Você entende probabilidade?

Provavelmente não, pois mesmo se deparando com ela todos os dias, nosso cérebro costuma ignorar essa ótima fonte de conhecimento:




O que ele está programado para fazer

brain_visualization-0b59ff84ad83e6cb2ee0f2fdacd1313022fe69dd-s6-c30

Existe um ramo do estudo do comportamento humano chamado Negligência da Probabilidade, onde as pessoas negam coisas prováveis ou dão atenção demais para algo que é quase impossível de acontecer.

Um dos exemplos mais clássicos dessa falha de nosso cérebro é o medo de viagem de avião. Todas as estatísticas provam que fazer uma viagem de carro é muito menos seguro do que pegar um avião. Basta ver os números. Todo ano morrem mais de 50 mil pessoas em nosso país no trânsito. Já na aviação, se pegarmos todas as mortes desde que os aviões chegaram aqui, elas não passam de 10 mil mortes.

Então porque muitas pessoas morrem de medo de subir em uma aeronave e pegam o carro para fazer qualquer coisa? Isso ocorre porque o cérebro humano nunca foi treinado para entender probabilidade. Até 200 ou 300 anos atrás, ninguém dava bola para a probabilidade, por isso nosso cérebro nunca teve tempo de se adaptar a isso.




Outras provas

Dado3

Antigamente, um homem que vivia na caverna e fosse atacado por um urso, simplesmente iria falar para todos que haviam ursos na volta e que todos precisariam andar armados. Durante os 50 próximos anos, não haveria mais nenhum relato de ataque de urso, porém todos continuariam a carregar armas. Isso ocorria pela falta de noções de probabilidade, o que transformava um evento isolado em um perigo constante, desnecessariamente.

O mais incrível é que até governos usam probabilidades erradas para tomar decisões. Por exemplo, os americanos gastaram 1,3 trilhões de dólares em proteção e luta contra o terrorismo, um perigo que causou pouco mais de 14 mil mortes nos últimos 30 anos. Se o mesmo dinheiro tivesse sido usado para ajudar pessoas com câncer ou em segurança no trabalho, centenas de milhares de vidas teriam sido salvas, afinal existe muito mais probabilidade de alguém morrer no dia a dia do que sendo atacado por terroristas.

Uma prova de que nós não entendemos ou não damos atenção para a probabilidade são todos os cassinos do mundo. A chance da pessoa perder dinheiro lá é sempre maior do que a chance de ganhar, então porque ela investe nisso? Ou porque ficamos tão nervosos e preocupados quando saímos de casa e esquecemos de chavear a porta? Afinal, a chance de invasão é a mesma com a porta trancada ou não.

  1. Gilberson Jesus

    15 de dezembro de 2014 em 20:34

    existem 0,0,0,0,2,9,8,7,3,3,5,8 porcento de chances de eu ter escrito este comentario e alguem viajar no tempo e fazer eu nao ter escrito este comentario

  2. Fernando Lopes

    15 de novembro de 2014 em 16:06

    “americanos gastaram 1,3 trilhões de dólares em proteção e luta contra o terrorismo, um perigo que causou pouco mais de 14 mil mortes nos últimos 30 anos. Se o mesmo dinheiro tivesse sido usado para ajudar pessoas com câncer ou em segurança no trabalho, centenas de milhares de vidas teriam sido salvas, afinal existe muito mais probabilidade de alguém morrer no dia a dia do que sendo atacado por terroristas.”

    Se os americanos não gatassem esse dinheiro, certamente haveriam milhões de mortes por ano pelo terrorismo.

  3. P Pierrot

    11 de novembro de 2014 em 11:41

    Até dá pra entender no caso do avião né? Há uma série de outros receios envolvidos e a imaginação que fomenta uma morte terrivel nas alturas deixa qualquer um com os fundilhos nas mãos xD.

  4. Guilherme Colgate

    10 de novembro de 2014 em 00:47

    SEGUINTE POLA, VAMOS OLHAR DESSA MANEIRA, A CHANCE DE UM AVIÃO MATAR NAO E MENOR QUE O AUTOMOVEL, QUAL A CHANCE DE SOBREVIVER A UMA QUEDA DE AVIAO, SEI LA 1 EM 1 BILHAO , DAI PERGUNTO E A CHANCE DE SOBREVIVER A UM ACIDENTE DE CARRO TMBM NAO SEI MAIS E MAIOR!

