram determinaram que as escolas “ocidentais” são um pecado e devem ser destruídas.

Apenas em 2014, o grupo atacou mais de 50 escolas, exterminando 100 crianças e 70 professores. Em um dos ataques, um dormitório de crianças foi atacado e 40 morreram de uma vez. Os sobreviventes desses ataques normalmente são obrigados a entrar no grupo ou morrem com um tiro na cabeça.

Usando crianças

Não bastasse toda a barbárie feita com adultos, os soldados do Boko Haram começaram a usar crianças em suas operações de guerra. Muitas vezes, eles forçam meninas a entraram em locais movimentados e se explodirem no meio da multidão.

No dia 10 de janeiro de 2015, na cidade de Maiduguri, uma garota de dez anos entrou em um mercado de rua, como um dia qualquer. Mas ela estava carregando bombas por baixo da roupa tradicional islâmica. Sem aviso, ela se explodiu, matando vinte pessoas inocentes. Um dia após isso, mais duas garotas se explodiram, matando três pessoas e ferindo 46.

O governo

Aí você pensa, mas cadê o governo dessa bagaça? Acontece que a corrupção, desprezo com o povo e manipulação das massas na África é muito pior do que aqui. Desde o surgimento do Boko Haram, o governo vem fugindo de suas responsabilidades.

O presidente local, chamado Goodluck Jonathan, tenta sempre esconder o que está acontecendo. Naquele famoso caso onde as 200 garotas foram sequestradas pelo grupo, o mandante do estado disse que tudo não passava de rumores. Em outubro do ano passado, o Presidente afirmou que havia feito um cessar-fogo com os líderes terroristas, mas, no fim, tudo não passou de mentira. Pois horas após o anúncio, o Boko Haram atacou uma nova cidade.

Infelizmente, essa realidade já domina a Nigéria desde 1960. Como o local tem bastante petróleo, os governantes assumem o poder, ficam ricos e somem.

Toda essa incompetência, somada a falta de perspectiva das pessoas e do poder da loucura islâmica, está dando espaço para o avanço das tropas terroristas. A Nigéria, em breve, terá a maior parte do país dominado pelo Boko Haram e um novo estado de terror será formado no mundo.