Minilua

Vida cotidiana #2: Preconceito

Em nosso dia a dia, queria ou não, sempre nos deparamos com pequenos preconceitos, alguns inofensivos, mas outros um pouco maiores.

Sem sermos hipócritas, podemos dizer que todo mundo tem um preconceito, afinal é assim que funcionamos. Sempre temos nossa opinião sobre algo que muitas vezes não conhecemos.

Por exemplo: quando passa alguém vestindo algo estranho na rua você pensa: “Que maluco!”. Isso em si já é um preconceito. Ao contrário do que muitos pensam, não existem preconceitos apenas com negros, gays e evangélicos, todo mundo sofre algum preconceito, seja por sua aparência, seu modo de vestir, seu gosto musical ou qualquer outro aspecto.

Mas vamos falar de um preconceito velado, que existe em nossa sociedade há muito tempo: cabeludos. Isso mesmo, todo mundo que tem cabelo comprido (ou apenas um cabelo diferente do padrão da sociedade) sofre de um sério preconceito, principalmente na hora de conseguir um emprego.

Claro que nenhuma empresa admite isso, porém vá lá tentar um vaga com o cabelão e ver se você consegue. Claro que empresas de mente mais abertas permitem, mas outras se quer admitem ter alguém assim. Na hora da entrevista, já se pode ver o cara feia que fazem.

O fato engraçado é que essas empresas, normalmente são chefiadas por pessoas que idolatram certa pessoa, que possui uma imagem bem peculiar:

Engraçado, as pessoas admiram e amam um cabeludo (e barbudo) como sendo a pessoa mais incrível que já esteve na Terra, mas não querem um filho ou mesmos um empregado na sua empresa assim… Interessantes às ironias da vida cotidiana, não acha?

Apoie a campanha: chega de preconceito. Twitte e curta essa matéria e nos ajude a acabar com esses pequenos preconceitos, que fazem do mundo um mar de hipocrisia barata.