  5. Little Uchiha™

    9 de novembro de 2014 em 22:17

    Eu penso da seguinte forma, existem muito mais acidentes de carros pq existem muitíssimos carros se comparado com aviões, e tbm eu acredito mais na minha sobrevivência num acidente de carro do que em um trambolho voador, mesmo com as imgs fortes q vemos por ae, tbm penso q acidentes de ônibus e caminhões são menores tbm, trabalho com a hipótese q quanto maior o veículo, menos os acidentes Lol.

    No caso dos EUA penso q é questão de princípio, força e essas coisas, se sua pipa é rasgada por uma árvore vc provavelmente não vai corta-la, mas se ela é rasgada por outra pessoa, o bicho pega. É um exemplo bobo mas dá uma ideia do q eu quis dizer.
    Do cassino como é sobre dinheiro eu já acho q se há uma mínima chance de ganhar algum dinheiro fácil, é o bastante pra fazermos coisas estúpidas, principalmente se o q vc gasta for muito menos do q vc pode ganhar, digo, o dinheiro de cada vez, não contando tudo.
    Sobre a chave, ngm vai querer facilitar pro Sr ladrão, pelo menos eu não.

    • Adriano Saadeh

      18 de novembro de 2014 em 09:17

      É que geralmente um acidente de avião mata muita gente de uma vez só, mesmo que a probabilidade seja bem menor

    • Wagner

      10 de novembro de 2014 em 08:27

      Mas é aí que essa Negligência da Probabilidade aparece, no caso de carros e aviões.
      Apesar de acidentes aéreos serem bem mais trágicos, a chance de sobreviver realmente é maior. Não tô falando de quando ele já tá caindo, mas sim que a chance de acontecer um acidente é menor.
      O que ocorre é que o percentual de acidentes de avião é menor que o de carros, considerando apenas o meio de transporte que está sendo utilizado.
      De acordo com uma pesquisa lá nos EUA, se você andar de carro, a chance de ocorrer algum acidente é de um pouco mais de 1%, enquanto de avião não chega nem a 0,2%.
      Probabilidade não é você levar em conta somente uma análise quantitativa “bruta”. Tipo, se você pensar pela quantidade, há mais acidentes de carro, uma vez que há mais carros que aviões. Mas “percentualmente” falando, analisa-se a quantidade de acidentes em cada transporte em relação à quantidade de veículos/viagens eles fazem.

      • Ruth Borges

        13 de novembro de 2014 em 12:26

        A questão do medo de avião é que: E se o avião que eu estiver for fazer parte desses 0,2%?
        É por isso! Pelo menos no meu caso. Pois pela “sorte ” que tenho, eu seria bem capaz de ser “premiada”.

        • Wagner

          13 de novembro de 2014 em 12:54

          Mas daí são outros quinhentos.
          A negligência ocorre porque, mesmo o avião sendo mais seguro, a fatalidade será maior caso ele caia.
          A probabilidade é menor, mas não vai dizer que não acontecerá.
          Acaba por ser questão de sorte também.

    • Joel Alvarenga

      9 de novembro de 2014 em 23:41

      Eu não tenho medo de andar de avião, eu simplesmente tenho pavor de altura.
      Em relação ao Cassino, posso fazer uma comparação:
      Por que eu sempre abria os e-mails semanais do Minilua, sabendo que só existia uma chance mínima de ter ganhado a camisa? Porque ainda existia uma chance mínima de ter ganhado uma camisa.

      • Little Uchiha™

        9 de novembro de 2014 em 23:57

        kkkkk eu tbm, eu abria aquele e-mail miserável toda semana e ficava muito irritado quando via os mails premiados.

  6. Emmanov Kozövisck

    9 de novembro de 2014 em 21:33

    Olhe, Diego, eu ainda não compreendo de maneira total e clara a probabilidade em seu uso e matemático (porque ainda estou em processo de aprendizado) e menos ainda na sua aplicação social -pois desde que fui assaltado tenho um medo irracional e constante de ter meu aparelho eletrônico roubado novamente, ainda que frequentando locais movimentados e em horários nos quais a claridade é evidente – mas acredito que, depois de ler o excelente livro “O Andar do Bêbado”, minha compreensão da probabilidade tornou-se muito mais aguçada.

    • André Silva

      9 de novembro de 2014 em 21:52

      ”pois desde que fui assaltado tenho um medo irracional e constante de ter meu aparelho eletrônico roubado”
      Desde que eu fui assaltado a uns 2 anos eu ando na rua olhando pra todo canto, com medo também de ser assaltado. Na verdade eu nem ligo se o bandido levar algum pertence meu, tenho medo mesmo é que faça algo pior comigo, na pior das hipóteses, me matando, pois muitas vezes mesmo sem a vítima reagir os filhos da puta matam ou ferem a pessoa gravemente, só por maldade.

