Minilua

Todas as pessoas de olhos azuis são descendentes de um único ser humano

Um estudo feito por cientistas da Universidade de Copenhague, da Dinamarca, afirma que cada pessoa de olhos azuis no planeta é descendente de um único europeu que viveu por volta de 6 a 10 mil anos atrás, e que foi o primeiro ser humano a desenvolver uma mutação específica que é responsável pela coloração da íris.

Originalmente, todos os seres humanos tinham olhos castanhos, embora diferentes tons de marrom pudessem ser vistos por conta de uma a variação genética no gene chamado OCA2 que altera a quantidade de pigmento produzida por indivíduos diferentes. A própria cor verde é resultado de uma grande variação na quantidade de melanina produzida. A partir desta informação, os cientistas procuraram por muitos anos a fonte da tonalidade azul no gene OCA2, mas sem sucesso.

Recentemente, uma mutação de um gene separado chamado HERC2 tem sido identificado como a causa dos olhos azuis. Esta alteração desliga o gene OCA2, que determina a quantidade do pigmento de melanina marrom que produzimos. Para os Cientistas da Universidade de Copenhague, as pessoas com olhos azuis herdaram esse gene interruptor de uma única composição genética, ou seja, são todas descendentes do primeiro ser humano com olhos azuis.

Acredita-se que esta mutação ocorreu quando os humanos começaram a migrar da África para a Europa.

O fato de que cada pessoa de olhos azuis atualmente possua essa mesma mutação é uma evidência muito convincente para essa teoria, embora a identidade do mutante inicial ainda permanecer um mistério.

O mais antigo conjunto de olhos azuis já encontrados pertencem a um esqueleto de 7 mil anos de idade que foi descoberto no norte da Espanha. Naturalmente, os olhos já haviam deteriorado há muito tempo, no entanto, com uma análise genética pode-se identificar que os olhos teriam aparecido na cor azul.