    • DCemblemático

      9 de novembro de 2014 em 21:42

      [img]http://i.ytimg.com/vi/e_2HlQmDesA/hqdefault.jpg[/img]
      He-he-he

  7. Wagner

    9 de novembro de 2014 em 21:07

    “A chance da pessoa perder dinheiro lá é sempre menor do que a chance de ganhar, então porque ela investe nisso?”
    Deve ser porque a chance de perder é menor que a de ganhar .-.

  8. leonardo santos

    9 de novembro de 2014 em 20:53

    “A chance da pessoa perder dinheiro lá é sempre menor do que a chance de ganhar”só eu achei isso confuso :-:

  9. Jeff Dantas

    9 de novembro de 2014 em 20:40

    Aliás, como que foi a prova do Enem? Tá todo mundo comentando, por aqui! 🙂

    • André Silva

      9 de novembro de 2014 em 21:42

      Tava difícil! Textos muito longos, no espanhol e no português, tu tinha que ficar atento no que lia e como muitas vezes tinha que ler de novo a mesma questão pra entender, tomava muito tempo. Acho que ninguém esperava pelo tema que caiu na redação, eu me matei estudando pra vários temas e nem li nada sobre publicidade infantil, inventei umas coisas lá! Não tinha nenhuma loiraça na minha sala pra me dar mole, quem aplicou a prova foi um homem com cara de mau.

      • Ruth Borges

        13 de novembro de 2014 em 12:30

        Não posso nem comentar sobre pessoas bonitas ..
        Meu marido às vezes frequenta este site. ¬ ¬

    • DCemblemático

      9 de novembro de 2014 em 20:42

      Fui fazer o enem sendo que a professora tava me dando um mole, então eu fui lá é apertei a bunda dela ai eu fui expulso da prova 🙁 he-he-he

      • PlayStation

        9 de novembro de 2014 em 21:18

        Tinha uma professora loiraça me dando mole tbm mas eu preferi não ser expulso

  10. Jeff Dantas

    9 de novembro de 2014 em 20:39

    Bom, de lógica, eu não conheço quase nada..hehehe 🙂 Em todo caso, sempre fui um desastre em matemática… 🙂

    • Blue

      9 de novembro de 2014 em 21:12

      Não sei como as pessoas que trabalham usando matemática conseguem entender todas aquelas contas.

  11. Carol Martins

    9 de novembro de 2014 em 20:38

    “A chance da pessoa perder dinheiro lá é sempre menor do que a chance de ganhar”, essa frase não tá ao contrario não?

    • Adiel Esdras

      9 de novembro de 2014 em 20:50

      eu tbm acho

  12. Gabriel Frigini

    9 de novembro de 2014 em 20:29

    Bela postagem! Interessante

  13. Neko-san

    9 de novembro de 2014 em 20:25

    Depois do enem você manja dos négocio todo de probabilidade, afinal quando você chuta tem cerca de 1/5 ou 20% de acertar a questão, levando para a eliminações de questões sobe para 50%

    • DCemblemático

      10 de novembro de 2014 em 06:01

      Eu tava assim
      [img]https://fbcdn-photos-a-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpf1/v/t1.0-0/10644990_475775799230199_6211951396061628302_n.jpg?oh=947e68cc7374e30fa9fcabcdcc44316a&oe=54DCCF10&__gda__=1423545722_cfd962e05c5d1e6a277d0f748a9b923b[/img]
      He-he-he

      • Allen Walker

        10 de novembro de 2014 em 10:51

        KKKK Eu fiz isso ai muito HUEHUEHEU

    • Allen Walker

      9 de novembro de 2014 em 22:09

      Tipo eu hoje na matemática :v o resto que não deu mesmo foi no achismo.

    • Mutley

      9 de novembro de 2014 em 20:50

      As questões que deu eu separei por categoria :
      1) Duas são sem noção.
      2) Uma vai ser bem certinha mas vai ter aquele erro fatal que você quase nem vê)
      3) As outras duas vão fazer você quebrar a cabeça pra saber qual é a certa .

      • Adriano Saadeh

        18 de novembro de 2014 em 09:17

        Sempre assim!

    • Neko-san

      9 de novembro de 2014 em 20:36

      eliminações de alternativas*

33 Comentários
Topo